hqdefault

[SG] Mega promoção de Games para jogar nas Férias

Olá Geeks,

Nesse período do ano é uma ótima oportunidade de renovarmos a nossa Biblioteca de jogos, principalmente para PC.

Desde o início do mês a Steam tem liberado várias promoções e a sua concorrente brasileira Nuuvem vem jogando ainda mais os preços para baixo.

Mas o que chamou a atenção foi o pack de jogos liberados pelo site Humble Bundle.

Para quem não conhece o site, ele é famoso por difundir o sistema de vendas pague quanto puder. com o tempo foi aprimorado e temos 3 faixas de valores que a partir dali você libera alguns jogos.

No pack atual com 1 dólar você já libera os jogos: StriderUmbrella Corps™DmC: Devil May Cry. Nos valores mais elevados achamos Dead Rising 3 e Resident Evil 6.

Dá para perder?

Abra o bolso e seja feliz!

T+

Caixa

[SG] SpheraBoards | Summoner Wars

 

Hello pessoas! Laíse Lima de novo na área com mais um review. E hoje nós vamos conhecer um xadrez diferente… ok, não dá para chamar de xadrez, mas parece! Que saber como? Então vamos nessa!

Ficha Técnica:

Produtora: Fantasy Flight Games

Edição Brasileira: Galápagos Jogos

Numero de Jogadores: 2

Tempo de Jogo: 30 minutos em média

 

Objetivo do Jogo:

Em Summoner Wars você assume o comando de um Summoner (Invocador) que é capaz de soltar poderes ou habilidades especiais para afetar os inimigos, além disso também é capaz de invocar criaturas para lutar a seu favor, tentando derrotar o Summoner inimigo. o Objetivo do jogo é simples, eliminar o Summoner inimigo (por isso também lembra o xadez… derrotar o rei e tal).

História do Jogo:

Foi Ret-Talus, o Lorde do Reino dos Mortos, quem encontrou a primeira Pedra de Invocação. A pedra concedeu seus poderes ao rei de coração-escuro, transformando-o no primeiro dos Summoners. Por mil anos, Ret-Talus permaneceu incontestável enquanto ele e seus guerreiros provocavam estragos no mundo de Itharia. O poder da pedra era tão grande que, mesmo com o desafio de exércitos completos do mundo inteiro, Ret-Talus permanecia invencível.

Foi só quando Dane Lightbringer descobriu a segunda Pedra de Invocação, que o reinado de Ret-Talus foi posto em cheque. A descoberta de uma segunda pedra trouxe esperança ao povo de Itharia, não só porque agora o poder de Ret-Talus poderia ser contra-atacado, mas também porque isso provava que a Pedra de Invocação não era única. Se haviam duas, com certeza existiriam mais. Todas as facções de Itharia voltaram suas forças em busca de sua própria Pedra de Invocação.

Mais pedras foram descobertas, e mais Summoners surgiram, mas os Summoners de Itharia não foram capazes de se unir contra o inimigo comum, e deixaram rivalidades antigas e o desejo pelo poder das pedras virarem uns contra os outros. E foi assim que começou… The Summoners Wars!

Conteúdo

Componentes do Jogo:

  1. Tabuleiro: O tabuleiro é composto por diversas “casas” onde as cartas são jogadas e podem “andar” e realizar suas ações, e ao lado de cada jogador, um espaço onde é colocado o Deck, pilha de “Magia” (Pontos necessários para invocar criaturas) e pilha de “Descarte” (Onde são colocadas as cartas, adivinhem o que? Descartadas!) – O tabuleiro é “dividido” em duas partes, exatamente no meio.
  2. Tipos de Cartas: Cada Facção vem com um deck pronto. De 35 a 40 cartas.

2.1 Summoner: É a carta principal. Ela tem vida, dano e uma habilidade especial. O jogador começa o jogo com ela no tabuleiro.

2.2 Criaturas Comuns: São criaturas que você usa para montar o exército. Tem vida, dano e normalmente algum custo de invocação. Praticamente todas têm alguma habilidade.

2.3 Cartas de Evento: Eventos podem ser invocadas pelo herói em um determinado momento do turno. Não tem custo.

2.4 Campeões: São unidades mais caras, mas consideravelmente mais fortes do que as criaturas comuns.

2.5 Muralha: É a partir dessa carta que o jogador pode invocar criaturas. Qualquer criatura só pode ser invocada adjacente à muralha (Não na diagonal).

Mecânica do Jogo:

Invocação: Para invocar uma criatura, normalmente paga-se um custo de Magia. A magia pode ser conseguida de três formas:

  1. Destruindo uma criatura do adversário;
  2. Descartando cartas da sua mão para a pilha de magia (Acumular Magia);
  3. Algumas cartas mágicas permitem que você tome magia da Pilha de Magia do adversário.

Movimentação: Cada criatura pode mover-se apenas por 3 espaços. Pode-se mover até 3 criaturas por turno.

Combate: Existem criaturas de combate a distância e criaturas de combate corpo-a-corpo. Uma criatura de combate a distância pode atacar a até 2 espaços de distância, e uma criatura de combate corpo-a-acorpo tem que estar adjacente. Quando você declara ataque a alguma criatura, você rola um dado. Se tirar 3-6, o dano é causado, se tirar 1 ou 2 da falha.

Turno:

  1. Compra (ompra até ter 5 cartas na mão. Sempre!)
  2. Invocar (Joga criaturas/Campeões)
  3. Evento (Joga cartas de Evento)
  4. Movimentação (Movimenta até 3 criaturas)
  5. Ataque (Ataca com até 3 criaturas)
  6. Acumular Magia (Descarta cartas da mão para a pilha de magia).

ExpansõesO jogo: A ideia basicamente é o jogador invocar criaturas e montar uma estratégia, enquanto se defende dos ataques inimigos e envia ataques ao inimigo. O jogo é cheio de reviravoltas e a rejogabilidade é altíssima. Ele conta com diversas expansões que ajudam na customização de um deck. Isso mesmo, o deck pode ser completamente personalizado!

Estatísticas do Jogo:

- Apelo a não boardgamers (alto): Como eu falei lá em cima, É só apresentar o jogo como “Um Xadrez com aspectos mais nerds”. Dificilmente alguém nega.

- Complexidade (Média): As regras são aprendidas tranquilamente. A complexidade está na parte estratégica, que é muito bem elaborada

- Independente de idioma? Não. Mas já tem aqui no Brasil.

- Achado no Brasil (sim): É vendido em livrarias como a cultura, em lojas especializadas e pelo site da Galápagos Jogos.

Preço (justo): R$ 69,90 (Set Inicial) – R$ 21,90 (Facções adicionais) – R$19,90 (Pacotes de Reforço).

Opinião: Um jogo que vale a pena ter na coleção. É divertido e com diversas reviravoltas, vem em uma caixa pequena e as demais facções cabem dentro (ou seja, fácil de guardar/transportar). Tem uma mecânica simples (fácil de explicar para jogadores novos) e é dinâmico.  

Links relacionados ao jogo:

https://loja.galapagosjogos.com.br/t/franquia/summoner-wars  (venda)

 

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks

Oficinas Lúdicas – oficinasludicas

Twitter: @lailima19

Instagram: @lailima19

Ludopedia: lailima19

Snapshat: lailima19

Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

 

download (1)

[SG] SpheraBoards | Dixit

Dixit

Hello pessoas! Laíse Lima de novo na área com mais um review. Vamos com um Game leve dessa vez, que dá pra jogar com a família e como entrada para um dia de jogatina! Um excelente jogo que é uma porta de entrada para os Board Games Modernos, o que chamamos de gateway. Vamos nessa!

Ficha Técnica:

Edição Brasileira: Galápagos Jogos              Número de Jogadores: 3-6

Tempo de Jogo: 30 minutos em média          Objetivo do Jogo:

Dixit é um jogo do designer Jean-Louis Roubira e da ilustradora Marie Cardouat, publicado pela editora Asmodee, e traduzido para o português pela Galápagos jogos. É um jogo de dedução e criatividade abstrata, no qual vence quem completa 30 pontos primeiro. Veja abaixo como a sequência e a pontuação do jogo acontece.

Regras:

Cada jogador tem um certo número de cartas na mão que só ele tem acesso. A cada rodada, haverá um jogador da vez (chamado de narrador) que colocará uma carta virada pra baixo na mesa e dará uma dica que possa levar pessoas a deduzirem qual será a sua carta. A dica pode ser dada de diversas formas, através de palavras, frases, músicas, poesia, mímica… qualquer coisa, a graça do jogo é explorar a criatividade.

Todos os outros jogadores também jogarão uma carta, com a ilustração virada para baixo. Embaralha-se bem as cartas dos jogadores com a do narrador e serão reveladas e organizadas numa fileira. Todos os jogadores, com exceção do narrador, escolherão secretamente uma carta. Isso é feito através de um marcador individual numerado (no jogo básico, cada jogador tem um marcador ou cartela de sua cor para os números de 1 a 6, dependendo de quantos jogadores estiverem na mesa). Depois que todos fizerem sua votação secreta, revela-se o número que cada um colocou.

Pontuação:

S_829601-MLB20376820903_082015-OComo se ganha pontos em Dixit? O narrador ganha 3 pontos se pelo menos um outro jogador votou na carta que ele escolheu. Cada jogador que acertou a carta certa também ganha três pontos. Obviamente, o jogador da vez não vota. Agora, alguém pode perguntar: Então porque o narrador não apela e dá uma pista óbvia para que alguém acerte com certeza?. Porque se na votação secreta todos os jogadores votarem na carta certa, ao invés dos 3 pontos, todos os jogadores, MENOS o narrador, ganharão 2 pontos. Ou seja, todos se deram bem, menos o narrador.

E por outro lado, alguém pode achar que será uma boa o narrador dar uma pista obscura demais, para evitar que os outros jogadores ganhem pontos facilmente. O problema é que se ninguém acertar a carta certa, novamente todos os jogadores MENOS o narrador, ganharão 2 pontos. Idealmente, o narrador tentará dar uma pista que faça pelo menos um jogador deduzir qual a sua carta, mas que não seja óbvia demais para evitar que todos votem nela.

E quanto às outras cartas dos demais jogadores? Servem só para confundir? Não. Após a votação, se alguém votou na carta de um jogador que não seja a carta do jogador da vez, o dono daquela carta ganha um ponto por voto.

Idealmente, cada jogador tentará jogar uma carta que induza os outros jogadores a votarem na sua carta, ao invés da carta do jogador da vez. Não se pode votar na sua própria carta. E assim termina uma rodada. As cartas usadas são descartadas, todos compram uma nova carta e há um novo narrador. No final de uma rodada, se um ou mais jogadores conseguirem acumular 30+ pontos, ganha quem ficou mais na frente do placar.

download (1)O Dixit conta com 11 expansões que trazem mais cartas e dão uma cara nova ao jogo, algumas dessas expansões já foram trazidas para o Brasil!

Estatísticas do Jogo:

– Apelo a não boardgamers (alto): É um jogo simples, um verdadeiro gateway. Um jogo que estimula a criatividade e interação. E se é jogado num grupo de amigos que se conhecem muito, ele fica ainda mais desafiador, pois as dicas tendem a ser bem mais elaboradas – Complexidade (baixa): As regras são aprendidas extremamente rápido.

– Independente de idioma? Sim. Não tem textos, é só desenho.

– Achado no Brasil (sim): É vendido em livrarias como a cultura, em lojas especializadas e pelo site da Galápagos Jogos. Preço (baixo): 120 reais em média.

Opinião: Independente da pontuação, as pistas e as cartas usadas são a estrela do jogo. Com o grupo certo, que entra no clima da criatividade, os momentos de diversão e muita risada são garantidos!!

Links relacionados ao jogo:

http://en.libellud.com/games/dixit (site oficial do jogo)

https://loja.galapagosjogos.com.br/t/franquia/dixit (venda)

 

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks               Oficinas Lúdicas – oficinasludicas

Twitter: @lailima19             Instagram: @lailima19

Ludopedia: lailima19          Snapshat: lailima19

Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

Title_warhammer_2

[SG] Warhammer 40k – Battle Report Tyranids VS. Grey Knights

Battlereport 1 – Tyranids vs Grey Knights

Depois de tanto adiar, a batalha finalmente aconteceu! A primeira batalha foi um confronto entre Tyranids controlado por Thiago e os Grey Knights controlados por Raphael, foram utilizados cenários improvisados por hora (mas estamos pensando em adotar a caixinha com amendoins de chocolate para todos os jogos rsrs). A lista usada foi algo bem simples no intuito de ambos conhecerem seus armies, foi definido um CAD simples com 1 HQ + 2 Troops com cerca de 600 pts. A missão escolhida foi a Crusader usando o mínimo de objetivos possíveis já que estávamos usando poucas unidades e removendo a regra de Mysterious Objectives para facilitar as coisas para os dois novatos. Sem mais delongas, vamos às listas:

Tyranid List

  • 1x Hive tyrant (2xTLD + Wings + Regeneration)
  • 1×3 Warrior Brood (2 com Scything Talon e Deathspitter e 1 com Rending Claws e Barbed Stranger)
  • 1×30 Termagaunt Brood (20 de fleshborer e 10 de devourer)

 

Grey Knight List

  • 1x Draigo
  • 1×5 Purifiers (2 com bolter + espada, 1 com flamer + Espada, 1 com psy cannon e 1 com Bolter + Alabarda)
  • 1×5 Purifiers (1 com Bolter + Hammer, 1 com Flamer + Espada, 1 com Psy Cannon e 2 de Bolter + Espada)

 

Missão: Crusade (3 objetivos e sem usar a regra de Mysterious Objectives)

Deployment: Hammer and Anvil

Depois de colocarmos os marcadores de objetivo e de rolar o tipo de deployment, foi a hora de lançarmos a iniciativa que foi conquistada pelos Nids. O GK tentou roubá-la e rolou um 5, o que não foi suficiente para tal, logo Tyranids primeiro. Deployments devidamente feitos teste para Night Fight negativo… É hora da pancadaria!

 F1Figura 1. Os exércitos “Deployados”

 Turno 1 – Tyranids

Na Deployment zone dos Nids, tinham dois dos três objetivos da mesa, mas como não seria simples manter os dois, segurou um deles com os Warriors enquanto avançou com a Tyrant voando e com os Gaunts.

Na Psychic Phase a Tyrant conseguiu conjurar Onslaght na unidade de Gaunts e na fase seguinte atirou no Draigo, mas nem triscou a armadura do líder dos marines graças a sua Vindicator Armor dando para ele save de 2+.

O único dos Warriors (com Barbed Strangler) que tinha alcance, atirou em um dos squads de Purifiers, mas errou o tiro.

Os Gaunts, mesmo com Onslaght, não conseguiram distância para o tiro acabando assim o primeiro turno dos Nids sem nenhuma baixa para os GK e com um enorme arrependimento de ter tentado acertar o Draigo.

 F2Figura 2. Final do primeiro turno dos “Nids”

Tyranids 0 x Grey Knights 0

Turno 1 – Grey Knights

Sem a pretensão de manter nenhum dos objetivos por hora, o exercito avança juntamente com seu líder que tenta conjurar Purge Soul na Tyrant mas fracassa na tentativa.

Um dos squads de Purifiers e o Draigo atiram na Tyrant e conseguem causar 1 wound nela, enquanto que o outro squad atira nos Gaunts e mata dois deles.

A Tyrant faz o Ground Test para ver se cai devido aos tiros recebidos, mas ainda continua seu vôo. Fim do primeiro turno dos Grey Knights que causou 1 wound na Tyrant e destruiu dois Gaunts.

 F3Figura 3. Final do 1 turno dos “GK”

Tyranids 0 x Grey Knights 0

Turno 2 – Tyranids

Nids avançam novamente com a Tyrant e com os Gaunts enquanto mantém os Warriors segurando o objetivo.

Na Psychic Phase a Tyrant conjura novamente Onslaght na unidade de Gaunts e na fase seguinte atira nos Purifiers (uma decisão bem melhor que a anterior) destruindo três dos cinco. Os dois restantes foram mortos pelos tiros dos Gaunts enfurecidos concedendo o First Blood.

O Warrior com a Barbed Strangler novamente atira no outro squad de Purifiers e novamente erra o alvo.

Fim do segundo turno dos Tyranids, marcado por 1 ponto garantido pelo First Blood e pela burrice de ter esquecido de usar Regeneration da Tyrant.

F4

Figura 4. Final do 2º turno dos “Nids”, com Marines a menos.

Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 2 – Grey Knights

Furioso com as baixas em seu exercito, Draigo avança em direção aos Gaunts junto com o squad de Purifiers que restou. Draigo conjura Hammer Hand enquanto que os Purifiers usam Cleasing Flame dando 11 tiros nos Gaunts, matando oito dos pobres coitados e, em seguida, anuncia uma carga, gerando um Overwatch que não causou dano e depois falhou na distância de carga. O Draigo não teve a mesma falta de sorte e investiu contra os Gaunts e com a sua incrível força 9 matou mais três deles.

Final do segundo turno dos GK conseguindo algumas cabeças de Gaunts para o orgulho do Imperador.

 F5Figura 5. BOOM!!! Cadê os pobres Gaunts?

Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 3 – Tyranids

Na Move Phase do terceiro turno dos Nids, a Tyrant avança para trás do squad de Purifiers, os Gaunts permanecem presos em combate com Draigo (sendo massacrados) e os Warriors continuam controlando o objetivo.

A Tyrant conjura Psychic Scream e leva 4 dos 5 Purifiers (que estavam com a sua Leadership reduzida graças ao Shadow in the Warp) mas toma mais 1 wound causado pela Warp e esquece seu Primaris Power. Na fase seguinte a Tyrand mata o último dos Purifiers.

Morrem mais alguns Gaunts pelas mãos (na verdade espada) do Draigo, restando apenas cinco Gaunts engajados em combate com o líder Marine. Dessa vez Thiago lembrou da Regeneração, mas falhou no teste.

F6

Figura 6. O que vocês fizeram com os meus filhinhos? A vingança vem dos céus.

Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 3 – Grey Knights

Só resta o Draigo para o lado dos GK e ele termina o que começou, matando os Gaunts restantes e consolidando em direção aos Warriors.

 F7Figura 7. Registrando o momento pós massacre.

Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 4 – Tyranids

Visando o objetivo assim como o ponto do Linebreaker, ocorre a movimentação da Tyrant para próximo do objetivo do lado da mesa de meu oponente.

Os Warriors atiram no Draigo, mas não fazem nem cócegas (maldito grandalhão que não toma um tiro).

Fim do quarto turno dos Nids apenas com a movimentação estratégica da Tyrant que desta vez regenerou um dos Wounds tomados.

F8

Figura 8. Movimento Estratégico

Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 4 – Grey Knights

Draigo atira nos Warriors causando 2 wounds em um deles e em seguida carga, matando ele e mais um.

O Warrior restante falha miseravelmente no teste de moral e corre, apenas para ser morto na fuga pelo líder Grey Knight que acaba consolidando e controlando o objetivo antes dominado pelos Nids.

F9

Figura 9. E agora José?

Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 5 – Tyranids

Prevendo o fim do embate, a Tyrant pousa para pegar o objetivo atrás das linhas inimigas.

 F10Figura 10. Rezando para o jogo não durar mais turnos.

 Tyranids 1 x Grey Knights 0

Turno 5 – Grey Knights

Numa tentativa de exterminar os Xenos, Draigo larga o objetivo e tenta se aproximar da Tyrant que estava do outro lado da mesa.

Ele anda e na Psychic Phase tenta usar Gate of Infinity para chegar mais rápido ao seu alvo, mas não contava com os meus dois 6 que cancelaram sua conjuração, diminuindo assim a sua chance de chegar na Tyrant e de mudar a maré da batalha.

Fim do quinto turno dos GK, dado é rolado para ver se o jogo segue e sai um 2, fim de jogo e os Nids conseguem mais uns pontos por controlar um objetivo e pelo Linebreaker.

F11Figura 11. É não deu…

5×0 Tyranids (1 First Blood + 1 Linebreaker + 3 Objetivo)

Conclusões

A partida foi bem legal, mesmo usando poucos pontos. Fixamos alguns pontos importantes de regras e descobrimos o quão chato é causar dano no Draigo e o quão frágil são os Purifiers com apenas 1 Wound cada. Certamente a estrela da noite para o lado dos Nids foi a Tyrant que além de atirar e usar seus poderes bem ainda angariou pontos no final da partida. Para o lado dos Marines o Draigo foi o monstro, e mesmo saindo com a derrota daquela batalha levou consigo muitos troféus arrancados dos corpos dos inimigos caídos. Agora é esperar o novo confronto, e que este não demore tanto quanto o primeiro!

 

Battlestar Galactica Daybreak Lançada em 2013

[SG] SpheraBoards –Battlestar Galactica

Hello pessoas, olha eu aqui de novo, Laíse Lima do Boards e books, pra mais um review. No último tivemos um jogo mais leve, agora claro vamos para um mais demorado, mas tão bom e imersivo que a gente não vê o tempo passar!

Falaremos aqui do jogo base, sem entrar nas expansões de fato, que serão apenas citadas. Mais pra frente podemos fazer resenhas apenas das expansões que adicionam elementos importantes ao jogo.

Pensem em uma adaptação cinematográfica de um livro, ou uma coleção de livros. É mais ou menos isso que acontece com a adaptação do Battlestar para o universo dos boards, no jogo básico encontramos elementos da primeira temporada da série, e nas expansões, efeitos e elementos novos encontrados nas temporadas seguintes são adicionados. Vamos às ficha técnica e sinopse!

Ficha Técnica:

Editora: Fantasy Flight Games

Numero de Jogadores: 3-6

Tempo de Jogo: 3h em média

 

História:

Battlestar Galactica Exodus Lançado em 2010            “Os Cylons foram criados para facilitar a vida nas doze colônias. E então veio o dia em que os Cylons decidiram matar seus mestres. Depois de um longo e sangrento esforço, um armistício foi declarado e os Cylons foram deixados. Quarenta anos mais tarde, retornaram, e levaram a humanidade ao limiar da extinção. Os seres humanos restantes, conduzidos pelo grupo do Battlestar Galactica, fugiram na esperança de encontrar uma nova casa, conhecida por Terra. A única esperança da humanidade é encontrar a posição da Terra e lutar contra os destemidos Cylons. Mas os recursos são poucos, e descobre-se que o inimigo pode agora parecer humano e está infiltrado no interior da frota.

O jogo ambienta os participantes no seriado Battlestar Galactica e consegue reproduzir as situações que os personagens da TV sofriam durante os episódios. Cada um joga com um personagem da série, divididos em 4 grupos: Líder Político, Líder Militar, Piloto e Suporte.

O jogo é cooperativo onde todos os participantes fazem parte da tripulação da espaçonave Battlestar Galactica. Como no seriado, a diversão do jogo é a ameaça Cylon e um ou mais dos jogadores está infiltrado na nave para impedir que os humanos cheguem ao planeta Kobol e ganhem a partida. Os Cylons conseguem se passar por humanos e causam intriga na nave, sabotando e dificultando as tarefas dos humanos.”

Para quem não conhece o seriado a tese é a seguinte:

“Os cylons foram criados pelo homem. Eles se rebelaram. Eles evoluíram. Eles parecem e se sentem humanos. Alguns foram programados para pensar que são humanos. Existem muitas cópias. E eles têm um plano.”

Ganhando o Jogo e Objetivos: Battlestar Galactica é um jogo de equipe, com a complicação adicionada de que as equipes são mantidas em segredo. A cada jogador é atribuído secretamente uma equipe no início do jogo. As duas equipes são os humanos e os Cylons, e cada equipe tem um objetivo específico. Os jogadores humanos estão tentando encontrar o mapa da terra, enquanto os jogadores de Cylon querem simplesmente aniquilar a raça humana. O objetivo do jogo depende de que equipe o jogador pertence. A equipe de um jogador é determinada pelas cartas da lealdade que recebe durante todo o jogo. Todos os jogadores humanos ganham o jogo se viajam pelo menos oito unidades de distância e dê um salto final para alcançar a Terra.Ficha de Personagem. Na parte de baixo as habilidades que ele tem.

Todos os jogadores de Cylon ganham o jogo impedindo os seres humanos de alcançar seu objetivo. Realizam este objetivo zerando a cota de recursos (alimento, combustível, moral, ou população), destruindo a Galactica ou invadindo a Galactica com sucesso através dos Centurions.

Escolha dos Personagens: Ao escolher os personagens, é importante diversifica-los com habilidades diferentes. O último jogador, em particular, deve levar em conta as habilidades dos personagens escolhidos anteriormente ao fazer sua escolha. Por exemplo, se ninguém escolheu um com habilidade de engenharia, pode ser interessante escolher um personagem que tenha essa habilidade.

Carta de crise de Verificação de habilidadesCartas de Lealdade:  Antes do jogo em si começar, as cartas de lealdade são distribuídas, uma para cada jogador. Na carta de lealdade é encontrada a equipe do jogador (se ele será um humano ou um Cylon). Essa carta permanece oculta até o fim do jogo a não ser que um Cylon escolha se revelar (a qualquer momento) e a partir daí jogar como Cylon revelado. Na metade do jogo (no quarto salto da frota) novas cartas de habilidades são distribuídas e as circunstancias podem mudar totalmente, novos Cylons podem aparecer.

Turnos do Jogo:

Battlestar Galactica: é jogado em diversos turnos. Começar com o primeiro jogador e prosseguindo no sentido horário, os jogadores completam seus turnos até verificar se houve vitória dos humanos ou cylon. Cada turno consiste nas seguintes etapas, realizadas em ordem:

  1. Etapa receber habilidades: O jogador atual compra o número e os tipos de cartas da habilidade listados em sua ficha de personagem.
  2. Etapa do movimento: O jogador atual pode transportar-se a uma posição diferente. Caso se transporte a uma posição diferente (da Galactica ao Colonial One ou vice-versa), deve descartar uma carta de habilidade da mão. Os personagens humanos não podem se mover para posições de Cylons, e os Cylons revelados só podem ser mover nas posições de Cylons. Se o personagem está pilotando uma Viper, pode transportar-se a uma área de espaço adjacente durante esta etapa, ou pode descartar uma carta da habilidade para transportar-se a uma posição na Galactica ou em Colonial One, e para retornar sua Viper às “reservas.”
  3. Etapa da ação: O jogador atual escolhe uma ação a executar. As opções incluem as ações listadas em suas posições, ficha do personagem, e cartas da habilidade.
  4. Etapa da crise: A carta superior do deck da crise é comprada e resolvida. Há 3 tipos de carta de crise:

Crises de ataque Cylon: Estas cartas da crise mostram uma imagem da Galactica e de algumas naves de cerco.

Crises de verificação de habilidade: Estas cartas da crise listam uma dificuldade e um ou vários tipos da habilidade, listados como caixas coloridas, no canto esquerdo superior.

Eventos: Toda a carta da crise que não for um ataque de Cylon ou uma Skill check é um evento. Estas crises têm as instruções que devem imediatamente ser seguidas.

  1. Etapa ativar naves de Cylon (caso necessário): Se algumas estão no jogo, as naves de Cylon são ativadas de acordo com a carta da crise extraída.
  2. Prepare para a etapa do salto (caso necessário): Se na carta da crise tiver o ícone “se preparar para salto”, o símbolo da frota avança um espaço na trilha da preparação do salto. Se o símbolo alcança a extremidade desta trilha, então a frota salta. Depois da preparação para a etapa do salto, o turno do jogador atual termina, e o jogador a sua esquerda começa seu turno com a etapa das habilidades.

Verificações de Habilidade:Marcadores de recursos na parte superior, Plataforma de salto no meio a direita e invasão dos centurions abaixo da plataforma de saltos.

Boa parte do jogo se dá na descoberta dos Cylons, e uma das partes principais para essa descoberta é na verificação de habilidades na resolução de cartas de crise. Muitas cartas da crise e posições do tabuleiro exigem verificações da habilidade. As verificações da habilidade representam os esforços e os desafios que exigem habilidades para superar. São representadas sempre por um número da dificuldade (listado primeiramente) seguido pelos tipos necessários da habilidade (caixas coloridas). Todas as verificações da habilidade são resolvidas assim:

  1. Leia a carta: O jogador atual lê a carta para todos os jogadores. Os jogadores podem então discutir o que gostariam de fazer. Se a carta exige que o jogador atual, o presidente, ou o almirante façam uma escolha, esta decisão deve ser tomada agora.
  2. Jogo do deck do destino: Duas cartas do deck do destino são entregues com a face para baixo, começando uma pilha comum. Esta pilha pode ser colocada no tabuleiro, ou em alguma área comum que estiver no alcance de todos os jogadores.
  3. Habilidades do jogo: Começando com o jogador que está a esquerda do jogador atual (e terminando com o jogador atual), cada jogador pode jogar qualquer de cartas da habilidade de sua mão com a face para baixo na pilha comum. Alguns textos nas cartas de habilidade jogadas na pilha são ignorados. Somente a força e os tipos de habilidades em cada carta da habilidade são relevantes quando jogados em uma verificação da habilidade.
  4. Embaralhamento e divisão das cartas: Depois que cada jogador teve uma oportunidade de jogar as cartas da habilidade, o jogador atual pega todas as cartas da habilidade da pilha e embaralha. (As cartas são embaralhadas para que nenhum dos jogadores saiba o que cada um jogou na pilha) Então mostra as cartas com a face para cima em duas novas pilhas. Todas as cartas que combinam um tipo da habilidade (cor) listada na carta da crise são colocadas em uma pilha, e todas as cartas restantes são colocadas em outra pilha.
  5. Força total: A força total (número esquerdo superior) de cada pilha da carta é totalizada. A força total da pilha não utilizada é subtraída da força total da pilha utilizada (combina a cor), dando força final.
  6. Determine o resultado: Se a força final é igual ou maior do que a dificuldade da verificação da habilidade, o resultado da “passagem” da verificação da habilidade é realizado. Se não, o resultado da “falha” é seguido. Todas as cartas da habilidade que contribuíram para a verificação da habilidade e as rejeitadas vão então para a pilha apropriada.

Vista do jogoObjetivo Humano:

Para que os jogadores humanos ganhem o jogo, devem com sucesso saltar a frota várias vezes e alcançar Kobol. Uma vez que a frota alcançou Kobol, os humanos ganham imediatamente o jogo. A frota salta a uma posição nova em uma de duas maneiras.

  1. O símbolo da frota é movido para o espaço Auto Jump na trilha da preparação do salto;
  2. Um jogador ativa a posição do controle FTL. Se a frota salta desta maneira, alguma população pode ser perdida.

A Carta Kobol possui duas informações importantes: quando as cartas adicionais da lealdade são distribuídas e como os humanos podem ganhar o jogo. Quando a frota realiza o 4º salto os jogadores executam a seguinte instrução.

  • Agentes adormecidos: as cartas restantes da lealdade são distribuídas.

Quando a Frota Salta 8 vezes acontece o seguinte:

  • Alcance Kobol: os humanos estão somente a um salto de ganhar o jogo. A próxima vez que os humanos saltam, não compra uma carta do destino e vencem o jogo (contanto que cada recurso for maior do que 0).

Objetivo Cylon:

Para que os jogadores de Cylon ganhem o jogo, devem impedir que os humanos terminem o objetivo de Kobol. Há três maneiras possíveis de fazer isto:

  • Acabar com um recurso: Se um recurso chegar a 0 ou menos no fim do turno de um jogador, os jogadores de Cylon ganham. Esta é a maneira a mais comum dos Cylons de ganhar.
  • Invasão do Centurion: Se pelo menos um marcador do centurion alcança a extremidade da trilha do partido do embarque, então o grupo de Galactica morre e a vitória é dos Cylons.
  • Galactica destruida: Se seis ou mais posições na Galactica têm símbolos de dano neles ao mesmo tempo, então a Galactica é destruída e a vitória é dos Cylons

Este foi apenas um apanhado geral e superficial das regras e objetivos do Battlestar Galactica. Além do jogo base temos as expansões (Mostrar fotos das expansões aqui):

Estatísticas do Jogo:

- Apelo a não boardgamers (alto): Para os fãs da série, ver o um jogo completamente ambientado e que traz um clima extremamente imersivo nos acontecimentos da série é alucinante! Eu mesma comprei no início da minha coleção, foi um dos meus primeiros jogos, só por causa da série. O tema de futurismo e ficção cientifica também é um grande atrativo mesmo para os que não conhecem o seriado, e um toque especial fica pelo clima de traição no decorrer do jogo.

- Complexidade (Alta): É, ele é complexo. Precisa ter alguém que entenda do jogo no meio para ninguém ficar perdido. São muitas regrinhas e tabelas a serem seguidas.

- Independente de idioma (não): Não, tem muita carta, com muito texto, todos em inglês. Tem algumas traduções disponíveis na internet.

- Achado no Brasil (não): Pois é, você só vai achar ele importando ou comprando usado por aqui.

Preço (Justo): O jogo base pode ser encontrado por volta de R$220,00.

Opinião: Ai vem uma pessoa suspeita pra falar. Sou fã da série e o jogo consegue, de forma incrível, dar o clima de tensão que vemos no seriado. É completamente imersivo. Ponto fraco: Não vê muita mesa, é difícil arrumar um grupo pra jogar, principalmente entre iniciantes, pois é um jogo muito, muito, muito longo. No mínimo 3h de duração.

 

Links relacionados ao jogo:

Ludopedia do Redomanet: http://www.ludopedia.com.br/search?nm_jogo=battlestar+galactica

 

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks

Oficinas Lúdicas – oficinasludicas
Twitter: @lailima19
Instagram: @lailima19
Ludopedia: lailima19
Snapshat: lailima19
Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

Sanitarium_Coverart

[SG] Torre Seu Cérebro e Sua Sanidade – Sanitarium

Olá! Eu sou o Jack e sim, sou viciado em games! Hoje analisarei um jogo que não é tão MainStream assim, o maravilhoso Sanitarium, um jogo Point-And-Click de Terror e Puzzle, lançado em 1998 pela ASC Games e desenvolvido pela DreamForge.

Vamos ao enredo:

O jogo começa com um acidente de carro com o protagonista (controlado por você) desacordado e arrastado por alguém para dentro de um lugar. Ao acordar, ele se percebe em um Sanatório, sem se lembrar de nada, nem seu nome ou porque você está lá. Procurando por respostas, você deve sair do Sanatório. Depois disso, você encontra lugares um mais psicodélico e perturbado que o outro. Desde uma cidade pequena, cheia de crianças deformadas, cultuando uma entidade que chamavam de “Mother”, até um circo perturbado.

O enredo é muito bom. Ele te prende MUITO e tem várias explosões de cabeça, sem falar do ambiente gótico e perturbador de cada cenário.

Gangrenemile

A jogabilidade é muito boa, já que é quase um adventure game, sendo controlado somente pelo seu mouse. O jogo conta com uma visão quase isométrica, sendo tudo visto de cima.

O jogo trabalha com puzzles, cujas soluções são inesperadas às vezes, fazendo você fritar o seu cérebro. Uma coisa que você constantemente repete no jogo é: “O que c**alhos tenho que fazer aqui?”, a solução, muitas vezes, só vem depois de horas se matando no puzzle ou abrindo vários diálogos com os NPC’s do local, que deixam certas dicas sobre o que você tem que fazer, procurar ou acionar.

A ambientação do jogo é incrível, se encaixa bem com a premissa e plot do jogo, já que a maioria dos cenários é de um caráter gótico, perturbado e insano. Um bom exemplo é a cidade do segundo cenário, que é aquela típica cidade do interior do USA, tendo até aquelas capelas pequeninas, porém cheia de crianças deformadas que cultuam sem saber uma entidade que está presa na cidade, essa que matou todos os adultos da cidade. Louco né?

A trilha sonora é bem semelhante às músicas do canal Myuuji, ou seja, é bem creepy mesmo.

34-sanitarium_still3

Eu darei a Sanitarium a nota de 4.0/5, já que apresenta um ótimo jogo de horror, com puzzles extremamente difíceis e um ambiente que deixa qualquer um arrepiado.

Enfim, espero que vocês tenham gostado e adquirido certo conhecimento sobre o jogo.

 

 

Dúvidas, críticas, correções e sugestões vocês podem enviar para o e-mail de contato e para me encontrar na rede  acesse:

contato@spherageek.com

Twitter: @JackSpheraGeek

jackspherageek@gmail.com

Um abraço,

Jack

download (1)

[SG] Stone Age

Hello pessoas, olha eu aqui de novo, Laíse Lima do Boards e books, pra mais um review. Vamos falar de um jogo da categoria dos Eurogames (em breve farei um post explicando detalhadamente o que é isso). Um jogo de administração de recursos que reconta as desventuras da Idade da Pedra.

Ficha Técnica:
Editora: Rio Grande Games
Editora no Brasil: Devir
Numero de Jogadores: 2-4
Tempo de Jogo: 90min em média

História:
​Cada jogador representa uma tribo de homens das cavernas desejando prosperar sua vila, construindo cabanas e adquirindo progresso através de cartas especiais. Esses são os dois meios que concederão pontos de vitória para um jogador vencer no final da partida, mas para isso será necessário obter recursos para construção, sem falar na coleta de comida para alimentar o seu povo.

Fases do Jogo:
Alocação de trabalhadores: Em ordem, cada jogador escolhe uma das áreas abaixo para mandar seus trabalhadores. Depois que cada jogador escolheu uma área, o jogador que iniciou a rodada volta a escolher outra área disponível, caso ainda tenha trabalhadores. Isto é feito até que nenhum jogador tenha como alocar homens das cavernas nas áreas do tabuleiro.

  • Agricultura: Na fase de resolução aumentará em 1 a produção de comida automática daquele jogador.
  • Cabana do Amor: Na fase de resolução aumentará em 1 a quantidade total de homens das cavernas.
  • Campo de caça: Na fase de resolução o jogador rola um dado para cada trabalhador que colocou nessa área. Soma-se o valor dos dados e divide-se por 2 (arredondado para menos). Essa é a quantidade de comida obtida.
  • Floresta: Igual ao campo de caça, só que se obtém madeira e divide a soma dos dados por 3.
  • Poço de argila: Igual ao campo de caça, só que se obtém barro e divide a soma dos dados por 4.
  • Pedreira: Igual ao campo de caça, só que se obtém pedra e divide a soma dos dados por 5.
  • Garimpo: Igual ao campo de caça, só que se obtém ouro e divide a soma dos dados por 6.

imagesExemplo de extrativismo: No inicio da rodada, um jogador colocou quatro homens das cavernas na floresta. Na fase seguinte ele rola quatro dados e obtêm-se os valores de 1, 3, 4 e 6. Somam-se os dados e divide o valor por três (14/3 = 4, arredondado pra menos). O jogador obteve 4 madeiras.

  • Produção de ferramentas: Na fase de resolução obtém-se uma ferramenta. Durante a vez de um jogador, APÓS ele rolar os dados, ele pode gastar uma ou mais peças de ferramenta (ele não perde, apenas usa) para adicionar o seu valor impresso na rolagem. No exemplo acima, se o jogador tivesse uma ferramenta de valor 1, ele poderia usá-la para adicionar “1” ao valor total, antes de ser dividido. No caso, 14+1 = 15, que dividido por três (no caso da extração de madeira) rende cinco madeiras ao invés de quatro.
  • Construção de cabana: Cada cabana tem um custo em materiais na parte inferior da peça, enquanto no canto superior direito há o valor em pontos de vitória imediatos que ela concede. Na fase de resolução, se um jogador tiver os recursos necessários, ele paga e obtém a cabana e os pontos de vitória.
  • Compra de cartas de civilização: Ao ocupar uma carta de civilização com um trabalhador, na fase de resolução o jogador pode pagar o seu custo respectivo e ganhar esta carta. Toda carta tem dois benefícios. Na parte superior da carta mostra que benefício imediato o jogador recebe ao comprá-la, enquanto na porção inferior mostra que benefício de fim de jogo ele receberá. As cartas de civilização são vitais na estratégia! É possível um jogador estar bem atrás nos pontos de vitória durante uma partida para disparar no final do jogo se tiver uma boa combinação de cartas. Há dois tipos de bônus de fim de jogo. O primeiro tipo são as cartas que apresentam um multiplicador, que dão pontos de vitória baseados na quantidade de ferramentas, trabalhadores, cabanas ou agricultura. O segundo tipo são as cartas que tem um símbolo que tematicamente representa um avanço da civilização. Há 8 tipos de símbolo em Stone Age e um jogador recebe um bônus de pontos de vitória igual ao quadrado de símbolos diferentes (64 pontos no máximo).

IMG_0158

​Resolução das Ações: A fase seguinte consiste na resolução dos trabalhadores de cada jogador. O jogador vai retirando seus homens das cavernas do tabuleiro e resolvendo área por área, na ordem que quiser.​

​Alimentação da Tribo: Depois da resolução de ações, é hora de alimentar a tribo. Cada jogador precisa pagar 1 de comida por cada trabalhador que tiver. Caso falte 1 ou mais comidas, o jogador tem duas opções: ou paga a diferença que falta com recursos ou perde 10 pontos de vitória. Feito tudo isto, a rodada termina.

Fim de jogo

Stone Age termina de duas formas: ou quando se esgota uma das pilhas de cabanas que podem ser construídas ou quando não se consegue repor as cartas de civilização. Cada jogador então mostra as cartas que comprou, obtém-se os pontos de final de jogo de cada carta, além de receber 1 ponto de vitória por cada recurso (exceto comida) que sobrou em sua cartela. Quem conseguir o maior número de pontos de vitória, vence.

Estatísticas do Jogo:

​- Apelo a não boardgamers (moderado): O jogo tem uma arte bonita, peças atraentes e uma mecânica divertida, porém pode ser um pouco lento para quem não tem experiência com Board Games.

​- Complexidade (baixa): Stone Age é bastante simples em termos de regras e dinâmica.

​- Independente de idioma (não): E já existe o jogo na versão em português.

​- Achado no Brasil (sim): Você pode encontra-lo em lojas de Board Games modernos ou no site da própria editora.

​Preço (Justo): Um pouco caro, mas vale a pena o investimento. O jogo base sai por volta de R$280,00.

​Opinião: Um jogo leve, gostoso de jogar, que atrai não gamers e que tem uma mistura perfeita de tema e mecânica. ​

Links relacionados ao jogo:

Jogo disponível para androide: Clique aqui

Laíse Lima – Boards e books
Acompanhe pelas redes sociais:
Fanpage Boards e books – boardsebooks
Oficinas Lúdicas – oficinasludicas
Twitter: @lailima19
Instagram: @lailima19
Ludopedia: lailima19
Snapshat: lailima19
Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

capaBio

[SG] A Maravilhosa Mente de Jack: Você tem medo de Deus? – Bioshock Infinite.

Olá! Para você que não me conhece eu sou o Jack e sim! Sou viciado em games.

O jogo que trarei hoje é a continuação de Bioshock 1, mesmo não sendo direta, hoje trago a vocês Bioshock
Infinite. Lançado em Março de 2013, desenvolvido e distribuído pela 2K Games e Irrational Games.
É um jogo de FPS, só que com o foco na história, diferente de um BF ou CoD, cujo foco é o Multiplayer.

Vamos ao enredo.

ATENÇÃO! ESSA RESENHA TERÁ SPOILERS DE BIOSHOCK! LEIA POR SUA CONTA E RISCO!

iniciobioO jogo começa com o protagonista, Booker DeWitt em uma pequena balsa rumo a um farol. Duas pessoas remarão o
barco (“Um Cavalheiro” e “Uma Dama”), até um farol.
Sua missão será simples. Ir para a cidade acima das nuvens, trazer a garota e pegar suas dividas.
Só que nem tudo é tão simples. Ao chegar em Columbia (a cidade que está acima das nuvens), conheceremos o seu controlador,um líder religioso chamado Father Comstock.

Você encontrará uma série de problemas do tipo: A tatuagem que seu personagem tem na mão direita, o deixa conhecido como o Falso Pastor. Todos os elementos desse Bioshock são inversos do primeiro jogo, mesmo a premissa sendo a mesma (isso é explicado no final do jogo).
Por exemplo:
Rapture de Andrew Ryan é uma cidade submersa, já Columbia de Comstock é uma cidade acima das nuvens.
O “personagem protetor” deste jogo é o Songbird, ele desempenha função parecida ao do Big Daddy do primeiro
jogo, proteger não importa o que custar.

O final desse jogo é tão impactante, talvez até mais, do que o do primeiro. Enquanto no final do primeiro é revelado que nosso personagem não passava de um clone programado para obedecer todo comando que começasse com “Would you kindly”, nesse teremos coisas como viagem no tempo e loopings infinitos (como o dia da marmota de Twilight Zone).
Esses que envolvem totalmente uma habilidade que Elizabeth tem que é a de abrir fendas temporais e espaciais. Também envolve os irmãos Lutece, que acompanham você pelo jogo inteiro, fazendo perguntas enigmáticas e até mesmo de cunho filosóficas.

meiobioA ambientação do jogo é incrível, cada cenário é uma obra de arte, deixa muito o jogador no clima daquela cidade
religiosa dos anos 20. A trilha sonora nem se fala, principalmente se tratando da música que a Elizabeth canta no jogo: “Will the circle be unbroken” (https://www.youtube.com/watch?v=0e4Crth_Hb8). A IA do jogo é maravilhosa!

A escolta da Elizabeth não é nada complicada, pelo simples fato dela saber se defender sozinha, se escondendo de tiros. Ela também é útil, podendo encontrar dinheiro, vigor e vida para dar suporte a você, não é uma personagem tipo a Ashley que mais atrapalha do que ajuda.
No jogo anterior, tinha uma mecânica herdada do System Shock que é a de usar Magia e a Arma, nesse não poderia
ser diferente, você tem o chamado “Vigor” que podem ser combados com suas armas e entre si.

finalbio

Bioshock Infinite é um jogo maravilhoso e desafiador, tendo uma história que deixa você curioso sobre o que virá pela frente e honra o nome do primeiro jogo da franquia, por isso dou a ele 4.8/5 spheras.

Enfim, espero que vocês tenham gostado e adquirido certo conhecimento sobre o jogo.

Dúvidas, críticas, correções e sugestões vocês podem enviar para o e-mail de contato e para me encontrar na rede  acesse:
contato@spherageek.com
Twitter: @JackSpheraGeek

jackspherageek@gmail.com

Um abraço,
Jack

horizon_chamada

[SG] Lançamentos de games: Fevereiro de 2017

Alguns dos principais destaques do mês serão o RPG em mundo aberto de “Horizon: Zero Dawn“, os tiroteios certeiros de “Sniper Elite 4“, as batalhas entre guerreiros de “For Honor” e os combates samurais de “Ni-Oh“.

 

DIA:02

Título: Fire Emblem Heroes
Gênero: RPG, Estratégia
Plataforma: iOS, Android
Produtora: Nintendo
Link oficial

 

DIA:03
Título: Poochy & Yoshi’s Wooly World
Gênero: Plataforma
Plataforma: 3DS
Produtora: Good-Feel
Link oficial

 

DIA:07
Título: Atelier Sophie: The Alchemist of the Mysterious Book
Gênero: RPG
Plataforma: PC
Produtora: Gust
Link oficial

 

DIA:07
Título: Nights of Azure
Gênero: RPG
Plataforma: PC
Produtora: Gust
Link oficial

 

DIA:07
Título: WWE 2K17
Gênero: Luta
Plataforma: PC
Produtora: Visual Concepts

 

DIA:09
Título: Ni-Oh
Gênero: Aventura, RPG, Ação
Plataforma: PS4
Produtora: Team Ninja
Link oficial

 

DIA:14
Título: De-Formers
Gênero: Ação
Plataforma: PC, Xbox One, PS4
Produtora: Ready at Dawn
Link oficial

 

DIA:14
Título: For Honor
Gênero: Ação
Plataforma: PC, Xbox One, PS4
Produtora: Ubisoft
Link oficial

 

DIA:14
Título: Sniper Elite 4
Gênero: FPS (First Person Shooter), Ação, TPS (Third Person Shooter)
Plataforma: PC, Xbox One, PS4
Produtora: Rebellion Developments
Link oficial

 

DIA:21
Título: Bersek And The Band Of The Hawk
Gênero: RPG, Ação
Plataforma: PC, PS Vita, PS4
Produtora: Omega Force
Link oficial

 

DIA:21
Título: Ys Origin
Gênero: RPG, Ação
Plataforma: PS Vita, PS4
Produtora: Nihom Falcom
Link oficial

 

DIA:24
Título: Lego Worlds
Gênero: Aventura, Ação
Plataforma: PC, Xbox One, PS4, Switch
Produtora: Traveller’s Tales
Link oficial

 

DIA:28
Título: Horizon: Zero Dawn
Gênero: RPG, Mundo aberto, Ação
Plataforma: PS4
Produtora: Guerrilla Games
Link oficial

 

DIA:28
Título: Torment: Tides of Numenara
Gênero: Ação, RPG
Plataforma: PC, Xbox One, PS4
Produtora: inXile Entertainment
Link oficial

 

 

Fonte: Adrenaline Uol

617-lego-batman-o-filme-novo-trailer-divulgado-tb

[SC] Lego Batman – O Filme

Geeks e Cinéfilos,

Depois do grande sucesso do Lego – O Filme, temos o spin off do melhor e maior personagem da franquia.

Será o Batman definitivo?

Agora é hora da sinopse.

Sinopse:

Extremamente egocêntrico, Batman leva uma vida solitária como o herói de Gotham City. Apesar disto, ele curte bastante o posto de celebridade e o fato de sempre ser chamado pela polícia quando surge algum problema – que ele, inevitavelmente, resolve. Quando o comissário Gordon se aposenta, quem assume em seu lugar é sua filha Barbara Gordon, que deseja implementar alguns métodos de eficiência de forma que a polícia não seja tão dependente do Batman. O herói, é claro, não gosta da ideia, por mais que sinta uma forte atração por Barbara. Paralelamente, o Coringa elabora um plano contra o Homem-Morcego motivado pelo fato de que ele não o reconhece como seu maior arquinimigo.

Análise

Enfim uma animação que nos faz rir do início ao final. Um filme para a família toda, de piadas de referência (Amém) à piadas de bumbum (Para crianças). Teremos “fan service” para todos os gostos. Isso tudo misturado numa receita simples, que faz esse roteiro, mesmo sendo simples, ser coeso e interessante.

Temos um batman zoeiro, mas com problemas de relacionamento. O centro da conversa é o seu ego e seu maior problema a solidão.

O restante do cenário e participantes têm o estilo da lego com vários cenários e muitos personagens, mas nada embolado.

Vá de coração aberto.

6 / 7 BatSpheras

Assista o bate papo meu, Mario Felix e Gabriel Gaspar do Canal Acabou de Acabar

RE6 7 Wonders

TOP 5 – Board Games Baseados em Livros/Séries

​Fala pessoas,

Laíse do Boards e books (B&B) de volta pra falar mais sobre Jogos de Tabuleiro! Vamos a mais um TOP 5! Há 4 anos sou criadora e diretora do Projeto Educacional Oficinas Lúdicas, que tem por objetivo levar a ludicidade para o ambiente escolar através dos Jogos de Tabuleiro Modernos! Já testamos mais de 30 jogos e selecionei aqui os 5 maiores sucessos do projeto para, quem sabe, você professor, pai ou admirador da educação possa coloca-los em sua sala de aula ou, até mesmo, se divertir junto com a criançada!

 

5º Lugar – Ubongo

Ubongo_jogo_1

​Com certeza você já jogou Tetris, ou pelo menos já ouvir falar desse divertido jogo dos games antigos! Ubongo é inspirado nele, um verdadeiro quebra-cabeças abstrato! Cada jogador recebe 12 peças de formatos diferentes. Em cada rodada, os jogadores pegam uma placa com espaços vazios. Então, um jogador lança o dado especial do jogo e vira a ampulheta que serve como cronômetro. O resultado do dado é uma figura que está indicada na lateral da placa. Esta figura representa 3 peças (jogo básico) ou 4 peças (jogo avançado) que o jogador precisa para montar o quebra-cabeças corretamente e assim cobrir todos os espaços vazios da placa.

​Ubongo é um jogo dinâmico e tenso, porém extremamente divertido! Exige raciocínio rápido e muita noção espacial. Perfeito para crianças na faixa de 8 a 10 anos, mas diverte até os mais maduros e gamers!

 

4º Lugar – Ricochet Robots

Ricochet Robots 2

​Um jogo no qual cabe muita gente, pra jogar de grupão e queimar os neurônios, esse é o Ricochet Robots! O jogo vem com quatro tabuleiros de 2 lados que juntos, formam o tabuleiro central, uma sala grande com paredes espalhadas por ela. Em cima desse tabuleiro, são posicionados 4 robôs. A ideia de cada turno é levar um robô de determinada cor para um local selecionado randomicamente. O problema é que assim que o robô começa a se mover ele tem que continuar em linha reta até encontrar uma parede ou um outro robô que o pare. Com isso, os jogadores tem que descobrir várias sequências, movendo mais de um robô ao mesmo tempo, para conseguir levar o Robô ao seu destino.

​Parece complexo, num primeiro momento, entender como funciona, mas complexo mesmo é conseguir cumprir o objetivo de fazer o robô chegar lá com o menor número de movimentos possível. Apesar de parecer complexo, é viciante! Observar uma mesa de Ricochet Robots acontecendo é hilário, alguns minutos de silêncio absoluto e 100% de concentração e, de repente, alguém grita um número! As crianças amam o jogo, principalmente quem gosta de matemática, de lógica e de grandes desafios!

 

3º Lugar – Dixit

Dixit

​Um dos melhores jogos para exercitar a criatividade. Na vez de cada jogador, este escolhe uma de suas 6 cartas na mão (cada carta possui um desenho diferente) e dá uma dica sobre a arte da mesma, pode ser uma palavra, frase, mímica, cantar um música (qualquer coisa, o legal é ser criativo), após isso o jogador separa esta carta virada para baixo.

Os outros jogadores olham na própria mão e dentre suas 6 cartas, escolhem uma que melhor se encaixa naquela dica, separando junto com a carta do jogador da vez, também com a face para baixo. As cartas são embaralhadas e reveladas e os outros jogadores devem descobrir qual a carta do jogador da vez. Por meio de votação os pontos são distribuídos, dependendo se todos acertarem, nenhum acertar, ou alguma condição intermediária a isso. O jogador da vez busca justamente a condição que alguém erre e alguém acerte, ou seja, ele não pode dar uma dica nem muito fácil, nem muito difícil. O jogador que primeiro atingir 30 pontos vence.

A diversão desse jogo está em ser criativo e buscar entender o que os outro jogadores pensarão com a sua dica. Portanto, o Dixit não só diverte, mas trabalha a socialização e a criatividade.

 

 

2º Lugar – 7 Wonders

7 Wonders

​Sou bem suspeita pra falar pois este é o meu jogo favorito, mas sinceramente 7 Wonders é um jogão! Além de trabalhar questões históricas, como a evolução das civilizações e as maravilhas do mundo antigo, também trabalha muita matemática e dá ao jogador uma linha de pensamentos estratégicos extremamente ampla e diversificada.

​7 Wonders dura três eras. Os jogadores têm tabuleiros individuais com poderes especiais- “maravilhas”, onde são colocadas suas cartas. Em cada era, os jogadores recebem sete cartas, escolhem uma, e em seguida, passam o restante para um jogador ao lado (o que chamamos de Draft). Os jogadores revelam suas cartas simultaneamente, podendo fazê-lo de três maneiras: descartando-a para receber ouro, usando-a para evoluir a sua “maravilha” ou construindo-a e, para isso, deve pagar recursos (se necessário), momento em que há interação com os jogadores das cidades vizinhas através do comércio de recursos. Finalizada esta etapa, cada jogador escolhe uma das cartas restantes (aquelas que recebeu de seu “vizinho”), e o processo se repete até que seis cartas sejam utilizadas, o que configura o fim daquela era, momento em que existirá um combate com seus vizinhos. Depois de três eras, o jogo termina.

Em essência 7 Wonders é um jogo de cartas e desenvolvimento. Algumas cartas têm efeitos imediatos, enquanto outros oferecem bônus ou upgrades no decorrer do jogo; algumas geram descontos para compras futuras; algumas fornecem força militar para dominar os seus vizinhos e outras dão apenas pontos de vitória. Como no jogo você sempre sabe quais as cartas que o seu vizinho está recebendo, pode-se imaginar como as próximas escolhas deles poderão afetar o que você já construiu, fato que confere ao jogador mais domínio estratégico da partida.

 

1º Lugar – Pandemic

Pandemic

​É, ele não podia faltar. O grande sucesso do Oficinas Lúdicas, o jogo que todo mundo quer enfrentar, é sempre uma competição acirrada para ficar na mesa do Pandemic! Ciências, medicina, epidemiologia, geografia, atualidades… todos esses conteúdos podem ser trabalhados durante uma partida de Pademic. Sem dúvidas, é o grande sucesso das salas de aula!

​Em Pandemic, várias doenças virulentas eclodiram simultaneamente em todo o mundo! Os jogadores combatem a doença e assumem o papel de especialistas cuja missão é tratar os focos enquanto pesquisam a cura para cada uma das quatro pragas.

O tabuleiro do jogo mostra vários grandes centros populacionais na Terra. Em cada turno, um jogador pode utilizar até quatro ações para viajar entre cidades, tratar populações infectadas, descobrir uma cura ou construir uma estação de pesquisa. Um baralho de cartas fornece habilidades aos jogadores, mas espalhados por este baralho estão cartas de Epidemia! Estas cartas aceleram e intensificam a atividade das doenças.

Tomando um papel único dentro da equipe, os jogadores devem planejar a sua estratégia para combinar suas forças de especialistas, a fim de curar as doenças. Se uma ou mais doenças se espalha além da recuperação ou se decorrido muito tempo, todos os jogadores perdem. Se curar as quatro doenças, todos eles ganham!

 

Ai está, nosso segundo TOP 5! Quer ver mais sobre o Oficinas Lúdicas? Entra na nossa página oficial do Facebook e veja nosso trabalho! E não esquece de me acompanhar nas redes sociais, tamo junto!! E vamo que vamo!!

 

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks

Oficinas Lúdicas – oficinasludicas

Twitter: @lailima19

Instagram: @lailima19

Ludopedia: lailima19

Snapshat: lailima19

Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487