[SG] A Maravilhosa Mente de Jack: Você tem medo de Deus? – Bioshock Infinite.

Olá! Para você que não me conhece eu sou o Jack e sim! Sou viciado em games.

O jogo que trarei hoje é a continuação de Bioshock 1, mesmo não sendo direta, hoje trago a vocês Bioshock
Infinite. Lançado em Março de 2013, desenvolvido e distribuído pela 2K Games e Irrational Games.
É um jogo de FPS, só que com o foco na história, diferente de um BF ou CoD, cujo foco é o Multiplayer.

Vamos ao enredo.

ATENÇÃO! ESSA RESENHA TERÁ SPOILERS DE BIOSHOCK! LEIA POR SUA CONTA E RISCO!

iniciobioO jogo começa com o protagonista, Booker DeWitt em uma pequena balsa rumo a um farol. Duas pessoas remarão o
barco (“Um Cavalheiro” e “Uma Dama”), até um farol.
Sua missão será simples. Ir para a cidade acima das nuvens, trazer a garota e pegar suas dividas.
Só que nem tudo é tão simples. Ao chegar em Columbia (a cidade que está acima das nuvens), conheceremos o seu controlador,um líder religioso chamado Father Comstock.

Você encontrará uma série de problemas do tipo: A tatuagem que seu personagem tem na mão direita, o deixa conhecido como o Falso Pastor. Todos os elementos desse Bioshock são inversos do primeiro jogo, mesmo a premissa sendo a mesma (isso é explicado no final do jogo).
Por exemplo:
Rapture de Andrew Ryan é uma cidade submersa, já Columbia de Comstock é uma cidade acima das nuvens.
O “personagem protetor” deste jogo é o Songbird, ele desempenha função parecida ao do Big Daddy do primeiro
jogo, proteger não importa o que custar.

O final desse jogo é tão impactante, talvez até mais, do que o do primeiro. Enquanto no final do primeiro é revelado que nosso personagem não passava de um clone programado para obedecer todo comando que começasse com “Would you kindly”, nesse teremos coisas como viagem no tempo e loopings infinitos (como o dia da marmota de Twilight Zone).
Esses que envolvem totalmente uma habilidade que Elizabeth tem que é a de abrir fendas temporais e espaciais. Também envolve os irmãos Lutece, que acompanham você pelo jogo inteiro, fazendo perguntas enigmáticas e até mesmo de cunho filosóficas.

meiobioA ambientação do jogo é incrível, cada cenário é uma obra de arte, deixa muito o jogador no clima daquela cidade
religiosa dos anos 20. A trilha sonora nem se fala, principalmente se tratando da música que a Elizabeth canta no jogo: “Will the circle be unbroken” (https://www.youtube.com/watch?v=0e4Crth_Hb8). A IA do jogo é maravilhosa!

A escolta da Elizabeth não é nada complicada, pelo simples fato dela saber se defender sozinha, se escondendo de tiros. Ela também é útil, podendo encontrar dinheiro, vigor e vida para dar suporte a você, não é uma personagem tipo a Ashley que mais atrapalha do que ajuda.
No jogo anterior, tinha uma mecânica herdada do System Shock que é a de usar Magia e a Arma, nesse não poderia
ser diferente, você tem o chamado “Vigor” que podem ser combados com suas armas e entre si.

finalbio

Bioshock Infinite é um jogo maravilhoso e desafiador, tendo uma história que deixa você curioso sobre o que virá pela frente e honra o nome do primeiro jogo da franquia, por isso dou a ele 4.8/5 spheras.

Enfim, espero que vocês tenham gostado e adquirido certo conhecimento sobre o jogo.

Dúvidas, críticas, correções e sugestões vocês podem enviar para o e-mail de contato e para me encontrar na rede  acesse:
contato@spherageek.com
Twitter: @JackSpheraGeek

jackspherageek@gmail.com

Um abraço,
Jack

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>