logo-2x-1

44º Salão Internacional de Humor de Piracicaba – Conheça sua História

De 26 de agosto a 12 de outubro 2017

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba surgiu em 1974, em meio à ditadura militar, como uma iniciativa corajosa de um grupo de piracicabanos – jornalistas, artistas e intelectuais – que costumavam se reunir num conhecido bar da cidade chamado Café do Bule.

Tudo começou com a ideia de inserir uma mostra de humor gráfico dentro do Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba. A partir daí, esses piracicabanos partiram para uma viagem com destino ao Rio de Janeiro, no ano de 1972. Na capital carioca, Alceu Marozzi Righeto, Adolpho Queiroz e Carlos Colonnese, estabeleceram contato com o jornal “O Pasquim” e apresentaram o projeto ao cartunista Jaguar, que aprovou a iniciativa. Por escrito, Jaguar autorizou a cessão de seus originais em poder da Editora Abril, que não atendeu ao pedido e a mostra não aconteceu.

Após este fato, um grupo maior, encabeçado por Luiz Antônio Lopes Fagundes – na época Secretário Municipal de Turismo de Piracicaba – que contava com Alceu, Adolpho, Colonnese, Roberto Antonio Cêra, Ermelindo Nardin e Luis Mattiazzo (Chefe de Gabinete da Prefeitura), apoiado pelo então Prefeito de Piracicaba, Adilson Benedito Maluf, resolveu criar o Salão de Humor de Piracicaba. Alceu e Cerinha convenceram Fagundes a usar uma verba de 10 mil cruzeiros – a princípio destinada ao Salão de Fotografia – para a organização do I Salão de Humor de Piracicaba.

charge-1-lugarPara tal, teriam que voltar ao Rio de Janeiro e convencer os editores do “O Pasquim” a participarem do empreendimento. Seguiram viagem com a convicção que iam conseguir o seu objetivo. Depois de muita estrada, conversas, confusões e garrafões de pinga, os jovens que desejavam criar, numa cidade do interior de São Paulo, um Salão de Humor Gráfico que mais caberia em uma cidade grande, conseguiram o apoio de Jaguar, Millôr Fernandes, Paulo Francis e Zélio Alves Pinto.

A partir daí, teve início a grande amizade entre Piracicaba e os cartunistas mais festejados do Brasil e no ano de 1974 foi realizado o I Salão de Humor de Piracicaba, com a participação de Millôr, Ziraldo, Zélio, Jaguar, Fortuna e Ciça.

Em pleno regime militar, com o receio de ter suas portas lacradas no primeiro dia, o Salão ultrapassou todas as expectativas iniciais. Ninguém imaginaria que a partir da terceira edição, o evento se tornaria internacional, transformando Piracicaba em uma espécie de capital do humor para a qual anualmente tem os olhos de artistas do mundo inteiro voltados para si.

1-caetano_cury_nardi_-_brasil01Conhecidos cartunistas brasileiros contribuíram para a transformação do Salão de Piracicaba num dos mais importantes encontros do humor gráfico do Brasil e exterior, entre eles: Ziraldo, Fortuna, Millôr, Zélio, Henfil, Jaguar, Luis Fernando Veríssimo, Paulo e Chico Caruso, Miguel Paiva, Angeli, Laerte, Glauco, Edgar Vasques, Jaime Leão, Gual e Jal.

Realizado a 44 anos e considerado um dos Salões mais importantes do mundo no universo das artes gráficas, continua cumprindo seu papel na valorização da arte do desenho de humor: um espaço de reflexão e fruição do belo, revelando talentos, mostrando os profissionais consagrados e resgatando autores e obras históricas.

 

o-conto-da-aia-11

[SC] Séries e Livros Impactantes: O Conto da Aia (The Handmaid’s Tale) por Domenica Mendes

Bom dia amigos, apresento nossa convidada de hoje para esta resenha especial. Sim!!!! Domenica Mendes, veio especialmente do podcast Perdidos na Estante para nos deixar suas impressões sobre este livro tão importante e sobre a série que tem mexido com as entranhas da sociedade… kkkk

Para encontrar o Perdidos na Estante acesse o link ok?

O Livro

download“O Conto da Aia” (The Handmaid’s Tale) é uma daquelas obras que vai mudar a sua vida e a forma como você vê e vivencia suas experiências. Escrito por Margareth Atwood em 1985, a obra chegou a ser aclamada e igualmente proibida dentro de escolas, tamanha a reflexão e incômodo que promove. É quase um ato de rebeldia contra atitudes machistas e governos autoritários que destroem o nosso poder feminino e feminista.

A obra se passa em um Estados Unidos distópico, cuja data não sabemos ao certo, porém é não é muito distante da nossa realidade. Em parte do país, foi instaurada a República de Gilead, uma resposta criada para lidar com um problema de nível mundial: a falta da capacidade de procriação humana.

Em Gilead, todos têm obrigações e protocolos a cumprir bastante específicos e as mulheres são divididas em castas, de acordo com a sua utilidade. As mulheres comuns levam uma vida regrada e com obrigações, porém não são o centro da sociedade. As inférteis são chamadas de “Martha”, trabalhando na casa de famílias de poder, sendo responsáveis por cuidar da manutenção do lar. As férteis, ah!, a essas é dado um destino cruel: elas se tornam “Aias”.

Separadas de suas famílias e filhos, as Aias se tornam propriedade do estado, cujo destino é oferecer filhos para a manutenção da República de Gilead. É justamente pelo olhar de uma dessas mulheres que conhecemos a realidade dessa sociedade no livro e, posteriormente, na série.

A experiência de leitura e de seriadora

“O Conto da Aia” foi recentemente adaptada para uma série dramática, produzida e veiculada pelo Hulu, um streaming americano. A adaptação foi tão bem recebida pelo público e pela crítica que ela foi renovada para a segunda temporada antes mesmo de ser finalizada a sua primeira e recebeu diversas indicações ao Emmy de 2017.

Conhecer esse universo pelas letras é uma experiência de amadurecimento. A leitura não é difícil, pelo contrário, é extremamente humana e de fácil entendimento. Difícil mesmo é lidar com nossos sentimentos de repulsa e ansiedade criados pela possibilidade de nos vermos naquela situação ou em situações parecidas. E, neste ponto, a série merece palmas: é absurdamente bem feita e bem apresentada!

Compreendo que nem todas as pessoas gostem de livros distópicos ou obras provocantes, porém no momento histórico que vivemos é preciso cair de cabeça no universo criado por Atwood. Por isso, eu te peço: leia “O Conto da Aia” ou, se preferir, assista à série “The Handmaid’s Tale”.

Em tempos onde as minorias começaram a se (re)erguer e manifestar suas dores, exigindo seus direitos e lutando para reaver seus espaços cruelmente tirados pelo decorrer da história, as maiorias tiraram suas máscaras para gritar, bater, espancar, estuprar, torturar e matar a quem está querendo igualdade.

Todo esse processo que vivemos não é novo na História. E o “Conto da Aia” é uma obra que nos lembra disso. Margareth Atwood não criou um mundo fictício, pelo contrário, ela se baseou na História mundial para pegar elementos que já aconteceram e ainda acontecem a milhões de pessoas no mundo todo para mostrar o que é possível quando uma sociedade aceita uma mudança de governo em silêncio, mesmo sabendo que isso parece um pouco suspeito ou estranho.

É mais uma prova que nos mostra nossa grandiosidade e fragilidade enquanto sociedade. Dentro de nossas vidas particulares, costumamos nos esquecer do todo. Felizes somos nós que temos escritoras incríveis por Margareth Atwood que nos mostra o que é possível de nos acontecer caso desistamos de nossa sociedade e nós mesmos.

Obrigada, Atwood, por nos fazer mulheres mais fortes! Nolite te bastardes carborundorum*.

*Não deixe que os bastardos te derrubem.

 

Já renovada para a segunda temporada, “The Handmaid’s Tale” vem colecionando elogios…Vamos aguardar as novidades.

 

510x340

[SD] Dicas do Netflix | RuPaul’s Drag Race

RuPaul’s Drag Race é um reality, idealizado e apresentado pela famosa dragqueen RuPaul, que procura as dragqueens que tenham carisma, coragem e talento para suceder ao título America’s Next Drag Superstar, em tradução literal Próxima Drag Superstar da América.

Inicialmente desenvolvido para a MTV norte-americana, o reality show estreou no canal Logo no dia 2 de fevereiro de 2009, conseguindo o título de programa mais assistido do canal nos Estados Unidos. A recepção positiva do público fez com que o reality acumulasse nove temporadas. Durante os episódios, que ocorrem semanalmente, as competidoras participam de gincanas e provas onde são testadas suas habilidades em canto, dança, costura, talento, humor e personalidade.

No Brasil, foi exibido até sua quarta temporada pela emissora de TV a cabo VH1 Brasil. Em 2015, a Globosat comprou os direitos de exibição do reality.  Em agosto de 2015, o canal Multishow exibiu com exclusividade na TV brasileira a 7ª temporada do reality. A partir do dia 15 de abril de 2017, o canal Comedy Central irá transmitir a 8ª temporada. Atualmente, o serviço de streaming Netflix fornece da 2º a 7º temporada do programa para serem assistidas via internet.

O reality possui um spin-off, chamado RuPaul’s Drag Race: All Stars, no qual competidoras de temporadas passadas retornam para competir novamente, na luta para entrar no “Drag Race Hall of Fame”.

RuPaul’s Drag Race já ganhou muito prêmios, incluindo o TV.com’s Best of 2012 Awards na categoria de Melhor Reality de Competição.

Confira um dos muitos trailer deste reality:

01

k-de-bernardo-kucinski

[SL] K. Relato de uma busca | B. Kucinski

Um retrato da ditadura
Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu

“Pedaço de mim” – Chico Buarque

K. – Relato de uma busca, foi escrito por Bernardo Kucinski e trata-se de uma história que ao mesmo tempo em que é verídica também é uma ficção. O livro retrata a busca incansável de um homem pela sua filha que simplesmente desapareceu da faculdade onde lecionava. A filha era professora de Química e desapareceu durante a Ditadura Militar. O livro é real e também ficcional. Digo isso pela história da irmã do autor que também desapareceu durante a Ditadura Militar.

Esta história se assemelha à de Zuzu Angel, e mostra uma perversidade única na realidade dos “desaparecimentos”. O livro, verdadeiramente, te faz pensar em muitas coisas. Ele é a prova viva de tudo que a gente ouve na escola, de tudo que a gente lê, de tudo que a gente estuda.

K. mostra que, de fato, tudo aquilo foi real. A Ditadura aconteceu, as pessoas morreram, as pessoas desapareceram e, muitas delas, até hoje não se sabe o que aconteceu ao certo.
Por outro lado, esta é também uma história do sofrimento judeu, e tudo o que acontece não passa de uma repetição de outros tantos massacres históricos.

Uma marca boa do estilo de Kucinski é a alta variabilidade de gêneros no livro: há cartas, depoimentos… relatórios de informantes. Acho que isso, somado ao fato de que os capítulos são curtos e a história, boa, colabora para o fato de que a leitura flui rápida.

bernardo-kucinski-foto-de-carolina-ribeiro.jpgBernardo Kucinski: (São Paulo, 1937) é um jornalista, escritor e cientista político brasileiro. É colaborador do Partido dos Trabalhadores e professor da Universidade de São Paulo, onde ministra a cátedra de jornalismo internacional, entre outras.

 

Nova Imagem de Bitmap

[PS-PodoSphera] Eu virei um Caso e Causos…

Olá Geeks,

Na coluna PodoSphera da semana iremos comentar sobre o episódio 09 do Podcast Casos e Causos, do meu amigo Diogo Braga, ou também conhecido como Diogo Menestrel.

Antes de abordar sobre o episódio é interessante falar que ele é um podcast de storytelling, onde conta histórias vividas ou não pelos narradores.

Nesta última semana saiu um causo, de um professor bem conhecido por aqui: Eu! Onde comento sobre um aluno no meu início de carreira.

Sem mais delongas, clique abaixo para ouvir o cast e comente no link do Mundo Podcast.

Comentários: https://mundopodcast.com.br/casosecausos/9-brinca-comigo/

Até

z

“Game of Thrones” será tema de estudo em curso de Harvard

Sucesso na literatura e televisão, “Game of Thrones” agora é tema de curso em Harvard. É isso mesmo. A universidade vai usar a série para incentivar estudos sobre a Idade Média, explorando de modo correto a visão equivocada que a atração da HBO apresenta o período medieval.

Em entrevista à revista Time, os professores responsáveis pelas aulas disseram que o curso, intitulado “O verdadeiro Game of Thrones: dos mitos modernos aos modelos medievais”, irá analisar como a série conta, adapta e distorce a história e a cultura do mundo no período compreendido entre 400 d.C. e 1500 d.C.

E vocês, se inscreveriam nas aulas?!

Confira o trailer da nova temporada 2017:

fonte: Guia da Semana

54721_w840h525_1495221554ralph

[SC] Disney divulga calendário com lançamentos até 2021

Mulan”, “Mary Poppins”, “O Rei Leão”, “Indiana Jones”…  Em que ano estamos mesmo? A verdade é que, de olho num público cada vez mais nostálgico, a Walt Disney vem investindo em remakes e sequências de seus antigos sucessos e divulgou nesta sexta-feira (19) uma lista com todos os seus lançamentos planejados para os cinemas até 2021.

Até lá, podemos esperar por novos títulos da Marvel (como “Pantera Negra” e “Capitã Marvel”) e da LucasFilm (“Han Solo” e “Star Wars Ep. IX”), além de versões em live action dos clássicos animados da marca (“Mulan” e “O Rei Leão”), entre outras novidades mais interessantes (como a adaptação de “A Wrinkle in Time” por Ava DuVernay ou a animação original “Gigantic”).

Confira a lista completa e prepare-se para uma invasão Disney nos cinemas:

2017

  • Piratas Do Caribe: A Vingança De Salazar -25/05
  • Filhos De Bach- 08/06
  • Carros 3- 13/07
  • Thor: Ragnarok- 26/10
  • Star Wars The Last Jedi- 14/12

2018

  • Viva – A Vida É Uma Festa -04/01
  • Pantera Negra- 15/02
  • A Wrinkle In Time- 29/03
  • Magic Camp- 12/04
  • Avengers: Infinity War Part I- 26/04
  • Han Solo- 24/05
  • Os Incríveis 2- 24/05
  • Homem Formiga E A Vespa- 05/07
  • Mulan- 01/11
  • Mary Poppins Returns- 28/12

2019

  • Detona Ralph 2 -03/01
  • Captain Marvel- 28/02
  • Star Wars: Episode Ix- 23/05
  • The Lion King Live Action- 18/07

2020

  • Frozen 2 -02/01
  • Indiana Jones 5- 09/07

2021

  • Gigantic -07/01

 

Fonte: site Guia da Semana

turismo

[SC] Questão de opinião: Microfranquia de turismo é opção para investir gastando menos?

A microfranquia, que tem limite de investimento inicial de R$ 85 mil”, explica José Rubens Rodrigues, diretor de microfranquias da Associação Brasileira de Franchising (ABF). No caso da franquia da Patrícia de Paula, a Clube Turismo, o investimento para abrir seu escritório em casa não chega a R$ 4 mil, mas é possível encontrar no site da ABF franquias com investimento de até R$ 10 mil nas áreas de estética e informática. “Mas o franqueado precisa fazer a sua parte, pois nem as franquias estão livres de riscos”, alerta José.

Cuidados ao investir no setor de turismo

 aeroporto-de-dourados-ms2Com o aumento do dólar e a incerteza na política do país, a tendência é que os gastos com viagens diminuam neste ano. Mas, se você pretende abrir uma franquia nesse ramo, existem maneiras de contornar esse quadro. “Antes de fazer o investimento, procure ter dinheiro para o capital de giro, que são os gastos necessários para manter o negócio rodando mesmo se você não fizer nenhuma venda. Essa quantia deve ser suficiente para bancar os custos de, no mínimo, três meses”, explica Marcelo Sinelli, consultor do Sebrae-SP. Isso significa que, na hora de comprar a franquia, é preciso levar em conta o investimento inicial e o dinheiro que você deverá usar para bancar os custos mesmo sem faturamento nenhum.

Quem vai trabalhar em casa deve considerar as contas que precisam ser pagas no final do mês, como o aumento do uso de telefone e internet, e a comissão cobrada mensalmente pela franqueadora. Além disso, prepare-se para ter um retorno do investimento em um prazo maior do que o prometido pela franqueadora, “pois o lucro deverá diminuir por conta do cenário financeiro atual”, alerta Marcelo.

Você tem perfil pra ser um franqueado?

O que devo me perguntar?

Quanto tempo posso dedicar ao negócio?
“Os primeiros dois ou três anos exigem muita dedicação do dono para que a franquia dê resultado. É preciso estar presente o tempo todo”, explica Marcelo Sinelli, do Sebrae-SP

Quanto dinheiro vou investir?
Não leve em conta somente o valor inicial. Coloque no papel outros custos, como as contas a ser pagas e as comissões cobradas pela franqueadora.

Eu tenho postura de empreendedor?
Isso significa ter autoconfiança, persistência e organização, além de flexibilidade para aceitar as regras impostas pela franqueadora. “Você não pode mudar o que quiser. Existe um padrão que todo franqueado deve seguir, concordando com ele ou não”, lembra Marcelo.

Fonte: Revista Sou mais eu

 

download (4)

[SL] Fazendo Quadrinhos em 7 Passos: 6 – A Arte Final | Escrevendo Quadrinhos

Olá Geeks..

Hoje vamos conversar sobre a arte final e como essa etapa é pessoal. Eu também considero letreiramento como arte final então tratamos disso aqui também.

Quer saber mais sobre meu trabalho? Aqui vai a lista de links úteis:

Meu Site: https://www.raphapinheiro.com/

Facebook: https://www.facebook.com/raphacpinhei…

Instagram: https://www.instagram.com/raphacpinhe…

Twitter: https://twitter.com/RaphaCPinheiro

Cinema

[SC] Lançamentos de Cinema – 20/04/2017

Olá Geeks! Eis os lançamentos da 7º arte para esta semana.

 

Gostosas, lindas e sexies (Ernani Nunes, Brasil)

Paixão Obsessiva (Unforgettable, Denise Di Novi, EUA)

Vida (Life, Daniel Espinosa, EUA)

Paterson (Jim Jarmusch, EUA)

O Sonho de Greta (Girl Asleep, Rosemary Myers, Austrália)

Joaquim (Marcelo Gomes, Brasil, Portugal)

O Profeta das Águas (Leopoldo Nunes, Brasil)

os_pequenos_homens_livres_1457526703123134sk1457526703b

[SL] Video Resenha -Dobradinha Literária: Os Pequenos Homens Livres – Terry Prachett

– O segredo não é sonhar – sussurrou. – O segredo é acordar. Acordar é mais difícil. Eu acordei e sou real. Eu sei de onde venho e para onde vou. Você não pode mais me enganar. Nem me tocar. Nem tocar qualquer coisa que seja minha.

Tudo é narrado em terceira pessoa e como disse aqui recheada de frases inteligentes, metáforas e analogias reflexivas encaixadas nas entrelinhas (algo bem peculiar a escrita do autor). Terry Pratchett deixa referências mais satirizadas de outros escritores famosos e suas obras de destaque nesta coleção Discworld, nunca esquecendo de mandar seu recado para a nossa sociedade em geral.   A apresentação deste novo mundo é muito bem elaborada! Não deixe de acompanhar esta história.

5950847_orig

#EuNoOscar: Conheça os indicados para melhor Filme

1.   Imagem

Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

2.   Imagem

Interior do Texas, Estados Unidos. Toby (Chris Pine) e Tanner (Ben Foster) são irmãos que, pressionados pela proximidade da hipoteca da fazenda da família, resolvem assaltar bancos para obter a quantia necessária ao pagamento. Com um detalhe: eles apenas roubam agências do próprio banco que está cobrando a hipoteca. Só que, no caminho, eles precisam lidar com um delegado veterano (Jeff Bridges), que está prestes a se aposentar.

3.   Imagem

1961. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.

4.   Imagem

Baseado na aclamada e premiada peça teatral homônima. Um homem (Denzel Washington) que sonhava em se tornar um grande jogador de beisebol durante sua infância, acaba frustrado na vida como um catador de lixo.

 

5.   Picture

Quando seres interplanetários deixam marcas na Terra, a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma linguista especialista no assunto, é procurada por militares para traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não. No entanto, a resposta para todas as perguntas e mistérios pode ameaçar a vida de Louise e a existência de toda a humanidade.

 

6.    Imagem

Quando tinha apenas cinco anos, o indiano Saroo (Dev Patel) se perdeu do irmão numa estação de trem de Calcutá e enfretou grandes desafios para sobreviver sozinho até de ser adotado por uma família australiana. Incapaz de superar o que aconteceu, aos 25 anos ele decide buscar uma forma de reencontrar sua família biológica.

 

7.   Imagem

Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss (Abdrew Garfield) se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.

8.   Imagem

Lee Chandler (Casey Affleck) é forçado a retornar para sua cidade natal com o objetivo de tomar conta de seu sobrinho adolescente após o pai (Kyle Chandler) do rapaz, seu irmão, falecer precocemente. Este retorno ficará ainda mais complicado quando Lee precisar enfrentar as razões que o fizeram ir embora e deixar sua família para trás, anos antes.

Fonte: Adoro Cinema