[ST] Música Independente e sua Fórmula Mágica – Carbona de Volta

Fala Galera,
Já são 20 anos de uma noite no bar reclamando que as bandas que estavam tentando não davam certo, muita história para contar e muita poeira nessa estrada.  Essa semana o Spheratons entrevista…
A banda carioca Carbona com 10 discos lançados, duas coletâneas de raridades, 5 turnês nacionais e passagens por Estados Unidos e Canadá está voltando com o disco de estréia da Morcego Records.  O EP será lançado em vinil e plataformas de streaming no dia 15/Setembro, mas seu primeiro single Fórmula Mágica está sendo lançado hoje .  Forte representante da cena independente nesses 20 anos, a banda conta com Henrique Badke (Guitarra/Voz), Melvin (Baixo), Pedro (Bateria) e Bjorn Hovland (Guitarra).  Conversamos com o Henrique na entrevista abaixo sobre a carreira, o lançamento, a banda e a gravadora na entrevista a seguir e tudo que eu posso dizer é escutem pulando e leiam com atenção por que temos grandes dicas de lançamentos para incluir na playlist de cada um…
Carbona_foto_jan_hovland
SG: Oi Henrique, em primeiro lugar eu quero agradecer pela oportunidade de conversar conosco do Spherageek nesse lançamento.  Também  dar os parabéns pelas comemorações dos 20 anos da banda. Vocês parecem estar se divertindo muito com a data, mas tenho certeza que todos os fãs estão apreciando o acesso a todo esse material e história.  Como vocês estão encarando essa retomada?
HB: Eu que agradeço o espaço e o interesse pelo trabalho do CARBONA. O ano tem sido até aqui bem especial. Tínhamos planejado no início de 2017 algumas atividades para comemorar nossos 20 anos de estrada e o resultado foi bem bacana. Lançamos duas coletâneas de raridades e lados B, a Rock n Roll High Skull Vol.1 e Vol2, sendo uma da fase inicial dos discos gravados em inglês e o volume 2 com músicas da fase em português, conseguimos finalmente disponibilizar toda a discografia da banda nos serviços digitais, “abrimos o bau” de fotos que contam um pouco da nossa trajetória e , por fim, estamos agora lançando o Fórmula Mágica, EP com 6 músicas disponibilizado em vinil e digital.
SG: O material disponível foi ótimo.  Eu tenho parte deles em CD e foi ótimo poder ouvir de novo, de maneira fácil e com boa qualidade, todo o material.  As coletâneas também apresentam ótima qualidade de som, o que nem sempre é o caso nessas raridades e em especial Demos.  Tenho ouvido o vol. 2 nos últimos dias e continua muito divertido.
Fiquei muito intrigado com a escolha das mídias para o lançamento.  O Vinil está por um preço bem legal, mas nem todo mundo tem onde ouví-lo.  Vocês chegaram a considerar o CD também para esse lançamento?
HB: Os lançamentos deste ano ficaram a cargo da Morcego Records, que é o selo que montei no início do ano e conversando com o resto dos integrantes do CARBONA chegamos juntos neste desenho. Desde o início decidimos que o Rock N Roll High Skull seria tratado como discos direcionados para os fãs mesmo , com toda divulgação feitas em redes sociais e com foco todo no digital. Já sabíamos ali que viria o EP com inéditas e achamos que não faria sentido, por exemplo, trabalhar três discos num ano só nos mesmos canais e junto à imprensa tb. O Vinil veio como uma escolha conjunta da Morcego com a banda que já tinha vontade de ter algo no formato há muito tempo.  É algo que faz parte das nossas influências e estórias, crescemos ouvindo 7″s das bandas da Lookout por exemplo, e achamos também que daria um bom formato para um disco comemorativo. A ideia de disponibilizá-lo junto ao mesmo tempo nos serviços digitais vem justamente para que todos tenham oportunidade de ouvi-lo já que o vinil restringe um pouco. Existe sim a possibilidade de lançá-lo posteriormente no formato CD Digipack mas não é uma prioridade ainda.
SG: O single chega antes do EP às mídias sociais apresentando esse material novo ao público.  Existe a ideia de lançar algum material em vídeo junto?
HB: A gente quer no dia do lançamento do EP, no dia 15, disponibilizar alguns vídeos dos integrantes do CARBONA falando sobre as músicas, alguns detalhes da produção mas devo confessar que ainda não fechamos a produção. Mas acredito que conseguiremos viabilizar. A ideia é que cada um possa falar um pouco de como foi o processo de gravação em meio aos 4 dias de ensaios , shows , durante a passagem do Pedro e do Bjorn que estão morando fora do Brasil. Se tudo correr bem, neste final de semana a gente conclui isso.
SG: Será muito interessante ter acesso a esses bastidores.  Com o Pedro e o Bjorn fora do Brasil, a banda deve sofrer alguma modificação de formação, pelo menos ao vivo?  teremos uma tour com esse material?
HB: Em abril nos apresentamos como trio, que foi a formação original da banda durantes os primeiros 14 anos. A gente no início ficou em dúvida como seria se apresentar sem o BJorn, principalmente nas músicas dos discos que vieram após o Dr Fujita, primeiro que ele gravou, mas nos surpreendemos! Nos sentimos bem com o formato e o show funcionou super bem. O Bjorn entrou na banda e se tornou um membro permanente que ajudou a moldar a cara que o Carbona tem hoje em estúdio, mas essa flexibilidade por parte dele e da banda é fundamental pra gente poder chegar até aqui. Faremos agora em outubro 5 shows de lançamento do EP e estaremos mais uma vez nos apresentando como trio. Falamos muito em gravar a distância e agora com essa flexibilidade podemos também fazer mais shows.
SG: Espero conseguir acompanhar algum deles. Realmente é interessante essa flexibilidade na formação da banda.  Com relação as músicas percebi que Fórmula Mágica não será a primeira música apresentada.  Escafandro foi gravado no formato acústico em um de seus EPs solos.  Podemos esperar um rearranjo na música?
HB: Escafandro ganhou uma versão turbinada , mais veloz, trazendo no EP uma porção de influências das bandas de hard core dos anos 90. Essa música é uma das favoritas do EP que gravei sozinho, o Espaço Ciferal, e desde que fiz a música tinha imaginado ela gravada com o CARBONA.
SG: Existe alguma chance de um caminho inverso, com um set acústico curto de músicas do Carbona nessa vibe do trabalho solo?
HB: Olha a gente já pensou algumas vezes em fazer algo assim, o problema é que toda vez que a gente pensa nisso eu sempre acabo incentivando a aplicar o tempo e recursos num novo disco de inéditas (risos). Mas não seria impossível. Todas as músicas do CARBONA nasceram como músicas compostas no violão, no quarto, então elas funcionam bem neste formato. Se você visitar meu instagram http://www.instagram.com/umavidatresacordes verá que tem algumas versões de música do CARBONA na viola e voz, no meu quarto, com cerveja na mão, risos. É um formato que gosto muito. Não me surpreenderia se um dia fizéssemos algo assim.
SG: Tenho certeza que muitos fãs achariam interessante algo assim.  De repente lado B de single ou música de volta para o bis  seriam incríveis.
Eu queria falar um pouco sobre a gravadora, de onde surgiu a ideia / necessidade da gravadora própria?
HB: Isso é um sonho antigo e recentemente me dei conta, aos 42 anos, que se demorasse mais tempo talvez teria que ficar para uma próxima passagem física (risos). Sou fã de musica desde os 10 anos, estou com 42. Trabalho com música digital há 8 anos, e toco há 25. Fazer coisas na música fazem todo sentido dentro da minha história de vida e tentei me encorajar para respirar fundo e ter a energia e espírito esportivo que requerem a empreitada. No final das contas, acho que estava certo por que independente do que aconteça , da minha capacidade de tornar isso uma atividade sustentável, o ano tem sido incrível e muito melhor do que seria sem a Morcego. Estou trabalhando com artistas incríveis, caçando discos bacanas, de gente que admiro e sou fã. Portanto só de olhar para estes discos, eu já sinto todo o prazer que achei que poderia sentir com essa empreitada.
SG: Percebi que em um primeiro momento os nomes envolvidos eram de gente próxima a você e a banda, como o Kaly (que se lembro certo, compôs algumas faixas do Carbona ou com o Carbona).  depois veio anúncio de nomes que não havia relacionado antes à banda como Os Thompsons.  Esse universo realmente tem se expandido?
HB: De uma maneira geral todos os lançamentos que tenho agendado para o segundo semestre têm algum tipo de relação com o CARBONA nestes 20 anos. O Gustavo Kaly é autor de músicas que já gravamos como O Mundo Sem Joey que gravamos no Taito, ele é co autor, e aparece cantando, em Dançando The Doors com Garotas ao Redoors no Cosmicômica e depois gravamos Lindos Refrões que um Velho Ensinou no Apuros. Alem disso havíamos feito shows juntos há muitos anos atrás. Sou fã do trabalho dele, sempre conversamos muito sobre possibilidades de parcerias e quando pensei no selo não pensei duas vezes. Trabalhamos juntos pra resgatar o Trilha Sonora para nossas vidas, primeiro trabalho dele gravado ainda na década de 90 e agora sai em cd digipack, o Primavera Punk e outras estacoes do falso jazz, uma coletânea com um pouco de tudo que ele fez e fará, já que adianta uma música do disco inédito que ele lança no ano que vem. Depois teremos single do Magaivers, banda parceira de longas datas com quem já fizemos dezenas de shows nas turnês do início dos anos 2000, Zumbis do Espaço, banda com a qual já tocamos também inúmeras vezes , Os Torto, do Davi Pacote , O Motor City Madness do Sergio que era da Los Vatos e com quem fizemos shows nos 2000. Mas tem mais coisa vindo por aí e não existem regras. Só acho que seja natural buscar parcerias com bandas que gosto e que ao longo dos 20 anos já havíamos trabalhado. Por outro lado espero ansiosamente o disco de uma banda carioca de hardcore que começa seus trabalhos este ano.
SG: E é bom ver que parte desse material já está aos poucos se fazendo presente no streaming como o Trilha Sonora Para nossas vidas que você mencionou.  A ideia é disponibilizar todo o conteúdo nesses canais?
HB: Sim, todos os lançamentos da Morcego Records serão sempre lançados nos serviços digitais. Nem tudo terá formato físico, mas sempre estará disponível nos canais digitais. Existem inúmeros materiais que gostaria de resgatar e lançar, como as demo tapes do Barneys, banda de hardcore melódico com  a qual toquei de 93 a 97, mas não tenho mais as masters e tudo que restou foram arquivos mp3 extraídos de k7 então a qualidade não é lá essas coisas.
SG: Vai ser um prazer acompanhar essa jornada, conte sempre conosco para divulgar os lançamentos.
HB: Demais! Tenha certeza que vou estar sempre dividindo as novidades com vocês e seus leitores.
SG: Eu quero muito agradecer sua disposição e disponibilidade Henrique e torço por todo o sucesso nessa nova empreitada.  Desejo sucesso e deixo o espaço aberto para você se despedir dos leitores e deixar qualquer mensagem que queira.
HB: Agradeço ao SpheraGeek pelo espaço e interesse no trabalho do CARBONA e faço um brinde a todos que veem na música uma forma de diversão e alegria! Quem quiser ficar por dentro das novidades da Morcego ou do CARBONA segue a gente la no http://www.instagram.com/morcegorecords ou então no facebook! Abraços!
SG: Valeu Henrique.

PS: Entre a realização da entrevista e o seu lançamento foi formalizado o lançamento do Zumbis do Espaço que ele mencionou, em vinil com edição limitada de 300 unidades numeradas a mão na sexta feira 13 de outubro.  Boa escolha!  Me entusiasmo de ver a chegada de uma gravadora apostando em plataformas digitais e produtos físicos premium.  Tenho certeza que ainda falaremos da Morcego Records que não só estréia tão bem, mas já promete tanto para ainda esse ano.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>