Sphera Games #18: Prepare-se Para Chorar – Life Is Strange

Olá! Para você que não me conhece eu sou o Jack e sim, sou viciado em games.
O jogo que irei analisar para vocês hoje é o maravilhoso Life Is Strange: um jogo em formato episódico (lançado episódio por episódio como um seriado), produzido pela Dontnod Entertainment e distribuído pela Square, a mesma produtora de Final Fantasy. O primeiro episódio foi lançado em janeiro do ano passado (2015) encerrando em outubro do mesmo ano. 

Antes de ir para o enredo – que é o ponto forte do jogo – tenho dois parênteses para abrir aqui.
1º) Gostaria de mandar um abraço enorme para a Lucy, que é praticamente minha irmã e Max da vida real e para meu amigo Piva, meu amor (na brotheragem) que me apresentou esse jogo incrível.

2º: Life Is Strange não é simplesmente um jogo.

Quem recebeu spoiler perdeu uma grande experiência. Isso ocorre com seriados também, como por exemplo Game Of Thrones (Valar Morghulis): quem recebeu spoiler sobre a série perdeu boa parte da experiência que é assistir GoT e não saber o que vai acontecer. Em livros isso também acontece como por exemplo em A Lenda de Ruff Ghanor ou Anjos da Morte do Eduardo Spohr.

Como Life is Strange se encaixa nisso? Life is Strange é simplesmente um jogo que muda sua forma de ver o mundo e isso é simplesmente surreal, já que o único jogo que teria feito isso comigo antes foi o Shadows e Beyond Two Souls, mas Life Is Strange simplesmente se superou.
Vamos ao enredo.

O jogo começa com a protagonista Maxine Caulfield no meio do que parece ser um tornado que está prestes a destruir a cidade de Arcadia Bay, ela avista um farol e quando está  prestes a chegar nele desperta do que parece um sonho, agora ela está de volta a sua sala na Faculdade de Blackwell, onde cursa fotografia. O seu professor, Mr. Jefferson (que tem um papel importante na história…) continua dando aula, até que o sinal bate e Max vai para o banheiro. É ai que as coisas começam a ficar estranhas.

Ao entrar no banheiro e começar a ter “suas crises interiores” ela avista uma borboleta azul (que ao desenrolar do jogo, percebemos que é uma metáfora incrível). Ela decide fotografar a cena e um menino entra no banheiro feminino de forma histérica, Max se esconde e permanece escondia. Logo após entra uma menina punk de cabelos azuis, eles conversam sobre o que a principio parece uma dívida, até que o menino (Nathan Prescott) atira na menina.

Max ficou tão perturbada quando viu essa cena que levantou a mão em um momento desesperado e simplesmente voltou no tempo, para quando ela  estava na sala de aula. É quando Max se dá conta de que pode voltar no tempo. E usa isso para impedir que a menina punk morra, ela  consegue ir ao banheiro e impedir o assassinato dela, que posteriormente descobre que é sua amiga de infância Chloe Price. Elas não se viam há cerca de 5 anos e não tinham mais contato algum. E sabe, não da pra julgar tanto a Max porque isso acontece.

InicioLiS

Raros são os amigos que se mantém contato pelo resto da vida: seus amigos do colégio serão substituídos pelo seus amigos de faculdade, que depois serão substituídos pelos de trabalho. Raros têm o luxo de permanecer na sua vida. Nesse meio tempo o pai da Chloe morreu em um acidente e um ano depois a sua mãe casou com David, um segurança que era veterano de guerra e Chloe odiava.

Ela colocou piercing, fez tatuagem, pintou o cabelo de azul. Entrou na fase punk rock total, passou a desrespeitar sua mãe e seu padrasto. Seu único refúgio era sua amiga Rachel, que praticamente virou a “nova Max” gerando uma dependência em Chloe, chegando a falar que ela era seu Anjo da Guarda.

Muitos que jogam LiS pensam que Chloe é apaixonada por Rachel, enquanto outros acham que é só uma amizade mesmo. Seu mundo terminou de desabar quando Rachel desapareceu. Em contra partida Max voltou. E tem a missão de achar Rachel.

“Mas, espera ai Jack.  E o poder de voltar no tempo?” Max conta sobre seu poder para a Chloe, mesmo ela não acredite em sua visão inicialmente, quando começa um evento climático extremamente estranho, ela passa a acreditar. E o poder será usado durante o jogo frequentemente.

Você já se imaginou tendo poder de voltar no tempo? Ás vezes esse poder é usado de forma… Digamos que banal no jogo. Você pode voltar no tempo para avisar para uma menina que uma bola atingirá sua cabeça, mas você também pode impedir uma grande tragédia com esse poder.

Ah! Tragédia! Uma coisa com que lidamos muito durante a história do jogo. Todos, eu disse TODOS os personagens de LIS passaram ou passarão por alguma tragédia em algum momento do jogo. Falando nisso, os personagens de LIS são incríveis! Todos marcam de alguma forma. A própria Max é um exemplo e eu nem tenho um amor platônico por essa menina.  Ela cita filmes, games e coisas geeks em geral. Desde Douglas Adams até Twlight Zone, Akira e Scott Piligrim.

 

 

Ela tem duas manias:

Ela fala sozinha frequentemente – eu também faço isso, mas ok – por exemplo: Quando ela destranca alguma porta ela diz que é a “MaxGyver”, fazendo uma referência ao seriado fodástico MacGyver. Ou quando ela pira com algo e ela diz que entrou no modo Mad Max, fazendo referencia ao filme do Mel Gibson.

O f*da do jogo é que não é algo inacreditável como De Volta Para O Futuro, onde tudo é exagerado. É algo crível. Eu mesmo conheço uma “Max Caulfield”. A cidade, os personagens, tudo nesse jogo é provável se você parar para refletir.

E ela é MUITO enxerida. Sério. Ela olha o que não tem que olhar, vê e-mails, vasculha gavetas, até o lixo ela olha! Mas é claro que isso vai de como você joga o jogo, porém em geral ela é muito enxerida. Um assunto que o jogo aborda que acontece muito nos EUA (e até mesmo no Brasil) é o fato de que meninas são dopadas em festas e levadas para lugares que não querem ir, sendo violentadas ou até mortas. Isso é sério e realmente perigoso. Por isso sempre que você estiver em uma festa, vá com alguém de fato confiável e não aceite bebidas ou deixe sua bebida fora de visão. Você provavelmente não voltará no tempo como a Max. De qualquer forma, a maioria dos diálogos têm escolhas, além de suas ações no jogo que também influenciam a história.

meio

É ai que o jogo brilha. Como ele mexe muito com esse conceito de efeito borboleta e Teoria Do Caos, tudo que você faz no jogo possui alguma consequência. Seja uma bobinha, do tipo se você não regar a planta no episódio 1 ela morre no episódio 3. Até você alterar uma linha temporal inteira (alô Barry Allen) por uma mudança que você faz por achar o certo, mas que acaba tendo uma consequência que arranca uma lágrima de seus olhos (episódio 3, entendedores). Um aspecto legal de LIS é que se você quer saber algo sobre a Max, ela tem um diário no menu do jogo, eu acho legal para as pessoas que gostam de se aprofundar na história lerem.

Também tem uma sessão de SMS aonde você vê as mensagens que ela troca com a Chloe, Kate e Warren ( o amigo super nerd dela, me identifico :v ). As conversas são incríveis. Tem uma da Chloe e Max que é muito fofa.  Você também tem fotos opcionais nos cenários que são os Easter Eggs do jogo.

Uma personagem que te deixa com o coração na mão durante o jogo é sem duvidas a Kate. Principalmente no episódio 2. O Jogo basicamente rola em diálogos, então se você não tem saco pra jogos como esse é melhor não jogar, deixa para uma próxima. Os diálogos consistem, como diz a Max no próprio jogo em “Dramas Adolescentes”. “Jack, já sou um vei paia, não vou ter paciência pra isso!” Calma, não é algo como seriados americanos. Envolve família, união, depressão, Bully (que é criticado de uma forma que deixa seu coração na mão no episódio 2, quem jogou já “manja”) e etc. É extremamente interessante e envolvente.

fim

O Carisma dos personagens é extremamente bem construído, não fosse por isso o jogo seria cansativos. Logo, você só anda e corre no jogo. Os gráficos são bem ultrapassados, em contrapartida a arte do jogo é FANTÁSTICA! Cada cenário parece uma fotografia, o que combina muito com o jogo.

A trilha sonora nem se fala! Adicionei na minha playlist. Cada musica combina exatamente com a situação do jogo. Deixarei até o link da musica inicial do jogo que é ótima para caminhar na chuva, viajar, ou andar no corredor da escola  (https://www.youtube.com/watch?v=YwJqUbd1vzs ).

Life Is Strange, pode ser um jogo que irá marcar tanto sua trajetória como Gamer quanto sua vida por inteiro. Toda vez que me perguntam o porquê jogar esse jogo, a resposta é simples. Ele é como a vida. E a vida realmente é estranha. Tudo que ocorre no game, exceto a viagem no tempo, é possível acontecer na vida real. Mas se você tá pouco se f**endo para história ou reflexões e quer saber de gráficos e uma história não tão profunda, talvez LIS não seja a melhor opção pra você.

Dou a Life Is Strange a nota de 4.7/5 por um motivo simples. O jogo é perfeito, mas os gráficos pecam em alguns aspectos. Não são raras as vezes que ocorre delay de renderização ou falta de sincronia labial. Mas de resto é um jogo maravilhoso.

Bem, essa foi minha resenha de Life Is Strange, espero que tenham gostado.

Um abraço,

Jack

Para me encontrar na rede e enviar seu email acesse:
contato@spherageek.com
Twitter: @JackSpheraGeek232

One thought on “Sphera Games #18: Prepare-se Para Chorar – Life Is Strange

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>