[SC] Canivete Suiço – STARGEEK TROOPERS

Olá a todos os geeks dessa Spheraiada!

É neste post de estreia aqui no SG – antes Sphera Geek, quem me dera Star Gate – e, se não for destruído pelos malditos insetos, vocês continuarão a me ver por aqui. Meu nome é Mario Marcio Felix, o MM, o Felix, ou o @MMFelix.

Para começarmos nossas conversas, queria trazer aquela ficção científica moleque, aquela FC de raiz, que joga na várzea de pé descalço e fez com que eu me apaixonasse perdidamente pelo tema. É sim, é Starship Troopers seus malditos insetos, outros planetas, viagens espaciais, tiros e outras coisas… Então aqui vai algo saudosista, que faz palpitar o coração mesmo com possíveis furos na adaptação das diversas mídias.

Em 1959, Robert A. Heinlen idealiza uma sociedade em que o cidadão só exerce seus plenos direitos através de um serviço militar voluntário. No desenrolar da trama, somos invadidos por uma sociedade formada por insetos que tem a missão de destruir tudo o que vê pela frente. Isso dá tanto pano pra manga que podemos destrinchar melhor toda filosofia por trás da obra, se vocês quiserem, em outro post. Nesse, são as memórias de um geek saudosista e órfão do finado USA Channel.

Starship 02

Como tive meu primeiro contato com a obra de Heinlen? Lendo? Nada! Conheci através de um pioneiro desenho animado feito em computação gráfica. Eram os idos de 1999 e o USA Channel havia lançado o Roughnecks:Starship Trooper Chronicles. Junto, descobri o filme que fora lançado dois anos antes, cujo nome era o mesmo que o livro. Posteriormente, este filme ganhou mais três continuações: Heroes of the Federation (2004), Marauder (2008) e Invasion (2012). Infelizmente só as descobri faz pouco.

Essa paixão por armaduras cibernéticas está em mim desde cedo, começou pela minha paixão pela idade média e romances de cavalaria. Não penso em armaduras somente pela aplicação bélica, mas pelos avanços tecnológicos que elas trazem no campo da proteção pessoal e do aumento do desempenho humano. O mais legal é que uma boa parcela desses avanços científicos começam na imaginação de um simples autor, de alguém que sonhou, imaginou e traduziu em palavras. Eles inspiram outros geeks a tornar realidade àquilo que foi imaginado. É fantástica essa possibilidade que a literatura proporciona a quem ousa fazer dela uma parceira.

Starship 04

Sendo bastante sincero, a galera que nasceu sob o signo da internet tem maior facilidade em descobrir conteúdos novos e voltados para nosso nicho. Na minha época, não digo que era mais roots, que era melhor, mas a gente tinha que ralar para ter um bom entretenimento que não era o de massa. Por essas e outras, tenho saudades da Manchete.

Ficou curioso? “Você quer saber mais?” Corre e dá uma buscada que é entretenimento certo! Leia o livro antes, eu recomendo muito! A editora Aleph fez uma edição muito bacana do livro. A literatura ainda vale muito a pena e ela será tema recorrente aqui na nossa coluna, onde ela terá como parceira a tecnologia. Por fim, veja os filmes e a série animada, pois, pra quem é experiente como eu, é uma viagem no tempo; pra que é novinho, é ver as origens de algo que gostamos tanto. Estou aqui para instigar a todos, vamos (re)descobrir coisas e gostos.

Starship 01

Pra início de conversa, acho que está ótimo o que vocês me dizem? Vamos fazer deste um espaço colaborativo!! Você me encontra nas reder sociais como @MMFelix no Twitter e como felixliteratura no Instagram. Lá, sempre posto algo sobre literatura, respondo a dúvidas e dou indicação de livros.

Como diz o poeta, toca o barco!