Blue Man Group – Por mais estrelas azuis

Mais que uma banda, o projeto artístico conhecido como Blue Man Group começou em 1991 e conta com diversos espetáculos fixos, além da trupe itinerante. Parte importante desse conceito é o fato de que eles não falam, eles não cantam e apenas se comunicam de maneira física ou por expressões. A banda se utiliza de cantores, vídeos, textos, ou quaisquer outros meios como responsáveis por essa função. Além do recém lançado Three (2016) a banda lançou três álbuns e alguns sigles:

Álbuns – Audio (1999) – The Complex (2003) – Live at The Venetian – Las Vegas (2006)

O áudio aparece apenas no Spotify e Live in The Venetian não parece estar disponível em streaming no momento. O lançamento do álbum Three fez parte das comemorações do aniversário de 25 anos do projeto que envolveu ainda o lançamento de um livro de capa dura, graficamente rico e que promete uma experiência tão inesperada e surpreendente quanto seus concertos. A Amazon Brasil importa o livro sob demanda:

https://www.amazon.com.br/Blue-Man-World-Group/dp/0316395188/ref=sr_1_5?ie=UTF8&qid=1483664380&sr=8-5&keywords=blue+man+group

O Trailer do Lançamento do Livro é muito ilustrativo sobre o “desrespeito” da banda pelo tradicional.

Também interessante é o vídeo do crossover com Star Wars ilustrando seu “processo seletivo”.

Ou esta incrível versão do tema do 007

O grupo certamente parece não ter limites e nem seus convidados / homenageados, quando estão com eles.

Aqui no Brasil eles ficaram muito conhecidos quando em 2009 trouxeram a turnê How To Be a Megastar (Como se Tornar um Megastar) permanecendo no país durante alguns meses enquanto filmavam material publicitário para a parceria com a TIM Brasil que patrocinou a turnê como parte do seu marketing. Essa mesma turnê havia passado em 2007 pelo Brasil com poucos concertos e divulgação. Vendidos nessa primeira turnê como um “tipo de Cirque de Soleil” nada poderia estar mais longe da verdade, da irreverência e da criatividade dos artistas. Em 2011 o grupo participou do Carnaval Baiano ao lado do Carlinhos Brown.

A parceria com a TIM Brasil parece já ter acabado. Nenhuma das partes devolveu uma confirmação a respeito e esta publicação pode ser atualizada a qualquer momento caso alguma das partes se pronuncie.

Estive em uma das apresentações de 2009 e a primeira coisa a chamar a atenção, nos concertos da banda, são os instrumentos não convencionais utilizados por eles ou o uso não convencional de instrumentos já conhecidos presentes no palco. Uma série de itens construídos com canos de PVC, diversos compõe o palco, mais do que o som diferente, seu uso leva necessariamente a um tipo de coreografia, enriquecendo a performance visual que é parte da confusão milimetricamente ensaiada e reproduzida no palco o tempo todo. Tintas e “melecas” fazem parte do espetáculo fazendo com que o público nas primeiras filas recebam, simpaticamente, uma capa de chuva para se proteger (The Poncho seats)… e o que será que aquele piano está fazendo encostado ali na parede (encostado mesmo (os pés do piano estão na parede escorando ele). Falando agora do show e da música de How to be a Megastar (a popular turnê que passou pelo Brasil duas vezes, antes de começar o espetáculo, e sem nenhum tipo de anúncio, mensagens como “Se você curte Rock and Roll bata palmas” ou “Se você ama um solo de guitarra, grite” passa rapidamente em displays a frente do palco. Em um primeiro momento apenas uns poucos batem palmas já que a atenção não está no palco com as luzes ainda acesas…Outros olham para aqueles que participam da brincadeira sem entender, mas aos poucos vão percebendo e entrando no espírito, e muito da banda está nisso: Espírito! As mensagens se sucedem até vir uma especial. Algo como “Se você subiu em um coqueiro depois de ter tomado duas garrafas de tequila, caiu de cabeça e cancelou a turnê por um traumatismo craniano, grite!”. Isso remetia diretamente ao acidente do Keith Richards poucos anos antes e as pessoas não sabiam se gritavam ou riam…Acabou sendo meio a meio! Com as pessoas já aquecidas, está na hora do show!! E que espetáculo sensacional é apresentado deixando duas perguntas: – Você está pronto para ser um Megastar?

Como ser um Megastar? http://www.submarino.com.br/produto/6775553?oferta=363737353535342e30303737363537343030303636302e4e4557

E torcer para que eles voltem em algum momento para cá.

Recentemente tive a oportunidade de assistir também o espetáculo fixo em Orlando (no Parque da Universal) e consegui perceber a mesma qualidade e preocupação com a inovação.  Ainda assim, fica claro que a proposta do espetáculo é diferente.  Com esquetes mais físicas, curtas e diretas, fica clara a preocupação do grupo com o público alvo existente.  No caso da Universal, esse público é infantil e formado por um grande número de pessoas que não dominam o idioma.

Por hoje esse é todo o azul disponível e fico por aqui.

Não saiam do tom,

Rodrigo Fernandes.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>