maxresdefault

[ST] K-Pop 101 O que aprendi até aqui

Fala Galera,

Volto aqui para contar alguns pontos interessantes que descobri ao longo desse mês imerso no K-Pop. A primeira vez que ouvi falar de uma cena musical coreana foi com o Rapper Psy. Imagino que a maior parte de vocês conheçam o clipe de Gangnam Style, febre em 2012 se tornando recordista de visualizações no YouTube naquele ano. Ainda que o artista tenha sido inclusive reconhecido pelo governo do país pelo feito, ele não me parece um exemplar do que conhecemos hoje como K-Pop e que já estava rolando na época. O luxo e glamour, soam caricatos, as coreografias complexas são substituídas pelo galope desajeitado e por aí vai.

Nesse retorno ao K-Pop ouvi de muitas pessoas, e tenho certeza que vocês também, que é tudo muito fabricado, planejado e pouco artístico. Isso é parcialmente verdade. Certamente tudo é muito planejado, e até certo ponto fabricado. Esqueçam a história romântica de dois amigos na escola procurando um terceiro para tocar por diversão nas ruas e festinhas do bairro. Ou amigos se reunindo para ouvir bandas que todos gostam e se reunindo para tocar alguns covers ou algo parecido. A única história que encontrei foi a do The Rose (não por acaso uma das minhas favoritas).

Apesar disso, talento está envolvido, e muito. E “só” talento não é o bastante. Pessoas de todo o mundo são recrutadas por seu talento incomum, selecionadas por olheiros na rua, shoppings, outros países, e até em processos de seleção formais. Uma vez selecionados os de talento incomum, começa uma etapa pesada de treinamento em qualquer área que possa ajudá-lo no seu futuro papel de Idol. Isso pode variar entre dança, canto, idiomas, composição.

Mas o que acontece quando eu menciono que entrei no K-Pop, e tenho gostado muito? A maior parte das pessoas que me conhece estranha. O estilo de música é muito embasado em eletrônica e dança. Também se trata de um estilo que normalmente não valoriza o instrumentista (toco alguns instrumentos diferentes, há muitos anos). Ele se baseia, em grande parte no visual. Nada disso realmente se parece muito comigo. A verdade é que o K-Pop é bem abrangente. Encontrei bandas das mais diferentes vertentes, dentro do rótulo K-Pop. The Rose é formado por músicos e, frequentemente, me lembrou Roxette (isso é um grande elogio no meu caso). CNBlue, com o guitarrista que participou do clip do Mamamoo no último post, tem ótimos instrumentistas.

Mesmo as bandas de vocalistas tem pessoas de enorme talento a frente. Sinto falta de conhecer os nomes por trás das composições. Tudo que sei é que alguns são ex-idols. Imagino que cada uma das três grandes gravadoras tenham um time forte de composição. De certa forma, isso me lembra o The Funk Brothers. Essa banda compôs e tocou a maior parte dos hits da Motown, mas ninguém sabia quem eram a não ser o pessoal da gravadora. A história deles pode ser conhecida nos documentários Standing in the Shadows of Motown e Motown – The Funk Brothers.

Um ponto curioso, mas infeliz, é que o catálogo do Deezer com relação ao estilo é bem pobre. Vários grandes nomes só podem ser encontrados no Spotify, Google Play e Apple Play. Claro que, com toda a força que colocam nos clipes, a presença no YouTube é enorme.

Considerando o tamanho do Deezer no país, pela sua parceria com uma das maiores operadoras de telefonia, isso é uma realidade frustrante. Os CDs são incríveis, verdadeiros itens de colecionador, mas difíceis de serem encontrados e bem caros. Estou estranhando muito a questão da compra de discos pois esses não se encontram disponíveis geralmente, mas tem que ser encomendados. A maioria das lojas passa mais uma impressão de ação entre amigos que de algo profissional. Por indicação do fandom, de uma das bandas que mais gostei até agora, acabei de receber minha primeira encomenda com dois títulos da loja 218Shop e só posso agradecer a Rayane por todo cuidado em esclarecer cada um dos detalhes, a fim de realizar minha primeira compra.

Bandas recomendadas pelo Sphera:

É com enorme medo que escrevo isso, até por que tem uma quantidade enorme, em especial das gerações anteriores que eu não conheço, mas vamos lá…

As Meninas: Mamamoo, Black Pink, Loona

Os Meninos: BTS, Stray Kids, Exo

Os Músicos: Day6, The Rose, CNBlue

Por hoje é só e qualquer hora eu volto com mais música… Não saiam do tom.

Rodrigo Fernandes