maxresdefault

[SL] Fazendo Quadrinhos em 7 Passos: 7 – As Cores | Escrevendo Quadrinhos

Finalmente chegamos ao final da série Fazendo Quadrinhos em 7 Passos! Hoje falamos das cores, como e porque eu mudei a técnica que ia usar e quais os passos para fazer uma boa colorização nas suas páginas.

Quer saber mais sobre meu trabalho? Aqui vai a lista de links úteis:

Meu Site: https://www.raphapinheiro.com/

Facebook: https://www.facebook.com/raphacpinhei…

Instagram: @RaphaCPinheiro

Twitter: @RaphaCPinheiro

Aquele abraço!

filme-it-a-coisa-2017-de-andres-muschietti-1484075577046_v2_1920x1080

[SC] Confira os trailers que mais estão bombando por aí

Olá amigos do sphera, eu sou o Sr. Cuca Fresca e hoje trouxe alguns trailers de futuros lançamentos  que estão bombando por aí. Estou ansioso para conferir especialmente a Torre Negra e os Defensores. Não podemos esquecer também das séries temáticas como House of Cards. Confere aí e deixe nos comentários sua sugestão ok?

A Torre Negra

Sinopse: Um pistoleiro chamado Roland Deschain (Idris Elba) percorre o mundo em busca da famosa Torre Negra, prédio mágico que está prestes a desaparecer. Essa busca envolve uma intensa perseguição ao poderoso Homem de Preto (Matthew McConaughey), passagens entre tempos diferentes, encontros intensos e confusões entre o real e o imaginário. Baseado na obra literária homônima de Stephen King.

Título original: The Dark Tower
Elenco: Idris Elba, Matthew McConaughey, Tom Taylor (IV)
Lançamento previsto: 27 de julho

Os Defensores – Marvel

Sinopse: A série Marvel – Os Defensores reúne Demolidor (Charlie Cox), Jessica Jones (Krysten Ritter), Luke Cage (Mike Colter) e Punho de Ferro (Finn Jones). Quatro heróis extraordinários com um objetivo comum – salvar Nova York. A saga de personagens solitários atormentados por angústias particulares, mas que percebem como podem ser mais poderosos quando lutam juntos. A série original da Netflix tem estreia mundial em 18 de agosto.

Título original: The Defenders
Elenco: Charlie Cox, Krysten Ritter, Mike Colter
Lançamento previsto: 2017

It a Coisa

Sinopse: Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado “Losers Club” – o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do “Losers Club” acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise.

Elenco: Bill Skarsgård, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard
Lançamento: 2017

 

House of Cards | 5 Temporada

O vídeo apresenta uma série de cenas de impacto, revelando a maneira como Frank Underwood (Kevin Spacey) e Claire Underwood (Robin Wright) mostram-se unidos publicamente, apesar de o casal enfrentar uma crise nos bastidores. A intenção é se manter no poder, o máximo possível.

 

maxresdefault

[SL] Fazendo Quadrinhos em 7 Passos: 5 – O Lápis | Escrevendo Quadrinhos

Hoje vamos conversar sobre desenhar o lápis de uma página. Falamos de materiais, técnicas e dicas em geral pra garantir a base para a sua arte final.


Quer saber mais sobre meu trabalho? Aqui vai a lista de links úteis:

Meu Site:
https://www.raphapinheiro.com/
Facebook:
https://www.facebook.com/raphacpinhei…
Instagram:
https://www.instagram.com/raphacpinhe…
Twitter:
https://twitter.com/RaphaCPinheiro

Aquele abraço!

SCPR 13,5 - GGRF Q2 cópia

SC Papo Randômico #13,5 – Geek & Games Rio Festival / GGRF

Feed / iTunes / Android / Download / Como Assinar um Podcast

Queridos Geeks, Gamers & Casters,

O Rio de Janeiro recebeu no mês de janeiro de 2017, o evento Geek & Game Rio Festival na Barra da Tijuca.

Thiago Simão, Mario Felix e o Gustavo Faria, também conhecido como Coca (Podcast CocaTech) batem um papo sobre sua experiência nessa primeira edição do GGRF.

E nessa edição ainda iremos contar com entrevistas exclusivas com autores e podcasters.

Até.

Mural de recados

Part. Esp. Mario Felix

Link

Breve…

Sphera na Rede

Instagram e Twitter : @spherageek
Snapchat: spherageek
Grupo de ouvintes: OuvintoSphera
ilhado01e02

[SL] Ilhado: Sonho Antigo (1) e Velhos Amigos (2) – HQ

Olá Geeks e Quadrineiros,

A Geek & Games festival, que ocorreu no Rio de Janeiro no mês de abril, trouxe boas experiências e contatos com pessoas maravilhosas!!!!

Uma delas foi o Podcaster, escritor e quadrinista Vitor Coelho e seu trabalho autoral: Ilhado.

Sinopse

Às vezes, os sonhos parecem bastante reais, por serem situações que poderiam  – ou quase – acontecer com você. Mas e quando a experiência do sonho se torna contínua, como a vida? E quando o que você imaginou na noite de hoje é sempre a continuação do que ocorreu na memória onírica ontem? Ilhado talvez tenha algo a nos dizer sobre isso…

Análise

Em novembro de 2015 foi lançado na FIQ (Festival Internacional dos Quadrinhos), o primeiro volume de Ilhado com o Subtítulo de “Sonho Antigo”. Sua primeira tiragem- 120 quadrinhos se esgotou durante o evento, isso possibilitou a vinda do volume 02, com o subtítulo de “Velhos Amigos”.

Antes de adentrar essa história, temos que apontar o responsável pela arte do quadrinho, o já consagrado Marcelo Salaza (Zenescope, Ronin Studio e Viper Press).

Apresentações feitas, a hq nos trás um drama inicial bem elaborado e contextualizado no cotidiano de Daniel (Personagem Principal) que terá como eixo o teor psicológico do caso.

Nesse dois primeiros volumes começamos a sentir de leve o medo, o terror e o suspense que o autor está querendo trazer.

Mas ter poucas páginas deixa a vontade extrema de querer mais…Sua leitura passa muito rápida e é fluida.

O Arco deste quadrinho está sendo pretendido para cinco volumes, sendo que o terceiro já está na mão do Salazar para termos continuidade.

O Autor é super acessível e vale a pena dar essa força para o mercado nacional!!

Até mais!!

Link

Metavirus

Loja 

Facebook MetaVirus

Twitter do Vitor

Dados Técnicos

Formato Americano (17x26cm)

Capa colorida

Miolo em preto e branco

22 páginas

105613.jpg-c_300_300_x-f_jpg-q_x-xxyxx

[SC] Guardiões da Galáxia – Vol. 2 é um filme família

Guardiões da Galáxia possui CINCO cenas pós-crédito!

Pronto, tirada a informação-spoiler que todos os sites já compartilharam, agora é dar algumas impressões sobre o filme.

A primeira história contada sobre esse grupo foi de reunião e como um bando de desajustados viria a salvar a galáxia. O volume dois apresenta uma família, isso é dito no trailer, e é exatamente o que Senhor das Estrelas, Gamorra, Drax, Rocket Racoon e Baby Groot serão durante todo o filme, uma família disfuncional que funciona justo por equilibrar seus defeitos e qualidades.Aliás, não é a toa que muitas das participações especiais no filme possuem uma ligação profunda com os personagens principais. Nisso, até a trilha sonora ajuda! (spoiler evitado)

Se alguém sentir saudade do tipo de humor que o diretor, roteirista, maquiador, músico e menino que levava as pizzas ao set, James Gunn, levou ao gênero de super heróis no cinema, ele está de volta! Para isso, Dave Batista como Drax proporcionam ótimas risadas com a sinceridade do personagem. Sentiu saudade da psicodelia espacial? Ela está de volta! Sentiu saudade da trilha sonora? Ela agora terá 300 músicas! Sentiu saudades das referências, Capitão? Então se prepare, pois elas estão em todo lugar! O único problema disso é serem de uma época bem específica, fazendo que algumas das referências se percam para o público bem mais jovem, afinal, Peter Quill, elas são todas de 1980 para trás.
Agora, muita gente já sabe que o Stalone está no filme, já confirmaram a Miley Cyrus, porém, há algumas participações que (alerta de spoiler), enfim, até o cameo do Stan Lee é de tirar o fôlego!

Agora, preparem lenços de papel, porque não é só de humor que este filme sobrevive!

Guardiões da Galáxia – Volume 2 é um filme recomendadíssimo se você é fã do grupo, se você não é fã do grupo!

Sem título4

[SL] Fazendo Quadrinhos em 7 Passos com Rapha Pinheiro: #04 Storyboard | Escrevendo Quadrinhos

Olá amigos do Spherageek! No quarto passo para fazer quadrinhos, conversamos sobre a montagem das páginas.
Essa é a parte mais desafiadora, a parte que vai exigir mais da sua capacidade de trabalhar com arte sequencial. Espero poder ajudar a desbravar essa etapa e enriquecer seu processo.
Nesse vídeo eu uso imagens do storyboard do meu quadrinho Salto que está em desenvolvimento para ilustrar alguns dos pontos.

 

 

Quer saber mais sobre meu trabalho? Aqui vai a lista de links úteis:

Meu Site:
https://www.raphapinheiro.com/

Facebook:
https://www.facebook.com/raphacpinhei…

Instagram:
https://www.instagram.com/raphacpinhe…

Twitter:
https://twitter.com/RaphaCPinheiro

Sem título2

[SL] Fazendo Quadrinhos em 7 Passos com Rapha Pinheiro: #01 A ideia.

Olá amigos e amigas do Spherageek, com muita alegria iniciamos o mês de Abril trazendo às 4º feiras  uma série de vídeos do nosso grande amigo e excelente quadrinista Rapha Pinheiro. Já tivemos um encontro com ele no youtube onde abordamos uma série de informações sobre o tema e seus trabalhos.

Hoje iniciamos a série  “Fazendo Quadrinhos em 7 Passos” com o vídeo 01 falando sobre o primeiro passo para se fazer um quadrinho: A IDEIA.

Quer saber mais sobre meu trabalho? Aqui vai a lista de links úteis:

Facebook:
https://www.facebook.com/raphacpinhei…
Instagram:
https://www.instagram.com/raphacpinhe…
Twitter:
https://twitter.com/RaphaCPinheiro

Aquele abraço!

Sanitarium_Coverart

[SG] Torre Seu Cérebro e Sua Sanidade – Sanitarium

Olá! Eu sou o Jack e sim, sou viciado em games! Hoje analisarei um jogo que não é tão MainStream assim, o maravilhoso Sanitarium, um jogo Point-And-Click de Terror e Puzzle, lançado em 1998 pela ASC Games e desenvolvido pela DreamForge.

Vamos ao enredo:

O jogo começa com um acidente de carro com o protagonista (controlado por você) desacordado e arrastado por alguém para dentro de um lugar. Ao acordar, ele se percebe em um Sanatório, sem se lembrar de nada, nem seu nome ou porque você está lá. Procurando por respostas, você deve sair do Sanatório. Depois disso, você encontra lugares um mais psicodélico e perturbado que o outro. Desde uma cidade pequena, cheia de crianças deformadas, cultuando uma entidade que chamavam de “Mother”, até um circo perturbado.

O enredo é muito bom. Ele te prende MUITO e tem várias explosões de cabeça, sem falar do ambiente gótico e perturbador de cada cenário.

Gangrenemile

A jogabilidade é muito boa, já que é quase um adventure game, sendo controlado somente pelo seu mouse. O jogo conta com uma visão quase isométrica, sendo tudo visto de cima.

O jogo trabalha com puzzles, cujas soluções são inesperadas às vezes, fazendo você fritar o seu cérebro. Uma coisa que você constantemente repete no jogo é: “O que c**alhos tenho que fazer aqui?”, a solução, muitas vezes, só vem depois de horas se matando no puzzle ou abrindo vários diálogos com os NPC’s do local, que deixam certas dicas sobre o que você tem que fazer, procurar ou acionar.

A ambientação do jogo é incrível, se encaixa bem com a premissa e plot do jogo, já que a maioria dos cenários é de um caráter gótico, perturbado e insano. Um bom exemplo é a cidade do segundo cenário, que é aquela típica cidade do interior do USA, tendo até aquelas capelas pequeninas, porém cheia de crianças deformadas que cultuam sem saber uma entidade que está presa na cidade, essa que matou todos os adultos da cidade. Louco né?

A trilha sonora é bem semelhante às músicas do canal Myuuji, ou seja, é bem creepy mesmo.

34-sanitarium_still3

Eu darei a Sanitarium a nota de 4.0/5, já que apresenta um ótimo jogo de horror, com puzzles extremamente difíceis e um ambiente que deixa qualquer um arrepiado.

Enfim, espero que vocês tenham gostado e adquirido certo conhecimento sobre o jogo.

 

 

Dúvidas, críticas, correções e sugestões vocês podem enviar para o e-mail de contato e para me encontrar na rede  acesse:

contato@spherageek.com

Twitter: @JackSpheraGeek

jackspherageek@gmail.com

Um abraço,

Jack

download (1)

[SG] Stone Age

Hello pessoas, olha eu aqui de novo, Laíse Lima do Boards e books, pra mais um review. Vamos falar de um jogo da categoria dos Eurogames (em breve farei um post explicando detalhadamente o que é isso). Um jogo de administração de recursos que reconta as desventuras da Idade da Pedra.

Ficha Técnica:
Editora: Rio Grande Games
Editora no Brasil: Devir
Numero de Jogadores: 2-4
Tempo de Jogo: 90min em média

História:
​Cada jogador representa uma tribo de homens das cavernas desejando prosperar sua vila, construindo cabanas e adquirindo progresso através de cartas especiais. Esses são os dois meios que concederão pontos de vitória para um jogador vencer no final da partida, mas para isso será necessário obter recursos para construção, sem falar na coleta de comida para alimentar o seu povo.

Fases do Jogo:
Alocação de trabalhadores: Em ordem, cada jogador escolhe uma das áreas abaixo para mandar seus trabalhadores. Depois que cada jogador escolheu uma área, o jogador que iniciou a rodada volta a escolher outra área disponível, caso ainda tenha trabalhadores. Isto é feito até que nenhum jogador tenha como alocar homens das cavernas nas áreas do tabuleiro.

  • Agricultura: Na fase de resolução aumentará em 1 a produção de comida automática daquele jogador.
  • Cabana do Amor: Na fase de resolução aumentará em 1 a quantidade total de homens das cavernas.
  • Campo de caça: Na fase de resolução o jogador rola um dado para cada trabalhador que colocou nessa área. Soma-se o valor dos dados e divide-se por 2 (arredondado para menos). Essa é a quantidade de comida obtida.
  • Floresta: Igual ao campo de caça, só que se obtém madeira e divide a soma dos dados por 3.
  • Poço de argila: Igual ao campo de caça, só que se obtém barro e divide a soma dos dados por 4.
  • Pedreira: Igual ao campo de caça, só que se obtém pedra e divide a soma dos dados por 5.
  • Garimpo: Igual ao campo de caça, só que se obtém ouro e divide a soma dos dados por 6.

imagesExemplo de extrativismo: No inicio da rodada, um jogador colocou quatro homens das cavernas na floresta. Na fase seguinte ele rola quatro dados e obtêm-se os valores de 1, 3, 4 e 6. Somam-se os dados e divide o valor por três (14/3 = 4, arredondado pra menos). O jogador obteve 4 madeiras.

  • Produção de ferramentas: Na fase de resolução obtém-se uma ferramenta. Durante a vez de um jogador, APÓS ele rolar os dados, ele pode gastar uma ou mais peças de ferramenta (ele não perde, apenas usa) para adicionar o seu valor impresso na rolagem. No exemplo acima, se o jogador tivesse uma ferramenta de valor 1, ele poderia usá-la para adicionar “1” ao valor total, antes de ser dividido. No caso, 14+1 = 15, que dividido por três (no caso da extração de madeira) rende cinco madeiras ao invés de quatro.
  • Construção de cabana: Cada cabana tem um custo em materiais na parte inferior da peça, enquanto no canto superior direito há o valor em pontos de vitória imediatos que ela concede. Na fase de resolução, se um jogador tiver os recursos necessários, ele paga e obtém a cabana e os pontos de vitória.
  • Compra de cartas de civilização: Ao ocupar uma carta de civilização com um trabalhador, na fase de resolução o jogador pode pagar o seu custo respectivo e ganhar esta carta. Toda carta tem dois benefícios. Na parte superior da carta mostra que benefício imediato o jogador recebe ao comprá-la, enquanto na porção inferior mostra que benefício de fim de jogo ele receberá. As cartas de civilização são vitais na estratégia! É possível um jogador estar bem atrás nos pontos de vitória durante uma partida para disparar no final do jogo se tiver uma boa combinação de cartas. Há dois tipos de bônus de fim de jogo. O primeiro tipo são as cartas que apresentam um multiplicador, que dão pontos de vitória baseados na quantidade de ferramentas, trabalhadores, cabanas ou agricultura. O segundo tipo são as cartas que tem um símbolo que tematicamente representa um avanço da civilização. Há 8 tipos de símbolo em Stone Age e um jogador recebe um bônus de pontos de vitória igual ao quadrado de símbolos diferentes (64 pontos no máximo).

IMG_0158

​Resolução das Ações: A fase seguinte consiste na resolução dos trabalhadores de cada jogador. O jogador vai retirando seus homens das cavernas do tabuleiro e resolvendo área por área, na ordem que quiser.​

​Alimentação da Tribo: Depois da resolução de ações, é hora de alimentar a tribo. Cada jogador precisa pagar 1 de comida por cada trabalhador que tiver. Caso falte 1 ou mais comidas, o jogador tem duas opções: ou paga a diferença que falta com recursos ou perde 10 pontos de vitória. Feito tudo isto, a rodada termina.

Fim de jogo

Stone Age termina de duas formas: ou quando se esgota uma das pilhas de cabanas que podem ser construídas ou quando não se consegue repor as cartas de civilização. Cada jogador então mostra as cartas que comprou, obtém-se os pontos de final de jogo de cada carta, além de receber 1 ponto de vitória por cada recurso (exceto comida) que sobrou em sua cartela. Quem conseguir o maior número de pontos de vitória, vence.

Estatísticas do Jogo:

​- Apelo a não boardgamers (moderado): O jogo tem uma arte bonita, peças atraentes e uma mecânica divertida, porém pode ser um pouco lento para quem não tem experiência com Board Games.

​- Complexidade (baixa): Stone Age é bastante simples em termos de regras e dinâmica.

​- Independente de idioma (não): E já existe o jogo na versão em português.

​- Achado no Brasil (sim): Você pode encontra-lo em lojas de Board Games modernos ou no site da própria editora.

​Preço (Justo): Um pouco caro, mas vale a pena o investimento. O jogo base sai por volta de R$280,00.

​Opinião: Um jogo leve, gostoso de jogar, que atrai não gamers e que tem uma mistura perfeita de tema e mecânica. ​

Links relacionados ao jogo:

Jogo disponível para androide: Clique aqui

Laíse Lima – Boards e books
Acompanhe pelas redes sociais:
Fanpage Boards e books – boardsebooks
Oficinas Lúdicas – oficinasludicas
Twitter: @lailima19
Instagram: @lailima19
Ludopedia: lailima19
Snapshat: lailima19
Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

capaBio

[SG] A Maravilhosa Mente de Jack: Você tem medo de Deus? – Bioshock Infinite.

Olá! Para você que não me conhece eu sou o Jack e sim! Sou viciado em games.

O jogo que trarei hoje é a continuação de Bioshock 1, mesmo não sendo direta, hoje trago a vocês Bioshock
Infinite. Lançado em Março de 2013, desenvolvido e distribuído pela 2K Games e Irrational Games.
É um jogo de FPS, só que com o foco na história, diferente de um BF ou CoD, cujo foco é o Multiplayer.

Vamos ao enredo.

ATENÇÃO! ESSA RESENHA TERÁ SPOILERS DE BIOSHOCK! LEIA POR SUA CONTA E RISCO!

iniciobioO jogo começa com o protagonista, Booker DeWitt em uma pequena balsa rumo a um farol. Duas pessoas remarão o
barco (“Um Cavalheiro” e “Uma Dama”), até um farol.
Sua missão será simples. Ir para a cidade acima das nuvens, trazer a garota e pegar suas dividas.
Só que nem tudo é tão simples. Ao chegar em Columbia (a cidade que está acima das nuvens), conheceremos o seu controlador,um líder religioso chamado Father Comstock.

Você encontrará uma série de problemas do tipo: A tatuagem que seu personagem tem na mão direita, o deixa conhecido como o Falso Pastor. Todos os elementos desse Bioshock são inversos do primeiro jogo, mesmo a premissa sendo a mesma (isso é explicado no final do jogo).
Por exemplo:
Rapture de Andrew Ryan é uma cidade submersa, já Columbia de Comstock é uma cidade acima das nuvens.
O “personagem protetor” deste jogo é o Songbird, ele desempenha função parecida ao do Big Daddy do primeiro
jogo, proteger não importa o que custar.

O final desse jogo é tão impactante, talvez até mais, do que o do primeiro. Enquanto no final do primeiro é revelado que nosso personagem não passava de um clone programado para obedecer todo comando que começasse com “Would you kindly”, nesse teremos coisas como viagem no tempo e loopings infinitos (como o dia da marmota de Twilight Zone).
Esses que envolvem totalmente uma habilidade que Elizabeth tem que é a de abrir fendas temporais e espaciais. Também envolve os irmãos Lutece, que acompanham você pelo jogo inteiro, fazendo perguntas enigmáticas e até mesmo de cunho filosóficas.

meiobioA ambientação do jogo é incrível, cada cenário é uma obra de arte, deixa muito o jogador no clima daquela cidade
religiosa dos anos 20. A trilha sonora nem se fala, principalmente se tratando da música que a Elizabeth canta no jogo: “Will the circle be unbroken” (https://www.youtube.com/watch?v=0e4Crth_Hb8). A IA do jogo é maravilhosa!

A escolta da Elizabeth não é nada complicada, pelo simples fato dela saber se defender sozinha, se escondendo de tiros. Ela também é útil, podendo encontrar dinheiro, vigor e vida para dar suporte a você, não é uma personagem tipo a Ashley que mais atrapalha do que ajuda.
No jogo anterior, tinha uma mecânica herdada do System Shock que é a de usar Magia e a Arma, nesse não poderia
ser diferente, você tem o chamado “Vigor” que podem ser combados com suas armas e entre si.

finalbio

Bioshock Infinite é um jogo maravilhoso e desafiador, tendo uma história que deixa você curioso sobre o que virá pela frente e honra o nome do primeiro jogo da franquia, por isso dou a ele 4.8/5 spheras.

Enfim, espero que vocês tenham gostado e adquirido certo conhecimento sobre o jogo.

Dúvidas, críticas, correções e sugestões vocês podem enviar para o e-mail de contato e para me encontrar na rede  acesse:
contato@spherageek.com
Twitter: @JackSpheraGeek

jackspherageek@gmail.com

Um abraço,
Jack

ze0xem