Sphera Literária #38 – Eu, escritor: Você acredita em Papai Noel?

Apresentamos nossa convidada do mês de fevereiro, a professora Clélia Gimenes . Ela nos relata sua experiência na escrita de um conto que foi publicado em Dezembro 2015 pela editora In House. O livro é todo pautado na temática natalina e não só nossa convidada participou mas sim vários autores.

Se você gostaria de ter mais informações sobre este livro entre em contato conosco pelo email: clubedolivro@spherageek.com

IMG-20160129-WA0012[1]

Você ainda acredita em Papai Noel?

Por Clélia Gimenes

O título é uma metáfora para mim. Leio desde sempre. Os livros sempre foram minha maior paixão. Viajei por muitos lugares, conheci culturas e costumes, vivi romances e aventuras, travei batalhas sangrentas, sem nunca ter saído do lugar. A literatura dá essa possibilidade, é  incrivelmente libertadora.

Comecei a escrever aos 15 anos, era uma válvula de escape. Alguns contos, diários e muitas poesias que provavelmente, estão amareladas, perdidas em algum lugar na casa de minha mãe, que insiste em guardar feitos meus e do meu irmão.

A necessidade de trabalhar para viver e as obrigações da maturidade sufocaram a vontade de escrever. Longos anos se passaram até a escrita de novos contos e a publicação do primeiro.

Conheci a Editora In House através de uma amiga, também escritora. Simone Andreazzi já havia publicado 3 livros e vários contos e poesias. Falei a ela sobre meu desejo de menina e a mesma convidou-me a participar de uma coletânea que aconteceria no final do ano de 2015. A temática

seria sobre o NATAL. Eu não tinha nada escrito sobre isso, mas dediquei-me algumas horas sobre o computador e saiu meu conto: A majestosa garrafa de champanhe.

A editora In House é dirigida por Márcio Martelli e Ruth A. Rodrigues, dois grandes idealizadores e escritores. Mandei o conto por email, que foi revisado pela equipe da editora. A escolha da capa foi  da mesma, que por sinal achei extremamente pertinente ao tema e ficou linda!

O custo é organizado pela editora, dividido pelos autores da coletânea, que varia de acordo com o número de páginas que os textos ocupam na obra. Achei acessível.

A tarde de autógrafos deu-se em Jundiaí, foi emocionante e com cara de sucesso! Os textos que compõem a obra são lindos, que variam entre contos, crônicas e poesias. Conhecer outros autores também completou a mágica do dia.

É emocionante abrir um livro que tem você como autora, mesmo que seja somente um conto! Agora quero publicar meu livro. Não vejo a hora! E quanto a metáfora do título? Sim, eu ainda acredito em Papai Noel.