048837

[SC] Lançamento do Longa Your Name (Kimi no na wa)

Ohayo,

Enfim a animação japonesa mais assistida no mundo está estreando no Brasil pela rede cinemark.

Vale salientar outras vitórias do filme como: a maior bilheteria da história e foi eleito o Melhor Filme de Animação em 2016 pela Associação dos Críticos de Cinema de Los Angeles.

Sinopse

Mitsuha Miyamizu (Mone Kamishiraishi) é uma jovem que mora no interior do Japão e que deseja deixar sua pequena cidade para trás para tentar a sorte em Tóquio. Enquanto isso, Taki Tachibana (Ryûnosuke Kamiki), um jovem que trabalha em um restaurante italiano em Tóquio, deseja largar o seu emprego para tentar se tornar um arquiteto. Os dois não se conhecem, mas estão direta e misteriosamente conectados pelas imagens de seus sonhos.

SpheraCast 11 - OPOdcastÉDelas Animes, mangás e mangakás Quadrado cópia

SpheraCast #11 – Animes, Mangás e Mangakás Femininas #OPodcastÉDelas

 

Feed / iTunes / Android / Download / Como Assinar um Podcast

Olá amigas e amigos do SpheraGeek,

Com muito amor no coração temos a honra de ser o último Podcast do projeto #OPodcastÉDelas a lançar um episódio.

Arita Rigonato e Thiago Simão, recebem Thatá Finoto do PQP Cast,  do Mitografias e  Priscila Rúbia do Leitor Cabuso/Cabuloso Cast e Perdidos na Estante, para um papo massa sobre personagens, animes e mangakás femininas e o seu impacto social.

Lembrando que esse cast faz parte do projeto #OPodcastÉDelas, para saber sobre os outros episódios é só clicar aqui, e sobre quem está participando clique aqui.

 

Mural de Recados

Domenica Mendes do  Leitor Cabuso/Cabuloso Cast e Perdidos na Estante

Rodrigo Basso do Covil Geek 

 

Link

(Breve)

 

Sphera na Rede

Instagram e Twitter : @spherageek
Snapchat: spherageek

 

 

anime-2

[SC] Lista de 5 animes para iniciantes

Fui incumbido com a tarefa de escolher 5 séries de anime para quem está começando a apreciar esse formato de animação tão distinto. Escolhi aqueles que talvez tenham ajudado mais a moldar minhas preferências e não necessariamente meus animes favoritos. (Dei uma pequena trapaceada na lista, mas vocês não se importam né?)

 

1 – Dragon Ball

Uma das escolhas mais óbvias está aqui porque é divertido e fácil de acompanhar. Gosto mais da primeira fase da história, focada na busca pelas esferas. É muito mais uma aventura com algumas lutas e várias situações cômicas. Goku criança é muito fofinho e tem o vilão mais estiloso de todos os tempos, Tao Pai Pai. A fase “Z” vai se concentrar nas lutas titânicas e devastadoras e para mim só vale a pena até o encerramento da saga do Cell. Dragon Ball Super? Ugh!

(Se você gostar de Dragon Ball, provavelmente gostará também de Yu Yu Hakusho)

 

2 – Clannad

A primeira temporada é pouco mais do que um draminha escolar com um menino protagonista numa situação de harém. Foi um dos primeiros animes desse gênero que acompanhei, os personagens são cativantes e a história é divertida e melancólica na mesma proporção.

É a segunda temporada que vai fazer você se recordar desse anime. O garoto escolheu a garota e terminou a vida escolar. E agora? Bem, agora vamos ver o casal entrando na vida adulta, passando por fases boas e algumas tragédias. Os personagens secundários fazem algumas participações e também é mostrado como estão se virando com suas vidas. Se você não tiver um coração de pedra, é garantido que vai chorar em algum momento.

(Se você gostar de Clannad, é provável que também vai gostar de Honey and Clover)

 

3 – Fullmetal Alchemist: Brotherhood

A história se passa num mundo governado pela influência do poder da alquimia, que pouco tem a ver com o conceito de alquimia que conhecemos no nosso mundo real. Nesse universo os alquimistas são capazes de feitos e proezas quase divinas. Acompanhamos os irmãos Elric numa jornada de redenção que toma proporções épicas.

Desenvolvimento dos personagens, visual, profundidade de enredo, ritmo da narrativa, praticamente tudo nessa animação é excelente. Também conta com sequências de ação muito bem feitas. No meu coração ele divide lugar com apenas mais uma série no topo.

Existe uma versão mais antiga, que até que é legal em alguns pontos, mas é bem chata e confusa numa grande parte dela.

(Se você gostou de Fullmetal Alchemist: Brotherhood, talvez goste também de Code Geass)

 

4- Parasyte (Kiseiju)

Shinichi é um adolescente japonês comum que vê sua vida virar do avesso depois de ter seu braço direito substituído por uma forma de parasita alienígena inteligente.

Parasyte é um anime muito interessante por tratar  de questões morais, filosóficas e até ecológicas com uma narrativa bastante versátil. A animação consegue equilibrar momentos de tensão e seriedade com outros de leveza e divertimento. É muito satisfatório acompanhar a evolução da relação entre o protagonista e o alienígena que divide o corpo com ele, carinhosamente apelidado de Migi.

(Se você gostar de Parasyte, talvez acabe gostando também de Ajin)

 

5 – Cowboy Bebop

Lembra quando eu falei sobre um determinado anime que dividia meu coração com Fullmetal Alchemist? Cowboy Bebop foi uma das primeiras séries que conheci no período inicial da popularização dos animes pela internet.

O enredo acompanha um grupo de caçadores de recompensa tentando se virar num universo futurista onde a humanidade já possui uma tecnologia avançada o suficiente para explorar o espaço. A animação mistura elementos sci-fi e noir, e também usa várias referencias cinematográficas e musicais da cultura pop. Todos os personagens da tripulação têm uma vida pregressa da qual estão tentando escapar.
Cowboy Bebop é estiloso e muito bem feito, da trilha sonora até a qualidade visual da animação, que oferece cenas de ação e pancadaria muito boas.

(Se gostar de Cowboy Bebop, provavelmente vai gostar de Samurai Champloo)

 

É isso gente, tentei diversificar o melhor que pude dentro do meu gosto para animes, pois é importante lembrar que a produção é MUITO diversificada. Deixei bastante coisa importante de fora, infelizmente.

Não existe essa coisa de “não gosto de animes”, é apenas uma questão de não perder tempo com coisas que não lhe agradam totalmente. Seu gosto pode evoluir com o tempo, ou você pode muito bem curtir o mesmo nicho para todo o sempre.

Abraços,

Nelson.

e094e6b37fed5a982f4eadc60f227b0f1410101259_large

[SC] Digimon – A volta da franquia

Por Kaká (Renaldo Freitas),

A série animada Digimon (digital monster) comemora este ano seu 15° aniversário e para não ficar atrás do seu grande rival, o Pokémon, lançou e ainda esta lançando ovas da continuação do primeiro anime lançado Digimon Adventure, mas vamos ver direitinho desde o início…O anime criado por Akiyoshi Hongo e distribuído pela Bandai e logo depois pela Saban, por adquirir todos os direitos da franquia (menos no Japão), começou como o virtual pet, ou mais conhecido como Tamagotchi, em 1997 e no ano seguinte foi lançado um jogo chamado Digital Monster para Sega Saturn.

Em seis de março de 1999, foi lançado o primeiro filme da franquia, tendo em seguida no mesmo mês o lançamento do anime Digimon, em que nele um grupo de crianças de férias para acidentalmente num mundo digital chamado digimundo através de um portal, onde conhecem seus parceiros digimons. E o que seria o digimundo vira um mundo digital (ciberespaço)-descoberta que os telespectadores fazem junto com as crianças e é a partir dai que a aventura começa. As crianças têm que descobrir como voltar para o mundo real e também ajudar seus parceiros digimons a salvarem o seu mundo.

Digimon Adventure teve uma temporada com 54 episódios e depois do seu término foi lançado um segundo filme para assim, iniciar sua sequência Digimon Adventure 2 com 50 episódios. Nesta segunda temporada, a aventura se passa três anos após os eventos da primeira temporada e apresenta quatro novas crianças que irão compor o grupo. Este grupo que agora se encontra mais velho passa a fazer participações especiais durante a temporada, com exceção do Takeru “T.K.” Takaishi e Patamon e da Hikari “Kari” Kamiya e Tailmon, que continuam sua jornada ao lado dos novos integrantes, agora podendo acessar o digimundo sempre que quiser através de qualquer computador utilizando seus novos “digivaices”, aparelhos que são dados às crianças para auxiliar seus parceiros digimons a evoluir em vários níveis diferentes durante as batalhas. A partir do término da segunda temporada, a franquia Digimon muda o seu rumo criando outras histórias sobre o digimundo e seus habitantes digimons, mas sempre com a mesma premissa em que crianças são escolhidas e estas teriam seus companheiros digimons com os quais lutariam juntos para salvar o digimundo e o mundo real. Foram lançadas depois mais cinco temporadas em que cada uma possuía um título diferente e uma história toda nova, dizendo onde se passaria o enredo, digimundo ou mundo real, novos meios de batalha dos digimons e novas criaturas também. São eles: Digimon Tamers, Digimon Frontier, Digimon Savers, Digimon Xros Wars (este possui dois arcos de temporada, uma no seu lançamento 2010 e sua continuação em 2012), Digimon Universe: Appli Monsters.

No evento do 15º aniversário de Digimon Adventure em agosto de 2014, foi anunciado que seria feito uma nova série do Digimon para comemorar o aniversário da franquia. Alguns detalhes básicos da história foram revelados em setembro de 2014 depois que uma quantidade de fãs jogou um jogo no site oficial. Em dezembro de 2014 a Toei Animation anunciou o título completo da série, Digimon Adventure Tri e do elenco que retornava a franquia, sim, as crianças da primeira temporada sendo uma continuação direta do Digimon Adventure.

A história agora se passa três anos após o enredo do Digimon Adventure 2 e as crianças, agora bem mais velhas, já se encontravam cada um seguindo o rumo de sua vida. Esta “nova temporada” foi divida em quatro filmes, tendo o primeiro filme com título Reunião (lançado em 21 de novembro de 2015), o segundo filme foi Determinação (lançado em 12 de março de 2016), o terceiro filme foi Confissão (lançado em 24 de setembro de 2016) e o quarto filme será Perda (este será lançado em 25 de fevereiro de 2017). Estes filmes foram lançados no cinema japonês, mas em sites streamings, eles foram divididos em episódios constando em 13 no seu total até agora. Nele vemos uma nova ameaça surgindo no mundo real e os digimons vindo do digimundo para encontrar com seus parceiros, ajudar a lutar contra digimons que estão aparecendo no mundo real e causando grandes destruições e também para desvendar o mistério que é apresentado durante o decorrer da história, com isso, uma nova digiescolhida (sendo ela a nona criança escolhida, além das quatro apresentadas em Digimon Adventure 2) é inserida no anime.

Os traços do desenho estão bem diferentes da primeira temporada e de todas as outras, indicando o quanto o anime evoluiu com o passar dos anos e com isso, mostra o quanto as crianças amadureceram fisicamente. O enredo se mostra bem envolvente e aborda temas mais sérios, mas sem perder o tom do anime que conquistou os telespectadores, para mostrar que o anime não é só para os fãs mirins, mas também para aquela geração que acompanham a franquia desde o início e viram as crianças crescerem desde quando foram para o digimundo na primeira temporada. A série está sendo dirigida por Keitaro Motonaga, com roteiros de Yuuko Kakihara e design de personagens por Atsuya Uki.

A franquia possui hoje diversos brinquedos, jogos eletrônicos, mangás e outros filmes derivados de suas temporadas, sendo uma febre mundial e um grande rival de Pokémon.

 

digimon_12th_anniversary_by_dikpeach92-d42ep0p

cartaz

[SA] Sakamoto – Anime

Tenho o imenso prazer de apresentar o estudante colegial mais estiloso do mundo, o paladino do cavalheirismo estudantil e lorde supremo da compostura. Toda a prosa púrpura é pouca para defini-lo. Quem é ele? Ele é o Sakamoto.
“Sakamoto desu ga?” (ou “Eu? Sou o Sakamoto.” se você preferir em português) é um anime de comédia escolar que satiriza um dos estereótipos mais comuns e apreciados principalmente pelo público juvenil feminino de animes. O rapaz lindo e perfeito que se sai bem em absolutamente tudo que faz.sakamoto maravilhoso

“Nossa Nelson, esse anime deve ser muito chato então”! Você é quem vai me dizer…Digo que não, eventual leitor…Não mesmo!
O protagonista está começando o primeiro ano do colegial e ninguém o conhece, porém sua presença e elegância despertam a atenção de todos que o veem. As meninas suspiram e os rapazes rangem os dentes de inveja, tudo muito normal até aí. No entanto, Sakamoto não é apenas belo e estiloso, ele também é inusitado.

O rapaz transforma as tarefas mais corriqueiras em demonstrações ridículas de habilidade. A animação os tres delinquentescria diversos cenários absurdos nos quais o nosso fabuloso protagonista sempre mantém a pose e o ar de dignidade. Se ele senta na janela e começa a ler um livro, os sinos tocam e os anjos cantam no paraíso. Não demora muito até que os delinquentes se tornem também seus admiradores.

O anime também brinca com outras figuras comuns desse ambiente escolar. Tem o trio de delinquentes que procura maneiras de desafiar Sakamoto constantemente. A menina linda e popular que tenta chamar a atenção dele a qualquer custo. O menino gordo e medroso que sofre bullying. O príncipe delinquente que é uma espécie de contra-parte mais truculenta e menos talentosa de Sakamoto.

Uma das coisas mais legais é ver como todos esses personagens evoluem no convívio com o protagonista. Pois o jovem lorde não é apenas estiloso, ele espalha boa vontade e cavalheirismo, diferente do estereótipo arrogante e indiferente desse tipo de personagem. Apesar de ser um exímio atleta, nunca recorre à violência num conflito. Sempre auxilia qualquer um que se encontre em dificuldade, o que lhe rende as amizades mais incomuns.

diva popular da turmaComo me acostumei (e me afeiçoei) às bizarrices do humor japonês, teve apenas uma situação no anime que causou mais estranhamento do que divertimento. Algo envolvendo a mãe de um dos colegas do Sakamoto. Não entrarei em mais detalhes.

O anime é adaptado do manga homônimo que foi encerrado com 4 volumes no Japão. Já foi anunciada sua publicação no Brasil pela Panini, mas sem nenhuma data específica até então.

Enfim, se você curte animes escolares, Sakamoto é pra você…
Se está de saco cheio de animações desse tipo, Sakamoto é pra você…
Se gosta de melodrama e lição de vida, Sakamoto é pra você….
Se detesta animes com melodrama e lição de vida, Sakamoto também é para você…

A série tem apenas 12 episódios e está disponível com legendas em português brasileiro no Crunchyroll, o nosso Netflix de animes. Façam bom proveito!!!!

Abraços,

Nelson.

Cartaz Koutetsujou

[SA] Kabaneri of The Iron Fortress

Olá eu sou o Nelson …

A primeira coisa que vem à mente quando se vê a abertura ou qualquer imagem de Koutetsujou no Kabaneri (ou Kabaneri of The Iron Fortress se você preferir inglês) é de como o visual dele é bonito e interessante, o que em um anime representa muita coisa. A obra incorpora vários elementos do Steampunk misturados com ambientes do Japão feudal. Se fosse para classificar de maneira resumida, diria que é uma animação de zumbis num Japão da revolução industrial. Mas afinal, do que se trata a história?

O mundo foi assolado por um vírus que transforma humanos em criaturas vorazes com o único objetivo de se alimentar de tudo que tiver sangue correndo pelas veias. Em Hinomoto, país situado numa ilha, essas criaturas são chamadas de Kabane. A solução encontrada para evitar os estragos foi construir estações de trem fortificadas para abrigar o que resta da civilização. O único meio de transporte seguro entre essas fortificações seriam os Hayajiro, que são locomotivas encouraçadas.

MumeiLogo no começo, já vemos que existe um sistema de classes sociais bem rígido com os nobres e militares no topo e o restante servindo na base. A postura da classe trabalhadora é de completa submissão, o estado crítico de sobrevivência apenas reforça isso já que essas pessoas dependem dos soldados para protegê-las. Todos vivem aterrorizados pelos Kabanes, pois desconhecem a origem e a verdadeira natureza dessas criaturas. Alguém infeliz o suficiente para ser infectado pelo vírus, geralmente através da mordida, acaba com poucas opções. A mais bem vista pela comunidade é o suicídio através de um dispositivo explosivo aplicado direto no coração.

AyameÉ nesse contexto que conhecemos o protagonista, Ikoma. Ele é um rapaz que vive na estação Aragane e trabalha como ferreiro e mecânico. É bastante engenhoso e hábil com máquinas, sua maior obsessão é construir uma arma realmente eficaz contra os kabanes que possuem uma espécie de couraça muito dura envolvendo seu único ponto vital. O que mais gostei nele é a noção de racionalidade que guia as suas ações no anime, quando a maioria enlouquece logo que é confrontada pela ameaça dos monstros. Ele também meio que “caga e anda” para convenções sociais e senso comum, o que o deixa em situações difíceis e eventualmente trágicas.

É numa dessas situações que o rapaz conhece Ayame Yomogawa, primogênita da família que governa a estação Aragane e Kurusu, o bushi guarda costas da moça. Ayame é a típica donzela misericordiosa enquanto Kurusu é o cão de guarda que parece se importar apenas com o bem estar da dona.

Nosso querido protagonista desacata alguns bushis por testemunhar um ato de arbitrariedade e despreparo deles ao lidar com um possível infectado. Enquanto Ikoma está preso,  as coisas vão pro caralho e a estação é invadida por uma horda de kabanes. No meio desse inferno ele consegue testar sua muito eficiente e estilosa arma anti-kabanes, uma espécie de bate-estaca explosivo capaz de perfurar o núcleo dos monstros. Ele é mordido na luta e decide que não quer morrer e tão pouco se transformar, então através de um procedimento cirúrgico improvisado na hora do desespero ele consegue conter o avanço da transformação. Enquanto isso, em outra parte da estação, as pessoas tomam conhecimento da personagem super fofa e super fodonica do anime, Mumei. Os habitantes da estação são obrigados e embarcar no Koutetsujou e fugir para sobreviver. Ikoma descobre, por intermédio de Mumei, que ele agora não é mais um humano comum e sim um Kabaneri assim como ela. Os kabaneri têm capacidade sobre-humana e precisam se alimentar do sangue de pessoas para não enlouquecer de fome e se transformar completamente em kabane.

IkomaComo podem perceber o enredo e os personagens seguem alguns clichês básicos, no entanto a parte estética e a ação são ótimos, os personagens evoluem de uma maneira satisfatória, alguns outros secundários aparecem e tudo vai bem até uma certa altura, lá pelo episódio 5. A introdução de um determinado personagem coloca a série num rumo que não me agradou. O personagem em questão é o vilão da história, e tudo nele parece bobo e genérico, desde o visual até as motivações. O final do anime chega com uma resolução apressada e nada satisfatória, a possibilidade de uma segunda temporada fica balançando no ar.

Mas afinal de contas, vale a pena ver esse troço? Digo que vale sim. A série tem 12 episódios e se comete o pecado de ser boba em vários momentos, pelo menos nunca fica chata. Outro fator positivo é que as personagens femininas não são muito sexualizadas, o anime é bem contido no fanservice. Diferente de outra animação com zumbis do mesmo diretor, que tem uma quantidade ridícula de momentos zé punhetinha.

Koutetsujou no Kabaneri é um daqueles animes que tinha potencial para ser memorável, contando com a produção do mesmo estúdio e o mesmo diretor do aclamado Shingeki no Kyojin e uma estética muito bacana no estilo steampunk. Uma pena acabar como mais uma série mediana.

mozuojVp1XXSIakc47j5ahFziUY

SpheraRetro #02 – Cronologia Capitão Harlock // Space Pirate Captain Harlock (eX-ChronologyGeek)

Geeks, Otakus, Cinéfilos e Leitores,

Adentremos a este mundo que detém a marca de mais de 40 anos.

Ordem Cronológica

Space Pirate Captain Harlock (Mangá)

Mangá lançado em 1977, tendo o seu término em 1979.

Space Pirate Captain Harlock (Anime)

Ganhou uma adaptação para o anime em 1978, onde teve 44 episódios.

Captain Harlock – Mistério da Arcadia 

Este 1978 curta-metragem é ostensivamente uma releitura do episódio 13 da série 1978, ‘Ocean castelo da bruxa da morte’. Composta principalmente de filmagens recicladas, retiradas deste mesmo episódio, mas apresentados em formato widescreen. Algumas novas imagens alternativas são adicionadas ao início da história, e alguns ajustes foram feitos ao longo de trilhas sonoras.

Arcadia of My Youth

Arcadia of My Youth filme foi lançado em 28 de julho de 1982 O filme, ambientado em uma diferente continuidade da série original de TV, narra as origens da Harlock como um pirata espacial e sua aquisição da nave Arcadia . O filme também inclui material de flashback com dois dos seus antepassados ​​do século 20.

O filme foi seguido por 22 episódios da série de TV Estrada Infinita/ Orbit SSX, a partir de Outubro de 1982. A série tratou Harlock e continuando a luta da empresa contra os Illumidas força de ocupação, que ainda manteve o controle da Terra. Tanto filme e segunda séries apresentam uma nave recém-projetada e falta a maioria da tripulação do Space Pirate série, mas são dignos de nota para a presença de Emeraldas, a contraparte feminina de Harlock que apareceu originalmente em uma série de graphic novels Matsumoto-escritas.

Harlock Saga 

Na década de 1990, Matsumoto lança Harlock Saga, uma minissérie baseada em Das Rheingold . A série reformula o capitão e sua tripulação em papéis e colocá-los contra uma raça de “deuses” criados em redesenhar o universo ao seu gosto.

Interminável Odyssey 

Dezembro 2002 viu o lançamento de Space Pirate Captain Harlock: The Endless Odyssey , dirigido por Rintaro .

A história se passa depois da série de TV original, com Harlock em um exílio autoimposto e sua tripulação na cadeia ou voando sob o Jolly Roger. A série detalha o retorno de Harlock para uma luta contra a Noo, um mal misterioso e antigo, que fez com que a Terra desaparecesse, e que usam o medo para vencer seus inimigos. Como quase todas as partes desta série é voltada para o original Captain Harlock série de TV, Infinito Odyssey reintroduz Tadashi Daiba ao Arcadia .

Space Pirate Captain Harlock Filme 

O filme estreou no Japão em 07 de setembro de 2013.

Resenha SpheraGeek.

Space_Pirate_Captain_Harlock

 

Continuação da Franquia

 

Queen Emeraldas ou Pirate Queen Emeraldas

Uma série de 04 OVAs contendo quatro episódios que dão continuidade a franquia Capitão Harlock criado por Leiji Matsumoto.

O anime foi adaptado do mangá de Matsumoto 1978 com o mesmo nome. Queen Emeraldas é a história da nave pirata, Queen Emeraldas, que é capitaneada pela misteriosa e bela Emeraldas, uma corsária forte e poderosa

Títulos das OVA’s:

1 – “Partida “(6 de maio de 1998)

2 – “Emblema Eterno “(7 de outubro de 1998)

3 – ” Amizade “(6 de agosto de 1999)

4 – ” Siren “(18 de dezembro de 1999)

716789-2824960-Queen Emeraldas (2)

 

SpheraView #73 – Os Cavaleiros do Zodíaco: A Lenda do Santuário // Saint Seiya: Legend of Sanctuary

os-cavaleiros-do-zodiaco-a-lenda-do-santuario-logotipo-11-de-setembro-nos-cinemas

Geek’s, Cinéfilos, Otakus e Cavaleiros,

Elevem seus comos ao máximo e degustem comigo do primeiro longa dos Cavaleiros e, CG!

Me dê sua força, Pegasus!!!!

Sinopse

Em uma remota era mitológica, havia os defensores de Atena. Quando as forças do mal ameaçavam o mundo, eles apareciam. Atualmente, após um longo período de guerra, uma mulher, preocupada devido aos misteriosos poderes que possui, é inesperadamente atacada e salva pelo Cavaleiro de Bronze Seiya.

Análise

Em homenagem aos 40 anos de Masami Kurumada como Mangaká é lançado no Japão no dia 21 de junho de 2014, aquele que  vem a ser o primeiro filme em CG (Computação Gráfica) da série Cavaleiros do Zodíaco – CDZ (Saint Seya no Japão) e o sexto no total.

Aqui no Brasil foi lançado no dia 11 de setembro e calhou de ser no aniversário de lançamento pela extinta TV Manchete (Podcast), que completa 20 anos de seu lançamento. Vale ressaltar que mais de  500 mil pessoas assistiram até o momento no Brasil.

Em primeiro momento, gostaria de pontuar as sensações iniciais, juntamente com os pontos positivos e depois, os pontos negativos.

Nostalgia: Yes!!! Pela primeira vez fui ao cinema assistir uma referência a aquilo que passei em minha infância curtindo e admirando.

Visual: Caramba! Que filme lindo, cenários maravilhosos, personagens lindos, cenas fortes e bem feitas, a armadura estava estupenda.

Dublagem: Emocionante! Ouvir aqueles que tentei imitar várias vezes com meus “amiguinhos” nas brincadeiras da escola foi muito forte.

Armadura: Maravilhosas! Com um formato mais medieval trouxe um ar realmente de cavaleiro e no rosto ganha uma proteção que deu um charme e veracidade. A discussão que houve no CDZ Ômega sobre colocar as armaduras no pingente de alguma forma trouxe um resultado, que para mim, ficou muito interessante.

Trilha Sonora: Vibrante! Japonês tem facilidade para introduzir uma trilha em seus projetos e fazer dela, o coração do filme. Bato palmas por se arriscar colocando uma trilha totalmente nova e lograr êxito.

Remodulação de Personagens: Raaa! Alguns personagens foram mudados e outros ganharam características diferentes. Não acho que influenciou muito, mas algumas incomodaram.

Lutas: Mais ou menos! Não tenho que reclamar dos efeitos das lutas, que, apesar de serem compactas, dão o recado que tem que dar. Agora, as escolhas para lutar e como desencadeou o resultado foi meio decepcionante algumas vezes.

Roteiro: Hummm! De longe foi a parte mais criticada pela grande maioria,com o roteiro mal elaborado e corrido, o que gerou um efeito que não dá atenção às necessidades de explicação de alguns fatos e nem respeitando a história original.

A colocação feita pelo criador, em defesa, foi que, além de ser um reboot, e não um remake, é que o filme foi feito para angariar novos telespectadores. Contudo, vale ressaltar que o ar cômico foi bem introduzido.

Dicionário

1 – Mangaká: Artista de quadrinhos japonês, ou também podemos chamar de cartunista. (Thiago Simão)

2 – Reboot: relançamento de uma história com uma inflexão da série, não necessariamente seguir a continuidade anterior, mas mantendo apenas os elementos mais importantes, que são considerados o melhor ou mais funcional para começar tudo novamente, desde o inicio. (Thomas R. Willits – 2009)

3 – Remake: Refilmagem é o termo em português equivalente ao inglês remake (tradução literal: “refazer”) e é a designação usada para novas produções e regravações de filmes, telenovelas, jogos, seriados ou outras produções do gênero de ficção. (Tio Wikipédia)

Link

Podcast: RapaduraCast / Spheracast

 Paródia Vai Seya

Contato

Facebook do SpheraGeek

Pagina no Face do SpheraGeek

Email: spherageek@gmail.com

Twitter: @SpheraGeek

Nota

Bonequinho nota 7

“Você deve ser a Atena..”

Saint-Seiya-Legend-of-Sanctuary-animexis

SpheraView #69 – Capitão Harlock // Harlock: Space Pirate

Capitão-Harlock-Trailer-do-Filme-é-Divulgado-na-Internet-Foto-1

Geek’s, Cinéfilos e Otakus,

He Yôkoso, adentraremos hoje o espaço, seguiremos com os nossos corações e iremos buscar o que é nosso.

Sinopse

2977, em um futuro que a humanidade foi expulsa da Terra, após anos de batalha. O planeta se tornou um dos recursos mais valiosos do universo, mas é controlado pela coorporação Gaia Coalition. Os humanos exilados tentam voltar à Terra para descobrirem os segredos que lá estão escondidos. A bordo da espaçonave Arcadia, o pirata exilado, Capitão Harlock luta, junto com sua fiel tripulação, pela liberdade dos exilados e pelo retorno à Terra. Em um futuro onde a desesperança toma conta das pessoas, Harlock encontra um menino e o abriga em sua nave. No entanto, esse menino foi mandado para assassiná-lo.

Análise

A Toei Animation, uma das maiores empresas de animação do Japão, abriu o cofre e lançou no dia 7 de setembro de 2013 a animação mais cara da empresa: 30 milhões de dólares.

Essa adaptação comemorativa é do mangá  Captain Harlock (Década de 70) de Leiji Matsumoto (Patrulha Estelar),  foi feita pelo diretor Shinji Aramaki (Halo Legends).

Para aqueles que nunca assistiram nada oriundo da cultura japonesa podem até tomar um susto, pois é um filme onde o roteiro corre, do nada fica lento e novamente rápido, sem contar que as coisas vão sendo jogadas na sua cara e muito pouco é explicado durante a animação.

A computação gráfica está linda e a parte sonora nos envolve.

Vale ressaltar que esse conteúdo é um material introdutório a algo que já existe há mais de 40 anos e que vem gerando de tempo e tempos novos materiais e detém uma continuação. Logo abaixo falaremos sobre isso.

Oficialmente no Brasil não foi lançado a adaptação, contudo já está na Netflix. Aproveitem!!!

13351 

Cronologia e Continuação

Fazem parte da cronologia Space Pirate Captain Harlock (Mangá/1977 e o Anime/1978), Captain Harlock – Mistério da Arcadia(1978), Arcadia of My Youth(1982), Harlock Saga(1990), Interminável Odyssey (2002) e está animação (2013). Nesse link temos uma explanação melhor sobre está cronologia.

Queen Emeraldas ou Pirate Queen Emeraldas: lançada em 1998 e finalizada em 1999, é a continuação da franquia em 4 OVA’s , onde se tem como principal a nave pirata Queen Emeraldas, capitaneada pela Emerlda. 

Notas (Sistema de 00 a 05 Spheras)

4/5 –  Legal e bem feito. (by Thiago Plácido)

Contato

Facebook do SpheraGeek

Pagina no Face do SpheraGeek

Email: spherageek@gmail.com

Twitter: @SpheraGeek

Nota

Bonequinho nota 7

“A Terra é de todos…”

CH270801

SpheraJ-POP #02 – 13ª Festa do Japão RJ

Geek’s, Nipos Brasileiros e Otakus,

No dia 17 de agosto de 2014,  foi realizada a 13ª Festa do Japão, na Praia do Flamengo, no Rio de Janeiro.

Foram realizadas muitas atividades culturais japonesas, dentre elas: apresentações de Wadaiko (percussão de tambores japoneses), artes marciais japonesas (judô, kendô, aikidô, entre outros), Bon-Odori (danças folclóricas japonesas), oficinas de origami (dobraduras de papel), shodô (escritas japonesas). Foram vendidas comidas típicas, tais como yakissoba, temaki, tempura, takoyaki, gyoza, harumaki, doces japoneses, yakitori, etc.

Em ambos os dias, o evento ficou lotado e quem foi se divertiu muito com as apresentações, além de curtir o pavilhão japonês que tinha desde comida até curso básico para jogos japoneses.

Vale deixar uma crítica construtiva para que estoquem mais comida, pois acabou tudo no domingo à tarde.

Hi!!!

Links

Nikkei RJ

Consulado Geral do Japão no Brasil

Calendário de Atividades Nippo no Rio de Janeiro

FB_IMG_1408306685210

SpheraView #60 – Vidas ao Vento / Kaze Tachinu

maxresdefault

Geek’s, Cinéfilos e Otakus,

He Yôkoso, iremos hoje falar nada mais nada menos do que a ultima animação do fantástico diretor Hayao Miyazaki, que anunciou sua aposentadoria e sagrou este como sua ultima obra de arte.

Vamos para o que interessa!!!

Sinopse

Jiro Horikoshi, vive em uma cidade do interior do Japão. Um dia, ele tem o sonho de estar voando em um avião com formato de pássaro. A partir desse sonho, ele decide que construir um avião e colocá-lo no ar é a meta da sua vida dentro do período da 2ª guerra mundial.

https://www.youtube.com/watch?v=XD4k_T8ThWs&feature=youtu.be

Análise

Começo aqui lamentado que esta bela animação tenha perdido o Oscar 2014, para a animação da Disney Frozen.

Pulando isso vamos  começar pelo roteiro que está bem elaborado, que lentamente vai se encorpando e mostrando o seu recado.

Os personagens são bem definidos e mostrados naquilo que seja necessário e a fantasia e a realidade são sutilmente separadas, tendo como base o concreto.

A trilha sonora se encaixa perfeitamente e nos leva a adentrar no mundo oferecido.

É baseado em fatos reais, na vida do Jiro Horikoshi, e com isso temos uma viagem sobre os problemas e frustrações que o Japão passou no antes e durante 2ª Guerra Mundial e seu final surpreende.

O traço continua maravilhoso, não dando saudades das animações ultrarrealistas.

Romance, sonhos e uma dose de realidade, a receita mais que perfeita!

Links

 

Facebook do SpheraGeek

Pagina no Face do SpheraGeek

Email: spherageek@gmail.com

Nota Geral

Bonequinho nota 8

“Eu to voando…!!!”

vidas-ao-vento-hayao-miyazaki-the-wind-rises

SpheraView #59 – Avatar: A Lenda de Korra Livro 02: Espíritos

the legend of korra season 2

Geeks, Dobradores e por que não Otakus,

Agora sim, o desenho ficou bom, vamos logo para o que interessa!

Sinopse

Seis meses após os eventos da Revolução Anti-dominação, Korra, tendo aprendido a dominar todos os quatro elementos e atingido o status de Avatar Completamente Realizado, precisa mais uma vez virar uma aprendiz quando começa a investigar sobre o reino dos espíritos.

Análise

Lançado no dia 13 de setembro, o Livro 2: Espíritos, apesar do Livro 1: Ar não ter tido sucesso, o canal Nickelodeon mexeu no grupo de criação e trouxe uma surpresa agradável.

O roteiro agora aborda com um pouco mais de profundidade algumas situações e seus integrantes, mas não se engane, a maioria dos acontecimentos ainda são resolvidas no modo americano de ser: num piscar de olhos sem ter um por quê.

Neste livro temos explicações enfim sobre a formação do Avatar e da onde surgiu a sua função,  o mais legal é que o roteiro não está tão corrido e está aprofundado neste tema.

Temos agora o desfocamento de todas as ações serem somente na Cidade da República, tendo o foco duas outras cidades. E vale ressaltar que dentro do tema o Avatar perde seu posto como o centro das atenções, chegando a ter episódio que a Avatar Korra tem participação mínima.

As mudanças realizadas pela nova equipe deram efeito na trama e isso gerou o sucesso do desenho, onde já foi confirmado para este ano (2014) o lançamento do livro 3. Onde há uma especulação que teremos a sua estreia entre maio e julho.

Agora temos uma Avatar mais madura e ciente do seu potencial, e ainda o desenho continua mostrando as dualidades do relacionamento humano onde pessoas querem destruir as outras por poder ou simplesmente ser alguém mesmo que passe por cima de outras ou sendo uma pessoa fútil.

Aguardarei ansioso o próximo livro.

T+

Links

Mundo Avatar

Nota Geral

Bonequinho nota 8

“Não temos que ter mais barreiras…”

Korra02