[SG] A Maravilhosa Mente de Jack: The Legend of Zelda – Ocarina Of Time

Olá! Para você que não me conhece eu sou o Jack e sim! Sou viciado em games!
É com enorme prazer que declaro que está aberto o: “Mês Retro” do Sphera! Com o foco na geração do “Nintendo 64”.
Falando nisso, o jogo que analisarei hoje é “The Legend Of Zelda – Ocarina Of Time”, distribuído e desenvolvido pela Nintendo. O jogo está em terceira pessoa, sendo uma espécie de RPG, com enfoque em ação e fantasia. Vamos ao enredo:

O protagonista do jogo, Link (o nome dele não é “Zelda” seu imbecil!) é um garoto Kokiri, uma característica desses garotos é que além de não crescerem, cada um recebe uma fada, sendo sua guia pelo resto da vida. Link não tinha uma fada. Nosso protagonista se encontra em um pesadelo, onde os portões de um castelo abrem, saindo primeiro um cavalo branco, com duas pessoas montando o mesmo, uma garota na “garupa” do cavalo joga algo para Link. Posteriormente, sai um cavalo negro como vilão do jogo: Ganondorf, um Gerudo que almeja tomar o poder de Hyrule. Ele encara Link e parte em perseguição. Link acorda com um sonho sendo realizado, finalmente ele tem sua fada, Navi.

Ocarina_Playing_(Ocarina_of_Time)

 

Apenas um comentário, o jogo ensina o jogador da forma mais IRRITANTE possível. Qualquer dica ou tutorial é dito a você por Navi, só tem um problema… ELA FICA CHAMANDO VOCÊ TODA HORA. “Hey! Listen!” ela repete isso infinita vezes até você abrir o chat dela. Enfim. Navi é convocada a ser a companheira de Link, pela Grande Árvore Deku (Sem trocadilhos), pois ele daria uma missão para Link. É ai que o jogo começa. As pessoas elogiam tanto o enredo do jogo, mas lendo assim não parece grande coisa não? Então, é incrível assim mesmo.

Por mais simples que o enredo pareça no começo, ele descamba para algo muito mais complexo e emocionante, envolvendo a lenda da: “Triforce” e seus sábios e viagem no tempo. Diferentemente de seu sucessor: “Majora’s Mask” onde você pode viajar no tempo a qualquer momento, em OoT você só viaja no tempo ao colocar e recolocar a Master Sword em seu pedestal.

As mecânicas do jogo são boas até hoje, principalmente a versão remasterizada de OoT para o 3DS. Você pode usar a Ocarina em diversas ocasiões, desde destrancar uma porta com “Zelda’s Lullaby” até se teletransportar para algum templo. Os gráficos do jogo são honestos para a época, como de praxe da Nintendo, mas a versão de 3DS conseguiu deixar ele lindo. A trilha sonora do jogo é incrível, como todas as trilhas da Nintendo. As músicas que você escuta durante o jogo podem facilmente serem colocadas em um Pen-Drive, para você escutar no carro. O mais legal desse jogo é a transição de tempo.

zelda_ocarina_of_time_blend_2_by_zelda_miley_iliafan

 

Como assim? Você começa o jogo, controlando o Link “Criança” quando ele ainda tem 10 anos de idade, porém quando ele empunha a Master Sword pela primeira vez, ele entra em um tipo de sono por 7 anos, logo ele fica com 17 (isso acontece, pois os sábios acreditam que ele estava muito imaturo para sua missão), dependendo do templo que você precisa ir, você tem que usar essa transição de Link Adulto para Link Criança. Eu darei a OoT 5/5 (YAAAY), pelo simples motivo de ter sido um jogo que marcou uma fase da minha vida, zerar OoT é como uma transição de level para um Gamer.

Dúvidas, críticas, correções e sugestões vocês podem enviar para o e-mail de contato e para me encontrar na rede  acesse:
contato@spherageek.com
Twitter: @JackSpheraGeek