SpheraRetro #05 – CDZ Ômega: A Nova Era dos Cavaleiros de Atena (eX-SpheraJPop)

Por João Pedro/Urashimak,

Vamos começar pela sinopse dessa nova aventura dos cavaleiros.

“O Deus da guerra e guardião do planeta de nome semelhante ao seu, Marte, foi selado uma vez por Seiya, porém muito tempo se passou e seu renascimento está próximo. Enquanto isso, Saori Kido(a Deusa Atena), está criando um menino chamado Kouga, cujo a vida foi salva por Seiya, e ele vem treinando diariamente, mesmo contra vontade, para se tornar um cavaleiro, afim de preparar-se para a crise que se aproxima. Sem saber do destino que lhe aguarda, Kouga luta para despertar o seu Cosmo adormecido dentro de si, e quando isso acontecer, a cortina se levantará mediante a lenda de um novo cavaleiro.”

 

Como muitos sabem, até um tempo atrás, estava sendo lançado um Spin-Off de CdZ intitulado Lost Canvas, que narra a batalha contra Hades anterior à lutada por Seiya e seus companheiros.

Lost Canvas foi produzida pelo Estúdio TMS Entertainment, enquanto todas as outras séries animadas referentes à CdZ tinha sido produzida pela Toei Animation.

Recentemente, produtores do estúdio TMS, anunciaram o cancelamento do projeto de Lost Canvas, devido a baixa popularidade da série no Japão e a pouca vendagem de produtos relacionados à ela.

CdZ: Omega marcou a volta do cavaleiros de Atena para o estúdio que consagrou a série. Porém, em novembro do ano passado, o Character Design responsável por todos os projetos produzidos pela TOEI referente à CdZ, ShingoAraki, faleceu. Com isso, uma nova equipe teve que ser delegada para esse projeto. A Toei, baseando-se no insucesso do spin-off, decidiu que estava na hora dos Cavaleiros ganharem um novo visual. Seria uma série com visual mais moderno, que agrade crianças do século 21, mas que possa manter um roteiro que agradem os antigos fãs. Dessa ideia, nasceu Saint Seiya Omega.

Acredito que na intenção de agradar novos fãs, a série consiga obter o sucesso esperado, já que contou com a equipe responsável pela série Heartcatch Precure (Uma das séries da atualidade mais populares entre o público infantil no Japão) na produção desse novo visual. Agora, com relação a um roteiro que agrade os antigos fãs, deixou (e muito) a desejar. Então será uma árdua tarefa conquistar esse público mais antigo e exigente da série clássica.

Como considerações finais, a série é boa, porém poderia respeitar algumas coisas que fazem referencias a série clássica. O visual, apesar de “infantilizado”, possui muita qualidade. Se tiverem a oportunidade, assistam e tirem suas próprias conclusões, pois aguardarei comentários.