GGRF-Geek-Game-Rio-Festival

[SE] Geek & Game Rio Festival 2017

Salve, salve minha galera geek!

Esta semana aqui em terras cariocas, no aqui em terras cariocas, no Rio Centro, ocorrerá um evento da hora pra quem curte ser geek e jogar ou pra quem curte jogar e ser geek, ou pra quem curte… Geek…

De 21 a 23/04, feriadão (segundo só esse mês) ocorrerá o Geek & Game Rio Festival 2017, um mega evento voltado ao público geek e gamista e cosplayer e quem curte a cultura pop. Tem pra todos os gostos! Inclusive contará com uma seleção de candidatos de fazer inveja a muitos eventos:

Os fãs de quadrinhos terão a oportunidade de conhecer o ilustrador britânico David Lloyd, conhecido mundialmente por ter dado vida à série V de Vingança ao lado do roteirista Alan Moore é o primeiro convidado internacional confirmado para o Geek & Game Rio Festival. Lloyd fará parte do painel “Quadrinhos como Ferramenta de Protesto”.

O designer de games Tim Schafer, que se tornou uma lenda dos jogos do estilo Adventure, está mais que confirmado. O americano, conhecido mundialmente por títulos como Day of The Tentacle, Full Throttle e Grim Fandango, virá ao país pela primeira vez para um painel especial.

Por falar em literatura… Se você curte Fantasia, horror e ficção científica sabe que esses são os gêneros favoritos da escritora norte-americana Christie Golden, que assina algumas das obras mais conhecidas do universo nerd, como Lord of the Clans, Arthas: Rise of the Lich King, Thrall: Crepúsculo dos Aspectos e Marés de Guerra do game World of Warcraft.

Teremos também presenças nacionais, como das escritoras Luciane Rangel (série Guardians, Tenshi um Anjo sem Asas e Destinos de Papel) e Bia Carvalho (Jardim da Escuridão, Versos Sombrios e Horas Noturnas). Eslas estarão autografando no espaço Artway, no estande AW10. É uma excelente oportunidade de conhecer mais sobre a nova literatura nacional da qualidade que um GGRF proporciona.

O festival está equipado também com um espaço para os pequenos geeks, uma arena e-sport de (pasmem) 900 m², espaço para artistas independentes e um concurso de cosplay que premiará o melhor com um scooter zerinho!

Acho que depois disso não tem como perder. Vemos vocês por lá!

______________________________________________________________________________

Fala Galera,

Sou eu Thiago invadindo o post do Mario só para avisar que no sábado dia 22/4 estarei no evento junto com o Gustavo Coca, do CocaTech e no domingo Mario levará o seu charme para o evento!

7 Wonders

TOP 5 – Board Games Baseados em Livros/Séries

​Fala pessoas,

Laíse do Boards e books (B&B) de volta pra falar mais sobre Jogos de Tabuleiro! Vamos a mais um TOP 5! Há 4 anos sou criadora e diretora do Projeto Educacional Oficinas Lúdicas, que tem por objetivo levar a ludicidade para o ambiente escolar através dos Jogos de Tabuleiro Modernos! Já testamos mais de 30 jogos e selecionei aqui os 5 maiores sucessos do projeto para, quem sabe, você professor, pai ou admirador da educação possa coloca-los em sua sala de aula ou, até mesmo, se divertir junto com a criançada!

 

5º Lugar – Ubongo

Ubongo_jogo_1

​Com certeza você já jogou Tetris, ou pelo menos já ouvir falar desse divertido jogo dos games antigos! Ubongo é inspirado nele, um verdadeiro quebra-cabeças abstrato! Cada jogador recebe 12 peças de formatos diferentes. Em cada rodada, os jogadores pegam uma placa com espaços vazios. Então, um jogador lança o dado especial do jogo e vira a ampulheta que serve como cronômetro. O resultado do dado é uma figura que está indicada na lateral da placa. Esta figura representa 3 peças (jogo básico) ou 4 peças (jogo avançado) que o jogador precisa para montar o quebra-cabeças corretamente e assim cobrir todos os espaços vazios da placa.

​Ubongo é um jogo dinâmico e tenso, porém extremamente divertido! Exige raciocínio rápido e muita noção espacial. Perfeito para crianças na faixa de 8 a 10 anos, mas diverte até os mais maduros e gamers!

 

4º Lugar – Ricochet Robots

Ricochet Robots 2

​Um jogo no qual cabe muita gente, pra jogar de grupão e queimar os neurônios, esse é o Ricochet Robots! O jogo vem com quatro tabuleiros de 2 lados que juntos, formam o tabuleiro central, uma sala grande com paredes espalhadas por ela. Em cima desse tabuleiro, são posicionados 4 robôs. A ideia de cada turno é levar um robô de determinada cor para um local selecionado randomicamente. O problema é que assim que o robô começa a se mover ele tem que continuar em linha reta até encontrar uma parede ou um outro robô que o pare. Com isso, os jogadores tem que descobrir várias sequências, movendo mais de um robô ao mesmo tempo, para conseguir levar o Robô ao seu destino.

​Parece complexo, num primeiro momento, entender como funciona, mas complexo mesmo é conseguir cumprir o objetivo de fazer o robô chegar lá com o menor número de movimentos possível. Apesar de parecer complexo, é viciante! Observar uma mesa de Ricochet Robots acontecendo é hilário, alguns minutos de silêncio absoluto e 100% de concentração e, de repente, alguém grita um número! As crianças amam o jogo, principalmente quem gosta de matemática, de lógica e de grandes desafios!

 

3º Lugar – Dixit

Dixit

​Um dos melhores jogos para exercitar a criatividade. Na vez de cada jogador, este escolhe uma de suas 6 cartas na mão (cada carta possui um desenho diferente) e dá uma dica sobre a arte da mesma, pode ser uma palavra, frase, mímica, cantar um música (qualquer coisa, o legal é ser criativo), após isso o jogador separa esta carta virada para baixo.

Os outros jogadores olham na própria mão e dentre suas 6 cartas, escolhem uma que melhor se encaixa naquela dica, separando junto com a carta do jogador da vez, também com a face para baixo. As cartas são embaralhadas e reveladas e os outros jogadores devem descobrir qual a carta do jogador da vez. Por meio de votação os pontos são distribuídos, dependendo se todos acertarem, nenhum acertar, ou alguma condição intermediária a isso. O jogador da vez busca justamente a condição que alguém erre e alguém acerte, ou seja, ele não pode dar uma dica nem muito fácil, nem muito difícil. O jogador que primeiro atingir 30 pontos vence.

A diversão desse jogo está em ser criativo e buscar entender o que os outro jogadores pensarão com a sua dica. Portanto, o Dixit não só diverte, mas trabalha a socialização e a criatividade.

 

 

2º Lugar – 7 Wonders

7 Wonders

​Sou bem suspeita pra falar pois este é o meu jogo favorito, mas sinceramente 7 Wonders é um jogão! Além de trabalhar questões históricas, como a evolução das civilizações e as maravilhas do mundo antigo, também trabalha muita matemática e dá ao jogador uma linha de pensamentos estratégicos extremamente ampla e diversificada.

​7 Wonders dura três eras. Os jogadores têm tabuleiros individuais com poderes especiais- “maravilhas”, onde são colocadas suas cartas. Em cada era, os jogadores recebem sete cartas, escolhem uma, e em seguida, passam o restante para um jogador ao lado (o que chamamos de Draft). Os jogadores revelam suas cartas simultaneamente, podendo fazê-lo de três maneiras: descartando-a para receber ouro, usando-a para evoluir a sua “maravilha” ou construindo-a e, para isso, deve pagar recursos (se necessário), momento em que há interação com os jogadores das cidades vizinhas através do comércio de recursos. Finalizada esta etapa, cada jogador escolhe uma das cartas restantes (aquelas que recebeu de seu “vizinho”), e o processo se repete até que seis cartas sejam utilizadas, o que configura o fim daquela era, momento em que existirá um combate com seus vizinhos. Depois de três eras, o jogo termina.

Em essência 7 Wonders é um jogo de cartas e desenvolvimento. Algumas cartas têm efeitos imediatos, enquanto outros oferecem bônus ou upgrades no decorrer do jogo; algumas geram descontos para compras futuras; algumas fornecem força militar para dominar os seus vizinhos e outras dão apenas pontos de vitória. Como no jogo você sempre sabe quais as cartas que o seu vizinho está recebendo, pode-se imaginar como as próximas escolhas deles poderão afetar o que você já construiu, fato que confere ao jogador mais domínio estratégico da partida.

 

1º Lugar – Pandemic

Pandemic

​É, ele não podia faltar. O grande sucesso do Oficinas Lúdicas, o jogo que todo mundo quer enfrentar, é sempre uma competição acirrada para ficar na mesa do Pandemic! Ciências, medicina, epidemiologia, geografia, atualidades… todos esses conteúdos podem ser trabalhados durante uma partida de Pademic. Sem dúvidas, é o grande sucesso das salas de aula!

​Em Pandemic, várias doenças virulentas eclodiram simultaneamente em todo o mundo! Os jogadores combatem a doença e assumem o papel de especialistas cuja missão é tratar os focos enquanto pesquisam a cura para cada uma das quatro pragas.

O tabuleiro do jogo mostra vários grandes centros populacionais na Terra. Em cada turno, um jogador pode utilizar até quatro ações para viajar entre cidades, tratar populações infectadas, descobrir uma cura ou construir uma estação de pesquisa. Um baralho de cartas fornece habilidades aos jogadores, mas espalhados por este baralho estão cartas de Epidemia! Estas cartas aceleram e intensificam a atividade das doenças.

Tomando um papel único dentro da equipe, os jogadores devem planejar a sua estratégia para combinar suas forças de especialistas, a fim de curar as doenças. Se uma ou mais doenças se espalha além da recuperação ou se decorrido muito tempo, todos os jogadores perdem. Se curar as quatro doenças, todos eles ganham!

 

Ai está, nosso segundo TOP 5! Quer ver mais sobre o Oficinas Lúdicas? Entra na nossa página oficial do Facebook e veja nosso trabalho! E não esquece de me acompanhar nas redes sociais, tamo junto!! E vamo que vamo!!

 

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks

Oficinas Lúdicas – oficinasludicas

Twitter: @lailima19

Instagram: @lailima19

Ludopedia: lailima19

Snapshat: lailima19

Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

 

?????????????

[SG] SpheraBoards – Coloretto

Hello pessoas!

Olha eu aqui de novo, Laíse Lima do Boards e books!!! E lá vem mais um review…Dessa vez, um card Game leve que dá pra jogar com a família e como entrada para um dia de jogatina! Vamos nessa!

Ficha Técnica:

Edição Brasileira: Grow

Numero de Jogadores: 2-5

Tempo de Jogo: 30 minutos em média

 

Objetivo do Jogo:

​Coloretto é um jogo de cartas criado por Michael Schacht e foi lançado em 2003. No Brasil, foi lançado em 2011 pela Grow. Também existem outras versões do jogo, uma delas lançada pela Rio Grande Games. O jogo é composto por cartas com desenhos de camaleões de cores diversas.

Os jogadores compram cartas de um baralho central. Durante a partida, devem tentar adquirir cartas das mesmas cores, pois ao final, o jogador consegue pontos positivos em apenas 3 cores; o restante conta como pontos negativos. Quanto mais cartas de uma cor um jogador tiver, mais pontos consegue. Vence o jogador com mais pontos.

Mesa do jogo

Regras (3-5 Jogadores):

​- Na preparação do jogo, coloca-se o número de cartas de fileira igual ao número de jogadores. São distribuídas 2 cartas de cores e uma carta de pontuação para cada jogador.

– A carta da Ultima Rodada é embaralhada entre as ultimas 15 cartas do monte de cores e este monte é colocado no centro da mesa virado com a face para baixo.

Ps: Existem duas formas de jogar que mudam completamente o rumo da partida: pode-se jogar com a carta de pontuação do lado creme ou do lado cinza, mudando assim a escala de pontos no final do jogo.

– Em seu turno, cada jogador deve realizar uma das duas ações seguintes: comprar e colocar uma carta ou pegar uma fileira de cartas. Em seguida, o jogador à esquerda do jogador atual realiza o seu turno. Quando cada jogador pegar uma No lado direito as cartas de pontuação. Na parte inferior central a carta de ultima rodada.fileira de cartas, a rodada termina e uma nova rodada começa.

– Na opção de comprar uma carta, o jogador pega a carta superior do baralho e a coloca virada para cima ao lado de uma carta de fileira. Uma carta de fileira pode ter até 3 cartas ao seu lado. Quando já houver 3 cartas ao lado de uma carta de fileira, o jogador terá que colocar a carta comprada ao lado de outra carta de fileira. Quando todas as cartas de fileira tiverem 3 cartas ao lado, os jogadores não poderão escolher esta ação. O jogador deve então pegar uma das fileiras.

– Na opção de pegar uma fileira de cartas, o jogador recolhe todas as cartas ao lado de uma carta de fileira e as coloca viradas para cima em sua área de jogo. O jogador deve ordenar as cartas por cor. Se um jogador ficar com um coringa, deve deixá-lo separado por enquanto. Decidirá em que cor vai colocar ao final da partida, mas não antes. Um jogador só pode pegar uma carta de fileira se houver ao menos uma carta ao seu lado. Depois que um jogador pegar uma carta de fileira em uma rodada, não jogará outros turnos durante esta rodada.

 

Final da Partida e Pontuação:

– Quando a carta da “Última rodada” é comprada, isto indica que a rodada atual será a última. Então o jogador compra a carta seguinte. No final da última rodada, os jogadores decidem que cores seus coringas assumirão (cada um pode ser de uma cor diferente). Cada jogador conta as cartas que tiver em cada cor e conta os pontos positivos e negativos que adquiriu de acordo com a carta de pontuação. Um jogador não obtém pontos adicionais por ter mais de 6 cartas de uma mesma cor.

– Cada jogador escolhe quais 3 de suas cores pontuarão positivamente. Todas as outras cores pontuarão negativamente. Cada carta “+2” vale 2 pontos positivos.

Ps: Em uma partida com 2 jogadores, se joga com as cartas de fileira viradas para o lado verde.

 

Estatísticas do Jogo:

​- Apelo a não boardgamers (alto): É um jogo simples, bem para iniciantes. Talvez os mais adultos gostem mas não joguem tanto ele, tem uma pegada mais infanto-juvenil, apesar de ser bem estratégico.

​- Complexidade (baixa): As regras são aprendidas rapidamente.

​- É independente de idioma? Sim

​- É encontrado no Brasil? (sim): É vendido em livrarias como a Cultura e pelo site da Grow.

​Preço (baixo): Barato a feira…

 

​Opinião:

É um jogo divertido e simples, ideal para partidas entre partidas mais complexas. Porém enjoa fácil. Não é o tipo de jogo que a galera anima em jogar diversas vezes seguidas. Mas no geral é um ótimo jogo trazido pela Grow. Outro ponto fraco é a qualidade das cartas, muitas jogatinas já acabam com o jogo.

Links relacionados ao jogo:

Site da Grow: http://www.grow.com.br/

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks

Oficinas Lúdicas – oficinasludicas

Twitter: @lailima19

Instagram: @lailima19

Ludopedia: lailima19

Snapshat: lailima19

Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

top 5

[SG] SpheraBoards: TOP 5 – Board Games Baseados em Livros/Séries

Fala pessoas!!!

Laíse do Boards e books (B&B) está de volta pra falar mais sobre Jogos de Tabuleiro, e desa vez vamos ao nosso primeiro TOP 5. Três paixões, nada melhor do que unir tudo e escolher os melhores. Vajam ai meus Boards favoritos que são baseados em livros e/ou séries!

 

5º Lugar – Eldritch Horror

 

Lovecraft Mito de CthuluQuem é fã de Lovecraft, o mestre do horror piscológico, assim como eu, treme com esse grande jogo! O princípio literário de Lovecraft era o que ele chamava de “Terror Cósmico”. Nas suas histórias a própria vida é incompreensível ao ser humano e o universo é infinitamente hostil. Seus principais sucessos são o clássico Mito de Cthulhu e o Necronomicon. No decorrer de suas criações, Lovecraft produziu um panteão de entidades extremamente anti-humanas com as quais, nas suas histórias, geralmente os seres humanos podem se comunicar através do Necronomicon. São essas entidades monstruosas que os jogadores de Eldritch Horror precisam enfrentar, ou pelo menos impedeldritch_horror_abertoir que elas despertem.

A linha de jogos inspírados nos mitos de Lovecraft é vasta, abrangendo jogos como o Elder Sing e o Arkan Horror, que nos trazem outras entidades, outras histórias, todo o clima sombrio e estranho característico do escritor. Eldritch Horror é um jogo cooperativo, assim como os outros jogos da linha, possuindo total imersão nos escritos de Lovecraft, as cartas que compõem o jogo contém, muitas vezes, trechos dos próprios contos e mitos. Um universo inspirador que promete muitas horas de diversão.

 

4º Lugar – Sons of Anarchy: Men of Mayhem

 

sons-of-anarchyBaseado na série de TV estadunidense criada por Kurt Sutter sobre a vida de um clube de Motociclistas que se passa em Charming, uma cidade fictícia no norte da Califórnia. Os jogadores assumem o papel de gangues de motociclistas rivais para controlar território e colher as recompensas monetárias controlando o contrabando. Por turno, novas placas são colocadas que representam um novo território, e os clubes tentam controlar esse espaço, colocando os membros de sua gangue Sons of Anarchynesse espaço. No entanto, outros jogadores podem desafiar para ter direito ao território, o que levará a conflitos; negociar, ameaçar e aliar-se com gangues rivais enquanto servir às suas necessidades, mas muito cuidado com a faca inevitável nas costas. O jogo é sobre fazer e quebrar alianças, e vence a turma com mais dinheiro no final de seis rodadas. Completamente igual à série, tem todo o clima das disputas de gangues.

 

3º Lugar – A Game of Thrones: the Board Game

 

GameofThronesEsse não podia faltar na lista! Um dos Primeiros Board Games modernos que chegaram ao Brasil. Baseado na série de livros escrita por George R. R. Martin, “A Game of Thrones” é um jogo de tabuleiro épico, no qual será necessário mais do que poder militar para ganhar. Não é um jogo apenas sobre combate, assim como a série também não é. Nele, o jogador irá ganhar poder através da força,Game-of-thrones-board-game da lábia e das alianças. Através de planejamento estratégico, diplomacia magistral e um inteligente uso de cartas o jogador precisa espalhar sua influência sobre Westeros e dominar o trono de ferro! Apenas com essa descrição já dá pra afirmar que é um jogo completamente imersivo no clima da série, mas ele vai muito além disso.

 

2º Lugar – Robinson Crusoé: Adventure on the Cursed Island

 

Robinson Crusoé LivroRobinson Crusoe é um romance escrito por Daniel Defoe e publicado originalmente em 1719 no Reino Unido. A obra é a autobiografia fictícia de um náufrago que passou 28 anos em uma remota ilha tropical próxima a Trinidad, encontrando canibais, cativos e revoltosos antes de ser resgatado. E que tal agora, você e seus amigos serem os náufragos?

Robinson Crusoé: Adventure on the Cursed Island criado por Ignacy Trzewiczek, transporta os Robinson Crusoéjogadores para uma ilha deserta, onde eles serão os sobreviventes de um naufrágio confrontados por uma aventura extraordinária. É preciso caçar, enfrentar tempestades e frio extremo, animais selvagens, buscar recursos…Enfim, faça de tudo para sobreviver! Este é um jogo cooperativo de 1 a 4 jogadores. O mais interessante, é que no modo solo o jogador pode controlar o cachorro e o Sexta-Feira, personagens icônicos do livro!

 

1º Lugar – Battlestar Galáctica: the Board Game

 

“Os cylons foram criados pelo homem. Eles se rebelaram. Eles evoluíram. Eles parecem e se sentem humanos. Alguns foram programados para pensar que são humanos. Existem muitas cópias. E eles têm um plano.”

Battlestar-GalacticaEm primeiríssimo lugar, com honras, fica o épico Battlestar Galáctica, um jogo incrível, que todo fã da série merece ter em sua coleção. O jogo ambienta os participantes no seriado Battlestar Galactica e consegue reproduzir as situações que os personagens da TV sofriam durante os episódios. Cada um joga com um personagem da série, divididos em 4 grupos: Líder Político, Líder Militar, Piloto e Suporte.

O jogo é cooperativo e todos os participantes fazem parte da tripulação da espaçonave Battlesta. Battlestar-Galactica-Board-GameComo no seriado, a diversão do jogo é a ameaça Cylon e um ou mais dos jogadores está infiltrado na nave para impedir que os humanos cheguem ao planeta Kobol e ganhem a partida. Os Cylons conseguem se passar por humanos e causam intriga na nave, sabotando e dificultando as tarefas dos humanos. Ainda conta com expansões que acompanham os acontecimentos das temporadas da Série e adicionam vantagens e desvantagens para os humanos. Um dos jogos mais imersivos que eu já vi, as cartas trazem trechos das falas dos personagens e o clima de desconfiança entre os jogadores é inigualável.

Esse foi nosso primeiro TOP 5! Quer mais??? Então diz ai o que você quer ver por aqui! E não se esquece de me acompanhar nas redes sociais, tamo junto!! E vamo que vamo!!

 

Laíse Lima – Boards e books

Acompanhe pelas redes sociais:

Fanpage Boards e books – boardsebooks

Oficinas Lúdicas – oficinasludicas

Twitter: @lailima19

Instagram: @lailima19

Ludopedia: lailima19

Snapshat: lailima19

Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487

04062014307

SpheraGames #05 – Projeto Educacional Oficinas Lúdicas

Como criar um ambiente motivador, lúdico e contextual no processo de construção do conhecimento? É realmente possível aprender jogando?
Nossa convidada Laíse, do Canal Boards e Books divide conosco seu projeto sobre jogos de tabuleiro.
Conheça! Divulgue! Apoie!!

Como os jogos de tabuleiro, algo tão antigo, pode ser uma ferramenta valiosa no processo de nsino/aprendizagem? Foram essas perguntas que embasaram a criação do Projeto Educacional Oficinas Lúdicas. Este projeto se propõe não só a responder estas perguntas, mas também a despertar nos educadores o interesse por promover um ambiente leve, saudável e desafiador em sala de aula, ou mesmo em outras ocasiões menos formais.

O Oficinas Lúdicas trás ao educador a noção de como o ambiente motivador, interativo e muitas vezes conflitante (no sentido da resolução de problemas dentro do próprio contexto lúdico) proporcionado pelos jogos pode facilitar o desenvolvimento de habilidades e a construção mediada do conhecimento.

Aula Pais e FilhosA equipe do projeto, composta por monitores treinados e com formações em áreas diversas, como fonoaudiologia, psicologia e pedagogia, já atuou em 2 escolas de Salvador, e atualmente realizam as oficinas de jogos na Escola

Motivar, no bairro da Federação. Uma média de 25 alunos das turmas do 4º e 5º anos vão para a escola aos sábados, pela manhã, para jogar e aprender O ato de jogar envolve prazer de exercitar um novo domínio, de testar certa habilidade, de transpor um obstáculo ou vencer um desafio. Na perspectiva da criança ou do adolescente, não se joga para ficar mais inteligente, para ser bem sucedido quando adulto ou para aprender uma matéria escolar.

002Joga-se porque isso é divertido, promove disputa com os colegas, possibilita estar juntos em um contexto que faz sentido, mesmo que às vezes frustrante e sofrido, por exemplo, quando se perde uma partida. Em jogos os participantes são sérios, atentos, não se perdem em conversas paralelas, permanecendo interessados e envolvidos nas atividades.

Os Jogos de Tabuleiro Modernos são o carro chefe do Oficinas Lúdicas. São utilizados jogos que trabalham não só disciplinas escolares, como matemática e história, mas também princípios e valores, como honestidade e Além de atuar em escolas, o Oficinas Lúdicas também já colaborou com eventos, como a semana do servidor público na Universidade Federal da Bahia, oficinas ocasionais em datas especiais de escolas da cidade, e oficinas de jogos em parceria com outros grupos de gamers de Salvador.

Laíse Lima
Diretora do Projeto Educacional Oficinas Lúdicas

Acompanhe pelas redes sociais:
Blog: http://boardsebooks.blogspot.com.br/
Oficinas Lúdicas – https://www.facebook.com/oficinasludicas
Fanpage Boards e books – https://www.facebook.com/boardsebooks
Twitter: https://twitter.com/lailima19
Instagram: http://instagram.com/lailima19
Ludopedia: http://www.ludopedia.com.br/usuario/l…
Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/1236487
Snapshat: lailima19

Diversao-Offline-Logo-1024x683 Diversao-Offline-Logo-1024x683

SpheraEventos – Pós evento Diversão Offline

Por Fabiana Machado,

Domingo, mais um dia quente na cidade do Rio de Janeiro.

Jovens e adultos soltam pipas nas ruas que circundam o espaço de conferência do Centro de Convenções Sul América e lá dentro pessoas de todas as idades reúnem-se para curtirem aventuras usando como ferramentas tabuleiros, cartas e dados.DSC00567

E, assim, surge a ideia do evento DIVERSÃO OFFLINE, um dia completo para vivenciar os jogos de tabuleiros. A meta é sair do virtual e vir para o mundo “real”.

Zumbicide, Magic, X-wing, RPG, Pokemon, Game Of Thrones, (nomes de outros jogos), todos sendo jogados por várias pessoas! Foram cinco salas grandes, repletas de mesas e cadeiras, além de uma grande área destinada à execução de torneios.

Fomos recepcionados pelo único cosplay do evento, Kitty Cat Katarina, de LOL, fazendo marketing de um curso de Design Digital, preenchemos uma ficha para concorrer ao sorteio de camisas e brindes estou esperando até agora o resultado.

Como éramos da imprensa, entramos pelo VIP cof cof.

DSC00610

No térreo, havia o palco onde aconteceram as palestras e à tarde a apresentação do bloco Marcha Nerd, além de diversas mesas longas, nas quais eram previstas acontecerem torneios de Magic, X-Wing, Pokemon Card Game e outros (confesso que não sabemos se realmente ocorreu o torneio, pois não vimos uma movimentação grande na área, e quando fomos averiguar já não havia ninguém).

DSC00657

Já no mezanino vários estandes de editoras brindavam o público com a venda de jogos e acessórios.  Um estande trazia um artista fazendo esculturas ao vivo parecia ser um orc, até a hora que vi, outros traziam lançamentos de livros.

No mezanino, também localizavam-se as cinco grandes salas: RPG A e B, BoardGame A e B e a dos protótipos queridinhas do público, nas quais expositores apresentavam suas novas criações, havendo assim uma troca de ideias entre criadores e jogadores.

Todas as palestras tinham como base a temática dos jogos.DSC00667

O ponto alto do evento das famosidades foi a apresentação do Anderson Gaveta e do Fernando Caruso que tiveram um papo recheado de piadas sobre Cara-a-Cara, War, Banco Imobiliário, Pula Pirata e outros. Depois aconteceu uma atividade na qual os dois faziam mímicas com personagens nerds, óbvio para voluntários adivinharem, e que conforme iam acertando, ganhavam brindes (livros e jogos em sua maioria).

DSC00654

O ponto ownnn foi quando um nerd, de nome Adão, pediu sua namorada não era Eva em casamento. Enquanto Caruso e Gaveta faziam piadinhas no fundo do palanque, o mocinho ajoelhou e fez o pedido. Ela aceitou. owwwwwwwwwwnnnnnn

DSC00648

 

Pontos positivos:

•  Todo o espaço do evento era climatizado.

•  Não tinha como se perder no evento! Os organizadores criaram um aplicativo com toda a programação e descrição das salas.

•  Gaveta e o Jack Explicador ficaram conversando e rodando pelas salas de jogos, interagindo com os participantes do evento

•  Presença de crianças no evento, mostrando que é possível integração independente da faixa etária respeitando a limitação de cada criança, claro!

•  Preço de 30,00 reais (meia) para um evento de dia inteiro no qual pode interagir com pessoas que curtem a mesma coisa e com uma ótima infra-estrutura.

 Pontos negativos:

•  Sentimos sua falta, Galápagos

•  Comida e bebida com preço de aeroporto. A lanchonete mais em conta (Mega Mate) estava fechada.

•  A ordem de apresentação pós almoço que almoço? Não teve. Gaveta, Caruso e Marcha Nerd. Eles podiam ter se apresentado depois da última palestra, fazendo com que o público ficasse até o final. A última palestra havia poucas pessoas.

Para quem não foi, segue a programação para se ter uma ideia do que perdeu:

 

PALCO:

10h:Quero criar um jogo! E agora?
Palestrante: Marcos Barreto – Game Designer do Zodiacus.

11h:RPG: O Cenário Indie Nacional.
Participantes: Diego Astaurete (A Fita), John Bogéa (Abismo Infinito), Eduardo Caetano (Violentina), Encho Chagas (Pulse), Igor Moreno (Space Dragon) e Pedro Borges (Crônicas RPG).

12h:Sorteios.

12h20:Processo Criativo e Invisibilidade Feminina na Cadeia de Produção do Mercado de Jogos.
Participantes: Patricia Antonucci, Evelini Andrade, Fernanda “Inandra” Ferreira, Ana Cristina Rodrigues e Natália Simas.

13h:Board Games: Uma Visão do Futuro.
Participantes: Jack Explicador (Maple Maniacs), Alexsander “Shamou” (Castelo das Peças), Antonio Marcelo (Riachuelo Games) e Marcelo Groo (Gigante Jogos).

14h:O Universo dos Jogos Analógicos.
Participantes: Anderson Gaveta e Fernando Caruso.

15h20:Marcha Nerd.

16h:Sorteios.

16h30:RPG: Dissecando o Mercado.
Participantes: Fernando Del Angelis (RetroPunk), Matheus Funfas (Solar), Anesio Vargas (New Order), Guilherme Dei Svaldi (Jambô), Filipe Cunha (Pensamento Coletivo).

17h30:Entrega da Premiação dos Torneios.

ÁREA FREEPLAY:

A área freeplay acontecerá durante todo o evento.

ÁREA VIP:

10h – Encho Chagas, Diego Astaurete e Pedro Borges
11h – Marcos Barreto
12h – John Bogéa e Eduardo Caetano
13h – Christophe Boelinger
14h – Jack Explicador
15h20 – Anderson Gaveta e Fernando Caruso

 

DSC00662